Comissão do impeachment vai ter reuniões de segunda a sexta. Prazo de dez sessões para a Defesa de Dilma deve vencer já em início de abril

Comissão do impeachment vai ter reuniões de segunda a sexta. Prazo de dez sessões para a Defesa de Dilma deve vencer já em início de abril

Notícias Poder Política

O presidente da comissão especial que vai analisar o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, deputado Rogério Rosso (PSD-DF), disse hoje que o colegiado pode concluir os trabalhos em até 30 dias. A meta, afirmou, é fazer reuniões de segunda a sexta-feira. O parlamentar vai passar o fim de semana na Câmara dos Deputados finalizando um cronograma que deve ser votado na reunião marcada para a próxima segunda-feira, dia 21.

“Dada a complexidade do tempo, a necessidade de respeitar a Constituição e ser o mais preciso possível para trazer ao plenário da Câmara um relatório substanciado em fatos, a ideia é fazer o maior número de reuniões”, explicou. A proposta do deputado é aproveitar inclusive as dez sessões plenárias que contarão como prazo para a entrega da defesa de Dilma e marcar reuniões para ouvir técnicos, juristas e entidades sobre o processo.

Contagem

Com a atípica sessão ordinária aberta hoje pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), foi iniciada a contagem do prazo para o Palácio do Planalto se manifestar. Cunha quer agilidade e já anunciou que o plenário volta a se reunir nos três dias úteis da próxima semana, véspera do feriado da Semana Santa. Com esta agenda, faltarão seis sessões.

“Na outra semana [depois dos feriados], se forem sessões de segunda a sexta, serão mais cinco e faltaria mais uma na outra semana”, calculou Rosso. A oposição fechou uma espécie de força-tarefa para se revezar e garantir quórum todos os dias.

Com os argumentos de Dilma em mãos, o relator do processo, deputado Jovair Arantes (PTB-GO), vai ter cinco dias para concluir um parecer autorizando ou não a instauração da denúncia. O texto precisa ser aprovado pela maioria simples do colegiado – metade mais um dos deputados -, que soma 65 titulares e o mesmo número de suplentes. A decisão final é dada pelo plenário da Câmara e, se aprovado, segue para o Senado decidir se julga a presidente. (Agência Brasil)

Sartori destaca ajuda de voluntários ao atingidos pelas cheias no RS. Governador sobrevoou áreas afetadas pela chuva e vistoriou Central de Doações

Notícias
Governador sobrevoou áreas afetadas pela chuva e vistoriou Central de Doações  | Foto: Daniela Barcellos / Palácio Piratini / CP

Governador sobrevoou áreas afetadas pela chuva e vistoriou Central de Doações | Foto: Daniela Barcellos / Palácio Piratini / CP

O governador do Estado, José Ivo Sartori, sobrevoou neste domingo as regiões alagadas pela chuva na região Metropolitana e nas ilhas. Sartori, que também acompanhou o trabalho da Defesa Civil na Central de Doações, localizada no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff), em Porto Alegre, destacou o auxílio de voluntários das comunidades aos flagelados.

“Neste momento difícil que estamos vivendo, a colaboração da comunidade tem sido fundamental, porque sozinho o Estado não teria condições de resolver com agilidade tantos problemas a serem enfrentados pelas pessoas em dezenas de municípios gaúchos”, assinalou Sartori.

Sartori manifestou ainda a preocupação também com os prejuízos causados às lavouras de soja, trigo e arroz, com as intensas chuvas que já atingiram o Rio Grande do Sul e, segundo as previsões, devem continuar nos próximos dias.

O trabalho feito na Central de Doações é 24 horas e realiza a separação e o envio do material para as famílias atingidas pela chuva e pelas cheias. Até a manhã deste domingo, 26 municípios já decretaram situação de emergência e estão sendo atendidos com ajuda humanitária, recebendo milhares de kits de alimentos providenciados pelo governo estadual. Aproximadamente 25 mil telhas também já foram entregues e, conforme o coordenador da Defesa Civil, outras 20 mil já estão a caminho para serem entregues nesta semana.

Um dos critérios para a entrega dos materiais de ajuda é o número de desabrigados do local. Mas todos estão recebendo auxílio, “inclusive os municípios que ainda não oficializaram o decreto de situação de emergência”, ressalta o tenente-coronel da Casa Militar, Everton Oltramari.

