Nota à imprensa

 

O Sulpetro  ─ Sindicato que representa os postos de combustíveis do Rio Grande do Sul ─ vem a público manifestar o seu total descontentamento com a atual política de preços da Petrobras, desde que passou a fazer reajustes diários nos custos dos combustíveis. A sistemática, adotada em julho de 2017, está penalizando nocivamente os empresários varejistas de combustíveis e, por consequência, o consumidor.

 

Em um mercado extremamente complexo e com tantas distorções — com impostos que representam quase 50% do preço da gasolina, a uniformização das alíquotas de ICMS é uma das principais alternativas para reverter este quadro. Enquanto o imposto no Rio Grande do Sul é de 30%, o estado vizinho de Santa Catarina recolhe 25% sobre o litro do combustível, o mesmo que em São Paulo. Bem diferente do cenário do Rio de Janeiro, onde a alíquota é de 34%, a maior do País.

 

No início de 2016, as margens de lucro da gasolina para os segmentos da revenda e distribuição de combustíveis, além do frete, alcançavam 17,8%. Em abril deste ano, a margem caiu para 14,8%, conforme dados da Plural ─ Associação Nacional das Distribuidoras de Combustíveis, Lubrificantes, Logística e Conveniência. E é com esta reduzida margem que os postos têm que pagar funcionários, custos com encargos sociais, aluguéis, energia elétrica, taxas para operadoras de cartões de crédito, entre tantos outros itens que demandam um estabelecimento comercial.

 

Enquanto a gasolina acumula alta de 42,25% entre 1° de julho de 2017 e 15 de maio de 2018, a partir dessa nova política de preços da Petrobras, o varejo vem espremendo, cada vez mais, suas margens e enfrentando a repulsa da população que culpa, de forma errada, quem está na ponta de toda a cadeia de combustíveis: os postos.

 

Os caminhoneiros também não suportam mais constantes elevações no preço do diesel. Na semana passada, foram cinco reajustes diários seguidos. Segundo a Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP), o preço médio do diesel nas bombas já acumula alta de 8% no ano. O valor está acima da inflação acumulada no ano, de 0,92%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

 

O momento está muito difícil para o varejo de combustíveis, onde postos estão quebrando ou assumindo dívidas para tentar sobreviver e evitar demissões. No Rio Grande do Sul, são 2.800 estabelecimentos, que respondem por 22% da receita de ICMS aos cofres gaúchos. Mas o Sulpetro sempre apoiará as iniciativas que valorizarem a lisura de nossa atividade e, acima de tudo, defendam o respeito ao consumidor.

Sulpetro lança nota de esclarecimento sobre preço dos combustíveis

Sulpetro lança nota de esclarecimento sobre preço dos combustíveis

Economia Negócios Notícias Poder Política

O Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no Estado do RS (Sulpetro) esclarece que vêm ocorrendo sucessivos aumentos de custo ao longo de toda a cadeia de comercialização de etanol, gasolina e óleo diesel, como demonstrado em seguida. Cabe lembrar, entretanto, que os preços são livres em toda a cadeia comercial, ou seja, os preços são liberados a partir da refinarias (derivados de petróleo), das usinas (etanol e biodiesel), das distribuidoras (atacadistas) e nos postos revendedores (varejistas). Todos estes produtos, tanto derivados de petróleo (gasolina e diesel) quanto os biocombustíveis, tiveram sucessivos aumentos nos últimos 90 dias. O etanol combustível (hidratado) teve uma variação de custo na ordem de 66% nos últimos três meses. Acredita-se que é uma consequência do período de entressafra, na qual não existe cana-de-açúcar para colher e/ou moer. A produção para. Soma-se ao início de importação deste produto com o preço dolarizado. No Rio Grande do Sul, esses aumentos de custos foram agravados pela alteração da alíquota do ICMS.

