Duda Melzer no Clube de Opinião; por Julio Ribeiro/Adonline

Duda Melzer no Clube de Opinião; por Julio Ribeiro/Adonline

Cidade Comunicação Cultura Direito do Consumidor Economia Entrevistas Negócios Notícias Poder Política Vídeo

 

 

O presidente do Grupo RBS, Duda Melzer, esteve reunido hoje com integrantes do Clube de Opinião de Porto Alegre. Falou sobre vários assuntos. Abaixo, o texto assinado pelo presidente do Clube de Opinião, Julio Ribeiro (Revista Press/Advertising) e publicado no site Adonline. Duda negou veementemente que exista alguma possibilidade que a RBS Rio Grande do Sul seja vendida. “Isto é uma grande bobagem que se diz.” Confira acima na íntegra a resposta dele ao questionamento feito por Juliano Tonial (Band).

===================================================

Muito interessante, simpático e produtivo o encontro que os jornalistas do Clube de Opinião do RS tiveram nesta terça-feira, no Plaza São Rafael, em Porto Alegre, com o presidente do Conselho de Administração do Grupo RBS, Eduardo Melzer.

Durante as duas horas do encontro, que contou com a participação de 20 jornalistas, Duda falou de sua carreira e trajetória pessoal até chegar ao mais alto posto do grupo de comunicação gaúcho e respondeu, sem qualquer restrição, a todas as perguntas feitas pelos participantes do Clube.

A seguir, algumas das coisas que foram ditas por ele:

AZAR OU SORTE
Perguntado se não se sentia azarado por ter assumido a direção do Grupo, justamente quando a indústria da comunicação passa por uma crise conceitual no mundo todo, com os negócios de mídia sendo colocados de cabeça pra  baixo, Duda disse se sentir super privilegiado por estar nesta posição, neste momento. “Tenho condições de liderar nosso grupo neste momento” frisou, ao salientar que se preparou durante muito tempo para esse desafio.

SONHO DE GURI
Ele disse que seu maior sonho sempre foi, um dia, trabalhar na RBS. Foi um sonho alimentado, diariamente, no convívio com o avô, Maurício Sirotsky Sobrinho, fundador da empresa, com quem aprendeu, durante cerca de 14 anos, os princípios que continuam norteando as ações e a postura da RBS.

Mas, antes de chegar a ocupar um cargo na empresa, teve que empreender seu próprio negócio (franquias  da Swet Swet Way), estudar fora do país e iniciar uma carreira no exterior. A primeira proposta de trabalho da RBS só veio quando ele tinha 30 anos e trabalhava em Nova York. “Naquele momento, no entanto, a proposta era para um cargo com escopo muito reduzido e me causou uma reversão de expectativas”, disse ele. Só dois anos depois, foi desafiado a assumir a direção do escritório paulista do Grupo. Não apenas aceitou o cargo, como teve, a partir dele, mostrar que era capaz de voos mais altos dentro da empresa.

DEMISSÃO
Ele se disse impressionado com a capacidade de se produzir noticias falsas a respeito da RBS, a maioria fruto de falta de informação ou de má vontade com a empresa. Uma delas, que circulou há cerca de um ano, dizia que Duda Melzer estaria sendo demitido da RBS. “Como pode ter surgido uma noticia falsa como essa, justamente no momento em que eu estava mais fortalecido do que nunca dentro da empresa, acumulando a presidência do Grupo e a  presidência do Conselho de Administração!?”.

Eduardo Sirotsky Melzer
Duda Melzer no Clube de Opinião Foto: Marcos Nagelstein/Agência Preview

VENDA DE SANTA CATARINA
A venda das operações do Grupo em Santa Catarina, também, foi objeto de questionamentos pelos participantes do encontro. Ele disse que a empresa já vinha sendo assediada, há mais de dois anos, por dois investidores, interessados nas operações de SC. Sempre houve recusa, mas neste ano eles fizeram uma proposta irrecusável e ai houve consenso na família de que o negócio devia ser feito. “Vamos concentrar todos os nossos esforços e investimentos em comunicação no RS, voltando às nossas origens e fortalecendo ainda mais nossas posições”, disse ele.

VENDA PARA A GLOBO
Sobre boatos de que a RBS TV estaria sendo vendida para a Globo, ele foi enfático: “Quem fala uma coisa dessas, não conhece sequer a legislação brasileira, que impediria esse tipo de transação. A RBS RS não está à venda e não será vendida para a Globo ou qualquer outro investidor. Esse é um negócio da família e vai continuar sendo”, concluiu.

CRISE DA MÍDIA
Questionado sobre o destino dos veículos de mídia impressa, especialmente Zero Hora, ele salientou que “nunca se leu tanto ZH como hoje”. “Antes se lia ZH todos os dias, agora se lê ZH o dia todo”, frisou Duda. Ele também disse que a empresa não está no negócio de papel e sim no de produção de conteúdo relevante e que se o mercado apontar para o fim do impresso, não haverá razão para não mudar.

OPERAÇÃO ZELOTES
Obviamente, esse seria um assunto a ser perguntado e Duda Melzer fez questão de se antecipar: “Podem me perguntar o que quiserem, inclusive sobre a Zelotes”.

Sobre a operação da PF, ele disse que não há multa alguma. “Na hora certa, as coisas vão aparecer. Estamos lá na Zelotes, e se estamos lá tem uma razão pra isso, mas eu estou tranquilo que as coisas vão se resolver e a verdade vai poder ser dita”.

CADÊ O PRÉVIDI
Uma das primeiras coisas que Duda Melzer fez ao sentar à mesa com os membros do Clube de Opinião foi perguntar pelo jornalista José Luiz Prévidi, que em seu blog costuma se referir ao presidente da RBS como comedor de sucrilhos e tomador de nescauzinho. “Eu até ia trazer uma caixa de sucrilhos pro Prévidi, é uma pena que ele não esteja aqui, gostaria muito de conhecê-lo, porque ele fala muitas coisas a meu respeito, sem que nunca tenhamos nos apresentado”.

Quando a reunião estava quase terminado, o presidente do Clube de Opinião, Julio Ribeiro recebeu uma ligação do José Luiz Prévidi e aproveitou a ocasião para colocar o Duda na linha. Eles conversaram sob o aplauso e as gargalhadas dos colegas jornalistas presentes.

“Eu faço questão de te conhecer e de conversar contigo, seja na RBS ou na tua casa, onde quiseres, pra que eu possa te responder a todos os teus questionamentos e aclarar o que for preciso a meu respeito e da RBS”, propôs Duda.

Durante o encontro, ele informou o número do seu celular pessoal e seu email para que todos os jornalistas do Clube pudessem contatá-lo diretamente, quando precisassem. Ah, e pediu que o número fosse repassado ao Prévidi.