Porto Alegre: Vereador Valter Nagelstein acusa “esquerdalha, do PT, Psol, PC do B…”de pichar residência onde vive com a família

Porto Alegre: Vereador Valter Nagelstein acusa “esquerdalha, do PT, Psol, PC do B…”de pichar residência onde vive com a família

Cidade Destaque Direito Poder Política Porto Alegre prefeitura

Em um post no Facebook, com o título: “Quando nem a casa de um homem e de uma família são respeitados…” , o vereador Valter Nagelstein revela que a residência onde vive com a família no bairro Petrópolis, teve o  muro pichado na madrugado desse domingo. No texto ele acusa simpatizantes e partidos de esquerda pelo ato: “Essa é a esquerdalha, do PT, Psol, PC do B, os que falam em cultura de paz mas fazem isso aí. A paz deles é a paz da Venezuela, do partido único, da visão única.”

valter_nagelstein
Valter Nagelstein

Nagelstein, já pediu a STV, empresa particular de segurança que faz monitoramento por vídeo da casa, imagens da área externa na madrugada deste domingo. O vídeo deverá ser entregue nesse domingo. Segundo o vereador, se for possível uma identificação positiva dos pichadores, o caso será levado a Polícia Civil.

Na nota publicada nas redes sociais, Nagelstein garante que a agressão contra a residência não desestimulará no trabalho que faz na Câmara em diferentes causas:  “Sempre te agridem com o propósito de a qualquer reação possam te acusar de violento, “fascista”. Continuarei fazendo como sempre fiz: de mim nunca partirá a agressão, mas a resposta na forma de duras palavras que mostrem a verdade isso eles continuarão tendo.

Ah, e vcs que imprimem minhas postagens e distribuem na prefeitura pra angariar militância, lembrem: temos votações importantes na Câmara nos proximos dias, e aonde estiver essa gente que me ataca, no outro lado e a favor da sociedade trabalhadora, do contribuinte que paga muito e nao recebe quase nada, da verdadeira liberdade, dos valores morais, do bem, lá estarei eu.”

PMDB, PTB, PP e DEM querem presidir Parlamento da Capital e PT reage; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba

PMDB, PTB, PP e DEM querem presidir Parlamento da Capital e PT reage; por Voltaire Porto/Rádio Guaíba

Agenda Cidade Destaque Direito Poder Política Porto Alegre

Já é pública a informação de que quatro partidos firmaram acordo estabelecendo um rodízio para presidir a Câmara Municipal de Porto Alegre a partir do próximo ano. Pelo combinado, ficou definido que PMDB, PTB, PP e DEM se revezarão no comando da Casa nos próximos quatro anos. O vereador Valter Nagelstein, do PMDB, deve ser o presidente em 2107, seguido de Elizandro Sabino, do PTB, em 2018. Já o PP definirá entre Mônica Leal ou José Carlos Nedel pra 2019 e, em 2020, Reginaldo Pujol será o presidente pelo DEM.

Entretanto, as bancadas mais volumosas do próximo mandato são: PMDB (cinco vereadores) e PP, PTB e PT (todos com quatro vereadores). Ou seja, o DEM não faz parte deste leque e, tradicionalmente, o rodízio sempre envolveu as quatro maiores bancadas. O que ocorre é que normalmente as quatro bancadas mais numerosas atingem a maioria absoluta da Casa, de 19 vereadores. Porém, na próxima legislatura, elas vão contabilizar 17.

Esta situação abriu uma brecha para o acordo estipulado e, com isso, o PT ficou de fora do rodízio rompendo a tradição do comando da Câmara Municipal permanecer sobre o alcance das quatro maiores bancadas. O DEM formou um bloco com partidos com um ou dois vereadores para se alçar ao posto. A expulsão do PT do rodízio não foi aceita por vereadores da sigla.

Sofia Cavedon, do PT, já chegou a presidir a Casa e a parlamentar sustenta que nada justifica a exclusão da legenda. Segundo ela, acordos sem transparência ou diálogo não resistem aos preceitos do Parlamento, que é proporcional, conforme regimento interno. Já Adeli Sell, também do PT, subiu o tom e voltou a declarar que este fato é inaceitável.

“A sensatez ao respeitar o regimento interno deve imperar e situações casuísticas não serão aceitas. Não somos contra formação de blocos, mas não se pode romper uma tradição sem um diálogo aberto e a anuência dos envolvidos”, lamentou.

Adeli mantém contato com lideranças do PSB, PSD e PROS, que teriam se aproximado do DEM para dar sustentação à presidência do democrata Reginaldo Pujol.

