Porto Alegre, terça, 25 de janeiro de 2022
img

Moro acerta contas com Bolsonaro e defende legado da Lava Jato em livro; Folha de São Paulo

Detalhes Notícia
Ex-ministro acena ao centro e à direita e rebate acusações a sua atuação como juiz com recorte seletivo. Sergio Moro durante evento de filiação do general Santos Cruz ao Podemos - Pedro Ladeira-25.nov.21/Folhapress

 

 

Sergio Moro diz que perdeu a confiança em Jair Bolsonaro no dia 22 de janeiro de 2020, pouco depois de completar um ano à frente do Ministério da Justiça, ao saber pelas redes sociais que o presidente cogitava retirar os assuntos da segurança pública da sua área de influência.

“Se a pasta fosse dividida, não continuaria no governo de jeito algum”, ele afirma ao narrar o episódio em “Contra o Sistema da Corrupção”, que chega às livrarias nesta terça (30). “Também concluí que ele simplesmente não confiava em mim e não desejava a minha presença no governo.”

Moro saiu três meses depois, em meio a um desentendimento causado pelas pressões de Bolsonaro para que o comando da Polícia Federal fosse trocado, e boa parte do livro é dedicada aos esforços do ex-juiz da Lava Jato para explicar por que demorou tanto tempo para pedir demissão.

Leia mais na Folha de São Paulo