Porto Alegre, quarta, 29 de junho de 2022
img

Atos antirracismo voltam a reunir milhares de pessoas na Europa; Deutsche Welle

Detalhes Notícia
Manifestantes saem às ruas em cidades como Madri, Roma e Londres para novos protestos contra injustiça racial e o maltrato sistêmico de negros pela polícia. No Reino Unido, estátua de comerciante de escravos é derrubada. Em Bristol, manifestantes derrubaram a estátua de Edward Colston, comerciante de escravos do século 17. @picture-alliance/empics/B.Bichall

 

 

Milhares de pessoas voltaram às ruas neste domingo (07/06) em várias cidades da Europa para protestos antirracismo organizados em apoio às manifestações do movimento Black Lives Matter (Vidas negras importam) que ocorrem nos Estados Unidos após a morte de George Floyd.

Os atos globais refletem o aumento da insatisfação com o maltrato sistêmico de negros pela polícia e foram desencadeados pela morte de Floyd, de 46 anos: em 25 de maio, em Minneapolis, um policial o algemou e pressionou o joelho contra seu pescoço até ele parar de respirar.

Em Londres, milhares de manifestantes se reuniram em frente à embaixada americana para protestar contra a violência policial e a injustiça racial. “O Reino Unido também é culpado”, dizia um dos cartazes erguidos pelos britânicos. Em meio à pandemia de coronavírus, alguns dos presentes usavam máscaras com a seguinte frase gravada: “O racismo é um vírus.”

Outras cidades do Reino Unido também registraram atos. Em Manchester, centenas de pessoas se aglomeraram em uma praça central e se ajoelharam em silêncio em homenagem a Floyd.

Em Bristol, uma estátua de Edward Colston, comerciante de escravos do século 17, foi derrubada por manifestantes. Erguido em 1895 no centro da cidade, o monumento de bronze foi levado pelos participantes pelas ruas de Bristol até o porto. A estátua já havia sido motivo de controvérsia anteriormente, tendo um cidadão já pedido sua remoção.

Há preocupações com possíveis confrontos em cidades britânicas neste domingo, após 14 membros das forças de segurança terem ficado feridos em Londres no sábado em confrontos registrados ao final dos atos pacíficos, que contaram com a presença da cantora Madonna.

Leia mais em Deutsche Welle