A situação da gasolina é um pouco menos agressiva, tendo o acréscimo de 13,7% em seu custo creditado ao aumento do preço do etanol (toda a gasolina brasileira é composta por 73% de gasolina “A”- chamada de gasolina pura – e 27% de etanol anidro) e, assim como o etanol, teve uma elevação na alíquota do ICMS de 25% para 30%. O óleo diesel foi o produto menos impactado nos últimos três meses, tendo variado 1,6%. Esta alteração ocorreu principalmente pela variação do preço do biodiesel (subiu 17,2% nos últimos 90 dias), adquirido pelas distribuidoras mediante leilão bimestral (no último leilão, para produtos entregues a partir de 1º de janeiro de 2015, o volume ofertado foi cerca de 10% inferior ao leilão anterior, provocando esta elevação). O diesel, assim como a gasolina, é uma mistura de derivado de petróleo com biocombustível (93% de óleo diesel e 7% de biodiesel).

Na estrutura de custos aplicável ao varejo, existem custos fixos e variáveis que foram majorados nos últimos tempos, como energia elétrica, seguro, salários, impostos (PIS/Cofins), retorno da Cide, intensificação de capital de giro, assaltos (só é Porto Alegre, a média em 2015 é de cerca de 40 a cada mês), licenças ambientais e custos sociais laborais.  A este fato somam-se discrepâncias entre as margens de ganho aplicadas no atacado (distribuidoras), que chegam a variar mais de R$ 0,15 entre uma e outra e mais de R$ 0,30 entre postos vinculados à mesma distribuidora, apenas que em cidades diferentes.

O posto revendedor de combustíveis é o último elo desta cadeia e o mais frágil, tendo que informar ao consumidor de fatos que não são de sua responsabilidade bem como assumir funções que são do Estado, quando este não tem condições de bancar. A cada aumento no custo do produto, necessariamente repassado ao consumidor, já que as margens de ganho praticadas são justas, aumenta o desgaste da imagem somente deste elo da cadeia e a consequente diminuição das vendas. Assim como o consumidor final, os postos acumulam prejuízos em razão de queda em suas vendas e ainda são injustamente acusados de praticarem preços abusivos ao consumidor.

O Sulpetro ressalta que o mercado é livre e competitivo em todos seus segmentos, cabendo a cada posto revendedor decidir se irá repassar ou não os aumentos ao consumidor, bem como em qual percentual, de acordo com suas estruturas de custo.

Impostos: ICMS sobre combustíveis sobe em 16 estados em 2016. Alíquotas variam de 15% a 30%

Impostos: ICMS sobre combustíveis sobe em 16 estados em 2016. Alíquotas variam de 15% a 30%

Direito do Consumidor Economia Negócios Notícias

A partir do próximo ano, entram em vigor as novas alíquotas de ICMS de combustíveis para 16 estados brasileiros, incluindo o Rio Grande do Sul. No Estado, o imposto sobe de 25% para 30% sobre a gasolina, o etanol anidro e hidratado, a partir de 1º de janeiro de 2016. Com o aumento, o RS fica apenas atrás do Rio de Janeiro na cobrança da alíquota, onde são recolhidos 30% de ICMS e mais 1% do Fundo Estadual de Combate à Pobreza (FEE) sobre a gasolina.

Confira na tabela abaixo as novas alíquotas:

Vigência UF Biodiesel B100 Etanol Anidro Combustível Etanol Hidratado Combustível Gasolina Gasolina Aviação GLP Óleo Combustível Óleo Diesel Querosene Aviação
01/01/2016 AL 25% 25% 29%
07/01/2016 AM 18% 18% 18% 18%
01/03/2016 CE 29% 29%
01/01/2016 DF 28% 28% 28% 15%
01/01/2016 GO 30%
01/01/2016 MA 18% 18%
01/01/2016 MS 17%
01/01/2016 PB 18% 23% 23% 29% 18% 18% 18% 18%
01/01/2016 PE 18% 23% 23% 29% 18% 18%
01/01/2016 PI 19% 19% 27% 27% 27%
01/02/2016 PR 27%
29/01/2016 RN 27% 23% 29% 27% 18% 18% 18% 18%
01/01/2016 RS 30% 30% 30% 18% 18% 18%
01/01/2016 SE 29% 18% 18% 18% 18%
01/01/2016 TO 18% 29% 29% 29% 18% 18% 18%

 

 

 

 

