Porto Alegre, segunda, 20 de setembro de 2021
img

Varejo mistura cada vez mais físico e digital

Detalhes Notícia

Notice: Trying to get property 'post_excerpt' of non-object in /home/felipevieira/www/site/wp-content/themes/felipevieira/detalhes-noticia.php on line 263

Inovações como computação cognitiva, wearables, Internet das Coisas e integração entre loja física e virtual já estão delineando o novo cenário dos negócios. Para discutir o futuro do varejo, o diretor de Marketing e Vendas da Lojas Lebes, Otelmo Drebes Júnior, e o sócio da Paim Comunicação e Oito Total Brand, Marcus Paim, participaram da reunião-almoço MenuPoa, desta terça-feira, 26/11, promovida pela Associação Comercial de Porto Alegre.

Na abertura, o presidente da Associação Comercial de Porto Alegre, Paulo Afonso Pereira, observou que o estudo “A próxima fronteira do varejo”, da Cognizant, uma assessoria global com foco no digital, mostra que até 2025 a distinção entre a loja física e a loja virtual desaparecerá. “O avanço tecnológico vem promovendo maior união do físico com o digital e a urgência de adaptação do comércio a esse novo contexto.”

Paim acredita que é um anacronismo dividir clientes entre físico, mais velhos, e digital, mais jovens, porque não é uma questão de geração. “Cada vez mais existe uma fragmentação, onde as gerações se misturam. A forma de ser mais competitivo é tocando a alma do consumidor. O vínculo emocional, o romantismo, resulta de como o cliente é tratado. Isso nada tem a ver com a tecnologia.”

Ele faz uma analogia do varejo com o cinema e teatro. “Antes, o varejo era como o cinema. O consumidor recebia o produto pronto, poderia gostar ou não. Depois, no teatro fechado, a plateia passa a interagir com o ator, aplaudindo ou vaiando. Hoje, com as redes sociais, é como o teatro de rua, com a participação direta do consumidor, quando o erro pode ser fatal.” Paim ressalva que a relação com a equipe é fundamental e deve ser conquistada antes do consumidor. A equipe precisa estar engajada.

Para Drebes Júnior, inovar é colocar o cliente no centro e oferecer soluções, acarinhar. Ele entende que as lojas físicas são e continuarão a ser um ativo importante para os varejistas, independentemente da porcentagem de vendas efetuadas no online. “Nossa rede tem 160 pontos de vendas distribuídos pelo RS, sendo dois em Santa Catarina. Aprendemos no interior a importância da visibilidade e conhecer o cliente pelo nome. Um dos nossos diferenciais é a loja física, além do crediário próprio.”