Uber marca primeira reunião com EPTC sobre viabilidade de aplicativo na Capital

Uber marca primeira reunião com EPTC sobre viabilidade de aplicativo na Capital

Depois de a Uber anunciar que pretende lançar o serviço de carona paga em Porto Alegre até o final do ano, a Prefeitura confirmou hoje que foi contatada pela primeira vez pela direção da empresa norte-americana. Uma reunião foi marcada com uma representante jurídica do aplicativo, em data que o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari, prefere não divulgar. A Uber já está recebendo cadastro de interessados e realizando reuniões há algumas semanas para orientar futuros motoristas do serviço na Capital.

Por enquanto, Cappellari mantém a posição de que qualquer tipo de transporte individual em Porto Alegre sem regulação da Prefeitura seja considerado clandestino e fique sujeito a multa de R$ 5,8 mil. Apesar de a empresa alegar que atende a requisitos da lei federal, o responsável pela EPTC salienta que, por exigir comissão pelas corridas, a Uber precisa de autorização. Ainda, um projeto de lei específico para tentar proibir o aplicativo na cidade está em tramitação na Câmara Municipal.

A Uber já opera em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília, no Brasil, além de centenas de cidades de outros 64 países. A assessoria de comunicação da empresa destacou à reportagem que a resistência de taxistas e do poder público já foi enfrentada em muitos dos locais. Na capital carioca, por exemplo, a lei aprovada para proibir o serviço foi contornada através de liminar judicial. (Bibiana Borba/Rádio Guaíba)

Cidade Comportamento Comunicação Notícias Poder Política Porto Alegre