Porto Alegre, domingo, 14 de agosto de 2022
img

Explosão em Beirute: o que se sabe e o que falta saber; O Estado de São Paulo

Detalhes Notícia
Governo diz que curto-circuito causou incêndio e explosão que deixaram 100 mortos e 4 mil feridos. Sobreviventes pedem ajuda após forte explosão no porto de Beirute, capital do Líbano. Foto: STR / AFP 

 

 

Uma explosão na região portuária de Beirute, no Líbano, matou pelo menos 78 pessoas, feriu 4 mil e espalhou destruição por quilômetros. O governo afirmou que um curto-circuito causou incêndio e explosão em um depósito de fogos e em outro onde estavam 2,7 mil toneladas de nitrato de amônia. O prédio da embaixada do Brasil foi afetado. A fragata brasileira Independência, usada em missão da ONU no país, deixou o local cerca de dez minutos antes da explosão. A hipótese de atentado foi afastada, mas o acidente levou pânico ao país, alvo frequente de violência sectária.

Testemunhas relataram tremor e janelas quebradas em várias partes da capital do Líbano. O violento choque foi sentido até no Chipre, ilha que fica a 240 quilômetros de distância. Embora autoridades tenham descartado um ataque ou um atentado como causa, o acidente levou pânico a uma cidade traumatizada por anos de violência e guerra civil.

Foram duas explosões. A primeira, segundo a TV Al-manar, veículo oficial do Hezbollah, foi causada por uma falha elétrica pouco antes das 18 horas (12 horas em Brasília). Ela teria provocado um incêndio em um depósito de fogos de artifício. Philip Boulos, que governa a região de Beirute, disse que uma equipe de bombeiros foi enviada para conter o fogo. Alguns minutos depois, veio a segunda explosão.

Leia mais em O Estado de São Paulo