De acordo com Oltramari, mais seis municípios devem integrar a lista nas próximas horas. Oltramari destacou a importância da ajuda recebida de voluntários, Exército, escoteiros e até de escolas das cidades, onde as chuvas provocaram estragos e desalojaram milhares de pessoas. (Correio do Povo)

 

Governo federal libera FGTS para atingidos pela enchente no RS. Ministro Miguel Rossetto visitou Eldorado do Sul

Notícias Política
Governo federal libera FGTS para atingidos pela enchente no RS | Foto: Mauro Schaefer

Governo federal libera FGTS para atingidos pela enchente no RS | Foto: Mauro Schaefer

O ministro do Trabalho e Previdência Social, Miguel Rossetto, visitou durante a tarde deste domingo uma das cidades gaúchas atingidas pelas recentes chuvas no Estado: Eldorado do Sul. De acordo com informações da Defesa Civil, 8 mil casas foram afetadas pela enchente e 3 mil pessoas estão fora de casa. Na tentativa de amenizar as dificuldades, o governo federal confirmou a liberação do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no limite de R$ 6,2 mil.

Segundo Rossetto, a projeção é de que a Caixa Econômica Federal libere os recursos em 15 dias. Além disso, o governo federal antecipou o pagamento do Bolsa Família para as cidades que decretaram situação de emergência. Mais de R$ 7,2 milhões foram liberados para quem faz parte do programa. Quarenta e oito famílias do Estado serão beneficiadas.

Rossetto aproveitou a visita para conversar com moradores. Em Eldorado do Sul, ainda há muitas ruas alagadas, principalmente no bairro Cidade Verde, um dos mais afetados pela enchente. O ministro ainda acompanhou o trabalho do posto móvel da Defesa Civil.

Além de Eldorado, Rossetto visita Sapucaia do Sul e Canoas. O segundo município anunciou que 30 mil casas foram afetadas pela chuva dos últimos dias. Pelo menos 18 mil famílias buscaram socorro junto à prefeitura desde quarta-feira. (Mauren Xavier/Correio do Povo)

RS segue com risco de temporais e granizo nesta sexta-feira

RS segue com risco de temporais e granizo nesta sexta-feira

Notícias Previsão do Tempo

Muitas nuvens permanecem sobre o Rio Grande do Sul nesta sexta-feira, com chuva em diversas regiões. O Centro do Estado e o Nordeste gaúcho seguem sob uma frente semi-estacionária, na área de transição entre ar mais quente de Norte e ar frio ao Sul, o que traz risco de mais chuva forte e granizo com raios a qualquer hora. No fim da noite, precipitação congelada causou estragos no Vale do Sinos. No Norte e no Noroeste ocorrem pancadas de chuva, mas podem ocorrer aberturas de sol com abafamento. Já no Sul e parte do Oeste, o sol também pode aparecer com nuvens em meio a períodos de céu nublado com temperatura amena.

As mínimas rondam os 12°C em Santana do Livramento e os 13°C em Pelotas. As máximas, por sua vez, podem chegar a 27°C em Santa Rosa. Em Porto Alegre, os termômetros variam entre 15°C e 19°C.

Choveu forte na Serra com 50 a 70 mm nas regiões de Caxias e Veranópolis, nesta quinta-feira. Em Ausentes, a chuva bateu 100 mm. Temporais de granizo outra vez foram registrados e elevado o número de municípios, com registro do fenômeno para mais de 130 na soma de quarta e quinta. Em Novo Hamburgo, 50 casas tiveram telhados danificados.

Na hora em que caía granizo na Capital e cidades do Vale do Rio Pardo à tarde fazia quase 34ºC no Noroeste enquanto na Serra do Sudeste a temperatura era de 12ºC. Isso porque frente semi-estacionária estava no Centro e no Nordeste do Estado entre o ar frio de Sul e massa de ar muito quente ao Norte.

O fluxo de ar quente de Norte é o “combustível” pra formação de nuvens carregadas e tende a aumentar com o reforço da massa de ar quente no Sul do Brasil no fim de semana e na próxima semana. Por isso, o alerta para a intensificação da instabilidade nos próximos dias com volumes muito altos de chuva e novos temporais de vento forte, raios e, principalmente, granizo. (Metsul/Correio do Povo – Foto: Joel de Brito/Diário de Sarandi/CP)