Sulpetro adere ao projeto que amplia acesso gratuito à internet

Sulpetro adere ao projeto que amplia acesso gratuito à internet

Cidade Comunicação Notícias Política Porto Alegre prefeitura
O Sindicato Intermunicipal do Comércio Varejista de Combustíveis e Lubrificantes no Estado do Rio Grande do Sul (Sulpetro) firmou parceria nesta sexta-feira, 4, ao projeto Porto Alegre Livre, que tem o objetivo de ampliar o acesso gratuito à internet na cidade. O termo de apoio institucional foi assinado pelo secretário municipal de Direitos Humanos, Luciano Marcontônio, e pelo presidente da Sulpetro, Adão Oliveira. O ato realizado na sede da Companhia de Processamento de Dados do Município de Porto Alegre (Procempa) foi acompanhado pelo presidente da empresa, Mario Teza, o diretor administrativo, Marco Antônio Seadi, e o chefe de gabinete, José Antônio Dias Tavares.
Para espalhar wi-fi grátis pela cidade, a prefeitura está estimulando a participação de estabelecimentos privados, como lojas, bares e restaurantes. “Aqueles que se tornarem parceiros terão a marca da sua empresa divulgada no site do projeto e sua localização indicada no mapa virtual da cidade, como um ponto de wi-fi grátis Porto Alegre Livre”, destacou Teza.
Ao assinar do documento, Oliveira afirmou que parceria é relevante por permitir que as revendas de combustíveis da Capital ofereçam mais uma forma de serviços aos consumidores. “O Sulpetro se engaja em firmar parcerias que beneficiem seus associados e a comunidade. Com esta, os postos que aderirem também serão beneficiados com mais um atrativo para seus clientes”, afimou o presidente da Sulpetro.
Conforme dados da Sulpetro, Porto Alegre conta atualmente com 290 postos de combustíveis.
Como funciona o Porto Alegre Livre – As empresas interessadas em compartilhar o sinal wi-fi devem realizar o cadastro no site www.portoalegrelivre.com.br. Em seguida, os dados da empresa passarão por uma avaliação e a marca da empresa será divulgada no site do projeto como um apoiador da ideia. O estabelecimento será marcado no mapa da cidade com um ponto wi-fi grátis Porto Alegre Livre. Além disso, o usuário conseguirá visualizar, em seu dispositivo móvel, a rede com o nome de seu estabelecimento.
Entidades parceiras – Além da Sulpetro, já assinaram o termo de apoio institucional ao projeto o Sindicato dos Lojistas do Comércio de Porto Alegre (Sindilojas); a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação – Regional RS (Assespro-RS); a Associação das Empresas de Transporte de Passageiros de Porto Alegre (ATP); a Associação Sul-Riograndense de Apoio ao Desenvolvimento de Software (Softsul); o Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre e Região (Sindha); a Associação Software Livre (ASL) e o Sindicato das Empresas de Informática do Rio Grande do Sul (Serprogs).
A iniciativa conta ainda com o apoio da Secretaria Estadual da Justiça e dos Direitos Humanos, da Unesco Mercosul, do Comitê Gestor da Internet no Brasil, do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR, da Associação Software Livre e da Softsul.
Pontos do Porto Alegre Livre
 
–  Mercado Público
– Largo Glênio Peres
– Praça XV de Novembro
– Praça da Alfândega
-Theatro São Pedro
– Usina do Gasômetro
– Largo Zumbi dos Palmares
– Casa do Gaúcho – Parque Maurício Sirotsky Sobrinho (Harmonia)
– Parque Marinha do Brasil
– Parque Farroupilha (Redenção)
– Parque Moinhos de Vento (Parcão)
– Pista de Skate IAPI
– Praça Esplanada da Restinga
– Estação Aeroporto da Trensurb/Terminal Salgado Filho do Aeromóvel
– Terminal Parobé
Fortunati e representantes do setor de combustíveis serão homenageados com Prêmio Coopetrol

Fortunati e representantes do setor de combustíveis serão homenageados com Prêmio Coopetrol

Economia Negócios Notícias Poder Política

Para encerrar o 18º Congresso Nacional e Latino-Americano de Revendedores de Combustíveis em grande estilo — evento que acontece entre os dias 24 e 27 de setembro, em Gramado —,  autoridades e representantes do segmento da revenda de combustíveis receberão o Prêmio Coopetrol. A homenagem é concedida àquelas autoridades e personalidades do setor que se destacam com trabalhos e atitudes em benefício da categoria. A entrega da distinção será realizada durante o Jantar de Confraternização, na noite de 26 de setembro, no Wish Serrano Resort & Convention.

