“Talvez eu nunca mais tenha oportunidade de ser prefeita de Porto Alegre”, avalia Manuela D’Ávila Manuela D’Ávila Foto: AL/RS

“Talvez eu nunca mais tenha oportunidade de ser prefeita de Porto Alegre”, avalia Manuela D’Ávila

Primeira colocada em pesquisas de intenção de voto para a Prefeitura de Porto Alegre, a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB) admitiu hoje que a decisão de não concorrer nas eleições municipais pode impossibilitar seu desejo de um dia administrar a cidade. Apesar da hipótese, Manuela garante estar tranquila da decisão anunciada na noite dessa quarta-feira (17), uma vez que sua prioridade é o cuidado e atenção a sua filha recém-nascida.

“Evidente que eu ponderei o fato de que talvez eu nunca mais tenha oportunidade de ser prefeita de Porto Alegre, e mesmo assim eu tomei essa decisão com absoluta certeza e tranquilidade. Porque, da mesma forma que talvez eu nunca mais seja prefeita de Porto Alegre, e isso é uma hipótese, eu tenho certeza que minha filha jamais voltará a ter seis, sete meses, e isso não é uma hipótese”, analisou Manuela, que já disputou o cargo nas últimas duas eleições.

Com o anúncio oficial de que não concorrerá, a expectativa paira agora sobre o apoio da deputada e de seu partido nas eleições. Segundo ela, a definição só ocorrerá após os nomes dos pré-candidatos serem colocados no tabuleiro eleitoral, evitando por exemplo indicar um apoio à uma candidatura comandada pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

Segundo o presidente estadual do PT, Ary Vanazzy, “isso ainda não foi discutido com o PCdoB, mas evidentemente queremos que a sigla esteja com a gente”. O PT trabalha hoje com os nomes de Henrique Fontana, Maria do Rosário, Olívio Dutra e Raul Pont para a cabeça de chapa da disputa, sendo este último o que hoje tem maiores chances de ser escolhido para a disputa.

Mesmo que se confirme o apoio de Manuela a uma candidatura petista, o ex-prefeito de Porto Alegre, Raul Pont, projeta que não haja uma transferência automática das intenções de voto. “Em política ninguém transfere voto automaticamente. Isso é provado cientificamente. A empatia, a relação que as pessoas têm com uma figura, isso tem peso, mas outras coisas devem ser incorporadas, por isso não há uma transferência automática”, disse o ex-gestor da Capital. O PT pretende definir o seu candidato até o fim de março.

A mesma pesquisa que colocou Manuela D’Ávila como primeira colocada, realizada pelo jornal Correio do Povo em parceria com Instituto Methodus, apontou Luciana Genro (PSOL) como segunda colocada. Para Luciana, ao menos parte dos votos que seriam concedidos à Manuela serão destinados aos socialistas. “Eu vejo que os votos que a Manuela teria em geral são votos de pessoas que buscam uma renovação na política e essa renovação é muito bem representada pelo PSOL”, disse.

Além da já anunciada pré-candidatura de Luciana, o atual vice-prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (PMDB), também já garantiu que disputará o Paço. (Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba – Foto: Marcelo Bertani / Agência ALRS )

Cidade Eleições 2016 Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura