Vendas do Natal no comércio de Porto Alegre mantêm estabilidade em relação a 2015. Números ainda preliminares, entre 1% e 2% negativos em relação ao Natal passado, podem ser comemorados pelos comerciantes, diante do atual cenário econômico do país

Vendas do Natal no comércio de Porto Alegre mantêm estabilidade em relação a 2015. Números ainda preliminares, entre 1% e 2% negativos em relação ao Natal passado, podem ser comemorados pelos comerciantes, diante do atual cenário econômico do país

A data mais importante para o varejo registrou um índice de vendas semelhante ao do ano passado em Porto Alegre, de acordo com levantamento realizado pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) e Sindilojas. Os números ainda preliminares, entre 1% e 2% negativos em relação ao Natal de 2015, demonstram estabilidade que pode ser comemorada pelos comerciantes, diante do atual cenário econômico do país.

“O fato de termos tido em 2016 mais dias úteis antes do Natal, contribuiu para que as vendas não ficassem ainda mais negativas, uma vez que um maior número de pessoas pode realizar a compra dos presentes para seus amigos e familiares. Isso fez com que o movimento, tanto nas lojas de rua quanto nas de shopping, aumentasse na semana que antecedeu o Natal”, destaca o presidente da CDL Porto Alegre, Alcides Debus. “Os artigos que mais impulsionaram as vendas este ano foram roupas, perfumarias e brinquedos. Nota-se que os consumidores optaram por presentear mais pessoas com valores um pouco mais baixos, deixando o tíquete médio semelhante ao de 2015, em torno de R$ 50,00 por presente”, observa Debus.

Na avaliação do presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse, alguns segmentos conseguiram se destacar e conquistar bons resultados e isso dá fôlego para todo o setor varejista começar um novo ano com a certeza de que temos de continuar trabalhando bastante. “O Natal é o momento mais importante para o varejo e, resgatando a força desta data, fortalecemos o comércio local, oportunizando um incremento nas vendas e geração de empregos”, afirma o presidente do Sindilojas Porto Alegre, Paulo Kruse. (Rádio Guaíba)

Destaque Economia Negócios Porto Alegre