Na categoria Regional, será agraciado o ex-revendedor Marcelo Gonçalves Louzada. Natural de Porto Alegre, o engenheiro mecânico foi empresário do ramo varejista de combustíveis por quase 20 anos. Também foi diretor regional e vice-presidente do Sulpetro. Entre as iniciativas de destaque no setor estão a idealização e a concretização do primeiro MBA em Gestão do Varejo de Combustíveis, desenvolvido em parceria com a Unisinos, desde 2014.

O troféu Nacional será concedido ao prefeito de Porto Alegre, José Fortunati. O político liderou, no ano passado, por intermédio da Secretaria Municipal de Turismo, o projeto para a implantação dos Pontos de Orientação e Informação Turística da Capital (Points). Durante a Copa do Mundo de 2014, revendas de combustíveis contaram com os Points durante os jogos mundiais de futebol, buscando facilitar o acesso dos visitantes às informações turísticas e a materiais de orientação na cidade, estimulando a visitação a atrativos e maior permanência do turista em Porto Alegre.

E o Prêmio Internacional será entregue ao mexicano José Angel García Elizondo, presidente da Organização Nacional de Varejistas de Petróleo (Onexpo). Atualmente, ele está à frente da Direção de Operações do Grupo Garel, fundado por seu pai, José Angel García Hernández, que é ex-presidente da Onexpo Nacional. Ele, o pai e a irmã atuam no grupo, integrando o Conselho Diretivo da empresa, que gera mais de 1.000 empregos nas 116 estações de serviços, distribuidoras, transporte e lojas de conveniências, localizadas principalmente na Zona Nordeste do México. Também foi presidente da Comissão Latino-americana de Empresários de Combustíveis (Claec).

O 18º Congresso Nacional e Latino-Americano de Revendedores de Combustíveis é uma realização do Sulpetro e da Coopetrol, em parceria com o Sindicombustíveis/PR, Sindipetro/SC, Sindipetro Serra Gaúcha, Fecombustíveis e Claec. Mais informações em www.congressorevendedor.com.br e facebook.com/congressorevendedor.

Programação diversificada marca o 18º Congresso Nacional e Latino-Americano de Revendedores de Combustíveis

Programação diversificada marca o 18º Congresso Nacional e Latino-Americano de Revendedores de Combustíveis

Agenda Economia Negócios Notícias Política

Concorrência no mercado de combustíveis, gestão de perdas, meio ambiente e o cenário  internacional do segmento varejista de combustíveis são alguns dos principais temas que estarão em debate durante o 18º Congresso Nacional e Latino-Americano de Revendedores de Combustíveis. O tradicional evento da revenda de combustíveis acontece entre os dias 24 e 27 de setembro, no Wish Serrano Resort & Convention, em Gramado, na Serra gaúcha.

De forma paralela ao Congresso, acontece a feira de produtos e serviços, exibindo lançamentos, equipamentos, marcas e tendências mercadológicas para o setor. O Congresso também é a oportunidade de confraternizar com os representantes de toda a cadeia produtiva de combustíveis, de encontrar agentes públicos e de discutir questões de interesse do segmento. “Haverá uma diversificada programação, incluindo a apresentação de assuntos técnicos, a realização de palestras motivacionais e a participação de dirigentes de entidades ligadas ao ramo de combustíveis da América Latina”, adiante o presidente do Sulpetro, Adão Oliveira.

O Congresso é uma realização do Sulpetro e da Coopetrol, em parceria com o Sindicombustíveis/PR, Sindipetro/SC, Sindipetro Serra Gaúcha, Fecombustíveis e Claec. Mais informações em www.congressorevendedor.com.br e facebook.com/congressorevendedor.