Porto Alegre, terça, 07 de dezembro de 2021
img

"É O MOMENTO DE A IGREJA OCUPAR A NAÇÃO", DIZ DAMARES ALVES

Detalhes Notícia
"Eu teria que ir para o hospício se dissesse que vou combater a gravidez precoce apenas com a abstinência", diz ministra. À DW, ministra defende que igrejas podem ajudar a "transformar o Brasil". "Ideologia de gênero" manipulou movimento gay, e combater gravidez precoce apenas com abstinência poderia levá-la a "cadeia ou hospício", diz. Getty Images/AFP/ F.Coffrini

“A igreja pode colaborar com a transformação da nação.” Com essas palavras, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, defendeu em entrevista exclusiva à DW o papel social das igrejas evangélicas no Brasil.

“Temos falta de casas de abrigo para mulheres vítimas de violência. Por que essas igrejas não fazem uma parceria conosco, cedendo o seu espaço físico para abrigar essas mulheres?”, questionou, ao também sugerir que as igrejas podem colaborar para a interiorização dos venezuelanos que buscam refúgio no Brasil. “Se cada igreja trouxesse um venezuelano e cuidasse, nós resolveríamos o problema da fronteira”, disse a ministra, que é pastora evangélica.

Damares Alves concedeu entrevista à DW nesta quarta-feira (26/02), no escritório da Missão Permanente do Brasil junto às Nações Unidas, em Genebra, na Suíça, onde participou da sessão de alto nível da Comissão de Direitos Humanos da ONU.

A ministra teve ainda um encontro com a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, que incluiu o Brasil na lista de países onde há preocupações sobre direitos humanos. Bachelet disse que proliferam no país “ataques e até assassinatos de defensores dos direitos humanos, entre estes muitos líderes indígenas”. “Também há um aumento das requisições das terras de indígenas e afrodescendentes, além de esforços para deslegitimar o trabalho da sociedade civil e seus movimentos”, afirmou.

Veja o vídeo em Deutsche Welle. Entrevista completa