Carris: Marchezan dá prazo de um ano para equilibrar contas da empresa, diz delegada sindical. Em entrevista a TVU, futuro prefeito não estipula prazo para analisar a medida

Carris: Marchezan dá prazo de um ano para equilibrar contas da empresa, diz delegada sindical. Em entrevista a TVU, futuro prefeito não estipula prazo para analisar a medida

Cidade Destaque Eleições 2016 Poder Política Porto Alegre

O prefeito eleito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Jr., deu prazo de um ano para que a empresa Carris consiga reequilibrar contas para evitar uma possível privatização. Conforme a delegada sindical Rosângela Machado, o tucano conversou com servidores durante a campanha e disse que havia uma estimativa de um ano para alterar o cenário com déficit de mais de R$ 50 milhões.

“O candidato Marchezan nos informou que daria um prazo de um ano para a empresa se reerguer para então pensar em privatização. E nós nos colocamos à disposição deles para juntos resgatar a Carris de antigamente. Nos posicionamos também de que a Carris precisa reformular a gestão. O essencial é diminuir o prejuízo pra começar a dar lucro”, disse Rosângela. A delegada sindical afirmou que funcionários temem a privatização da empresa, já que muitos atuam há décadas e gerações na empresa.

Em entrevista a TVU, Marchezan não comentou sobre prazos para uma possível privatização da empresa. No entanto, o futuro prefeito de Porto Alegre afirmou que, se a empresa não der lucro, será privatizada. “Não é meta de governo, não é plano de governo privatizar. Isso é resumir o plano de governo. Se ela der prejuízo, (vai ser privatizada) por mim ou pelo próximo prefeito”, afirmou.

Conforme Marchezan, a previsão é de que a Carris feche com saldo negativo superior a R$ 50 milhões em 2016. “Com R$ 50 milhões a mais, Porto Alegre se torna uma cidade muito mais segura”, destacou ele. (Eduardo Paganella / Rádio Guaíba)

Sindicato dos servidores do Detran/RS denuncia irregularidades na aplicação de provas da CNH; por Vitória Famer / Rádio Guaíba

Sindicato dos servidores do Detran/RS denuncia irregularidades na aplicação de provas da CNH; por Vitória Famer / Rádio Guaíba

Destaque Poder Política Sartori Segurança Tecnologia

No início da quarta semana de greve, o Sindicato dos Servidores do Detran/RS denunciou, nesta segunda-feira, que provas práticas e teóricas estão sendo aplicadas de forma irregular pelo Departamento Estadual de Trânsito (Detran). De acordo com o presidente do sindicato, Maximilian Gomes, a legislação determina que ao menos três examinadores precisam estar presentes na aplicação das provas. Porém, com a greve, que conta com 85% dos servidores, a direção do departamento estaria aplicando as provas com somente um servidor, o que seria ilegal.

“Infelizmente, nós temos a informação que os exames de prática de direção, que a legislação prevê que devem ser constituídos por, no mínimo, comissões com três examinadores de trânsito, estão com número inferior ao que prevê a legislação. E cada exame de direção, que a legislação também diz que deve ser realizado por dois examinadores dentro dos veículos, avaliando o candidato, também não está sendo realizado. Isso faz com que nós tenhamos uma preocupação muito grande nesse processo, uma vez que esses exames, caso o candidato recorra, podem ser, sim, cancelados”, apontou Gomes.

Com isso, além dos resultados poderem ser contestados pelos candidatos, a assessoria jurídica do sindicato também analisa a possibilidade de ingressar judicialmente questionando os exames. Gomes relembrou da operação Rodin que, em 2007, investigou irregularidades nas provas aplicadas por funcionários terceirizados. Em função disso, os trabalhadores também pedem que não haja desmonte no serviço público nesta área já que, segundo o sindicato, a terceirização prejudicou o Detran em um dos maiores esquemas de corrupção do estado.

Os servidores realizam uma mobilização desde a manhã no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff) para tentar dialogar com o governo do Estado. Em função da greve, somente um terço dos exames estão sendo aplicados no Rio Grande do Sul, segundo o sindicato.  A Rádio Guaíba já solicitou a posição do Detran referente à denúncia do sindicato dos trabalhadores.