Porto Alegre: Tinga é agraciado com Título de Cidadão Emérito da Capital

Porto Alegre: Tinga é agraciado com Título de Cidadão Emérito da Capital

Cidade Comunicação Direito Educação Esporte Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura
A Câmara Municipal concedeu, na noite desta terça-feira (26/4), o Título de Cidadão Emérito de Porto Alegre ao ex-jogador de futebol Paulo Cesar Fonseca do Nascimento, mais conhecido como Tinga. Proposta pelo vereador Valter Nagelstein (PMDB), a homenagem foi dirigida pelo presidente do Legislativo, Cassio Trogildo (PTB), e é fruto do reconhecimento de sua trajetória profissional no futebol e luta pela inclusão social, igualdade e conscientização contra o racismo. No inicio da Sessão Solene, ao destacar os feitos de Tinga, Nagelstein enfatizou a entrega do jogador à sua

imagem62719
Proponente da homenagem, vereador Valter Nagelstein, na tribuna do plenário. Foto: Matheus Piccini/CMPA

profissão. “Ele joga com o coração na chuteira, uma postura que falta na sociedade, homens com esse tipo de caráter”, disse. O vereador ainda destacou que a proposição da homenagem foi sugerida com muito cuidado. “Essa homenagem é para valorizar aqueles que de fato merecem tamanha honraria. Saudamos hoje o cidadão emérito de Porto Alegre Paulo Cesar Fonseca do Nascimento, o atleta, pai de família e o ser humano, que, mesmo depois de abandonar os gramados, continuou se dedicando às tarefas de cidadania de inclusão e promoção”, concluiu o Nagelstein.

imagem62721
Prefeito José Fortunati. Foto: Matheus Piccini/CMPA

Em seu discurso, o prefeito José Fortunati relatou que Tinga é um dos poucos atletas que conseguiram êxito nos dois principais clubes gaúchos pelos quais passou, Grêmio e Internacional. “Ele venceu esse Grenalismo exagerado e se tornou um profissional que é respeitado pelas torcidas. Aprendi a conhecê-lo e respeitá-lo muito”, disse, ao lembrar que, mesmo estando no clube Cruzeiro em Belo Horizonte, seus olhos estavam voltados para Porto Alegre. “Ele é um cidadão preocupado com as questões sociais, especialmente na luta contra o preconceito e racismo, quando a sociedade se mostra cada vez mais intolerante”, finalizou.

Tinga afirmou ser muito orgulhoso da sua história. “Uma das coisas que sempre busquei na minha vida foi ser respeitado, não ser ídolo. Quando era pequeno tive todas as oportunidades de ter escolhido um outro caminho, mas vi no exemplo da minha mãe a oportunidade de seguir em frente através do trabalho”, disse emocionado. O jogador lembrou que vê muitas pessoas falando que não alcançaram seu sonhos porque não tinham pai ou mãe e salientou que cada um de nós faz suas escolhas, sua história. “Acima de tudo, penso que o atributo principal da convivência humana é a tolerância”, concluiu. Prestigiaram a sessão a esposa de Tinga, Milene Nascimento; representando o Ministério Público, o  procurador de justiça Keller Dornelles Clós; o vice-presidente do Sport Club Internacional, Emídio Ferreira; o presidente da Associação Riograndense de Imprensa, jornalista João Batista de Melo Filho, e a deputada estadual Regina Becker.
Trajetória 
imagem62724
Título de Cidadão Emérito de Porto Alegre ao Senhor Paulo Cesar Fonseca do Nascimento – Tinga. Foto: Matheus Piccini/CMPA

Nascido em Porto Alegre, no dia 13 de janeiro de 1978, no Bairro Restinga, na Zona Sul de Porto Alegre, Paulo César Tinga começou sua carreira no Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, no qual disputou três edições da Copa Libertadores da América e conquistou, entre outros títulos, a Copa do Brasil, em 1997 e 2001. Depois, jogou pelo Kawasaki Frontale (Japão) e pelo Botafogo (ambos por empréstimo junto ao Grêmio), retornou ao Tricolor Gaúcho e, em 2004, foi vendido ao Sporting (Portugal).

Em 2005, Tinga retornou ao futebol brasileiro para jogar no Internacional. Em 2006, o jogador se apresentou ao Borussia Dortmun (Alemanha) e, em maio de 2010, se despediu do clube, para retornar  ao Internacional, no qual conquistou novamente a Copa Libertadores da América em 2010 e o Campeonato Gaúcho em 2011, além da Recopa Sul-Americana de 2011. Em 2012, Tinga atuou no Cruzeiro Esporte Clube de Minas Gerais, onde encerrou sua carreira.