Uber adverte para preços 30% maiores e demora de 15 minutos caso Câmara aprove regulamentação na Capital. Empresa oferece aplicativo, desde ontem, para que usuário simule como fica o serviço caso as regras passem como estão

Uber adverte para preços 30% maiores e demora de 15 minutos caso Câmara aprove regulamentação na Capital. Empresa oferece aplicativo, desde ontem, para que usuário simule como fica o serviço caso as regras passem como estão

Em comunicado disparado para os usuários, desde ontem, sempre que uma corrida é chamada, a empresa Uber adverte que os preços do serviço em Porto Alegre podem ficar 30% maiores, e com espera de até 15 minutos, caso a regulamentação do aplicativo seja aprovada pela Câmara de Vereadores da forma como está. O Legislativo retoma, na manhã desta quinta, o debate sobre o projeto.

Em paralelo, o Uber passou, desde o início da tarde dessa terça, a permitir que os usuários simulem o novo valor das corridas se o projeto de lei for aprovado sem modificações. Para isso, o cliente da empresa deve instalar o aplicativo NovoUber, que também chama a atenção para o risco de maior dificuldade em conseguir um carro, sobretudo em horários de pico.

Para a empresa norte-americana, o projeto de lei torna o serviço ineficiente, criando prejuízos aos usuários e motoristas parceiros, como o pagamento de uma taxa fixa, por exemplo, seja qual for o número de horas e de dias de trabalho que o condutor puder cumprir. A Uber vê como positivos outros modelos de regulamentação, como os de Vitória, São Paulo e Brasília, além de contestar o artigo que exige que o motorista parceiro resida em Porto Alegre e que o veículo seja emplacado na cidade.

Retomada da discussão

A Câmara de Porto Alegre retoma, na manhã desta quinta, a votação do projeto do Executivo que regulamenta os aplicativos de transporte individual de passageiros, como o Uber e os concorrentes Cabify e WillGo. A sessão abre às 9h30min e prossegue à tarde, no Plenário Otávio Rocha.

O esquema de segurança vai ser o mesmo montado em 29 de setembro, quando a matéria começou a ser votada. A partir das 8h30min, serão distribuídas senhas para os representantes dos motoristas de aplicativos e para os taxistas poderem ingressar nas galerias do plenário. Em fim de setembro, quando o debate começou, a Câmara distribuiu 100 senhas a apoiadores e mais 100 a manifestantes contrários ao projeto. Além disso, proibiu o acesso com bandeiras, faixas com mastros e equipamentos sonoros como buzinas, cornetas, tambores e similares.

Às vésperas do pleito em primeiro turno, os vereadores discutiram o texto e votaram a emenda de número 1, aprovada por 16 votos a oito. Apresentada pelos vereadores Bernardino Vendruscolo (PROS), Idenir Cecchim (PMDB) e Dr. Thiago (DEM), ela permite a instalação de equipamentos de áudio e vídeo para gravação das viagens nos carros que trabalhem com aplicativos de celular. No total, foram apresentadas 57 emendas ao projeto, mas uma foi retirada pelo autor, o vereador Clàudio Janta (SD). (Rádio Guaíba)

Cidade Destaque Porto Alegre prefeitura