Porto Alegre, terça, 07 de dezembro de 2021
img

LEVANTAMENTO REALIZADO PELA FARSUL APONTA DESCAPITALIZAÇÃO DO PRODUTOR DE ARROZ

Detalhes Notícia

Um levantamento do financiamento da lavoura arrozeira das últimas dez safras, aponta uma forte descapitalização do produtor rural e a redução do crédito rural controlado e aumento do financiamento nas indústrias, inexistente em 2010 e que hoje responde por mais da metade do total do mercado, juntamente com revendas e cooperativas. O levantamento foi realizado pela Farsul com dados dos custos de Produção do Projeto Campo Futuro (CNA/Esalq-Cepea/Farsul) e foram divulgados durante a 30ª Abertura da Colheita do Arroz, em Capão do Leão/RS.

Em 2010, ano do início da pesquisa, o capital próprio do produtor respondia por 35% do total dos custos. Em 2019, esse percentual caiu para 10%. No mesmo período, o crédito rural controlado recuou de 50% para 20% dos recursos captados. Para o economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, isso demonstra que a capacidade dessa forma de financiamento em atender as necessidades do produtor rural está esgotada.

Por outro lado, a captação de recursos por meio da indústria, inexistente em 2010, agora é responsável por 50% do volume. Apesar de ainda responder por uma pequena parcela, os recursos livres dos bancos privados, que também não aparecia no início do levantamento, em 2019 registrava 5%. Revendas e cooperativas mantiveram 15% dos recursos ao longo do levantamento.

Luz aponta a descapitalização do produtor como o ponto mais sensível do levantamento. A dependência por recursos externos acaba por afetar diretamente no gerenciamento do seu negócio. “O efeito da queda do capital próprio é que ele compra mal os insumos e vende mal seus produtos”, avalia.