Porto Alegre, quarta, 26 de janeiro de 2022
img

PIB do RS cresce 12,2% de janeiro a setembro comparado com igual período de 2020. Na comparação do terceiro com o segundo trimestre de 2021, houve queda de 3,5%

Detalhes Notícia
Na Indústria de Transformação, a mais representativa indústria do Rio Grande do Sul, a alta no Estado chegou a 0,2% nessa base de comparação, ante -1% no Brasil. Foto: Fiergs

A economia do Rio Grande do Sul registrou queda de 3,5% no terceiro trimestre de 2021 em relação ao trimestre anterior. Quando comparado com o mesmo período do ano passado, no entanto, o Produto Interno Bruto (PIB) apresentou alta de 4,2%. Os números do trimestre que vai de julho a setembro mostram que o Estado teve queda superior à do Brasil (-0,1%) na comparação com os três meses anteriores e melhor desempenho quando a referência é o mesmo período de 2020 (4,2% ante 4% do resultado nacional).

No acumulado do ano, de janeiro a setembro de 2021, a alta no PIB do Estado chega a 12,2%, enquanto no Brasil o crescimento é de 5,7%. Os resultados da economia gaúcha no terceiro trimestre foram divulgados nesta quinta-feira (16/12) pelo Departamento de Economia e Estatística, vinculado à Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão (DEE/SPGG).

“Assim como a Agropecuária auxiliou o Estado no trimestre passado, a falta de expressividade desse setor no terceiro trimestre e a própria base alta do período anterior explicam a queda na margem. O ponto positivo é que tanto Indústria como Serviços seguem crescendo nessa base de comparação. Além disso, no acumulado do ano, a recuperação da safra mais do que compensa essa queda marginal, contribuindo para um resultado de 12,2%, que também reflete a recuperação da Indústria e dos Serviços no ano”, afirma a pesquisadora Vanessa Sulzbach, coordenadora da Divisão de Análise Econômica do DEE/SPGG.

Terceiro trimestre x segundo trimestre

Em relação aos três meses anteriores, a economia do RS apresentou queda de 10% na Agropecuária, enquanto a Indústria (+1,7%) e Serviços (+1,5%) registraram alta no período.

O desempenho do Estado ficou acima do nacional no segmento industrial (1,7% ante zero do país) e nos Serviços (1,5% ante 1,1%). A menor queda do Brasil, na Agropecuária, foi a principal diferença do trimestre (-10% contra -8%).

Na Indústria de Transformação, a mais representativa indústria do Rio Grande do Sul, a alta no Estado chegou a 0,2% nessa base de comparação, ante -1% no Brasil. Nos Serviços, a atividade do Comércio no Estado e no país registraram quedas semelhantes (-0,3% no RS e -0,4% no país).

Comparação com igual trimestre de 2020

Em relação ao mesmo trimestre do ano passado, a alta do PIB do RS ficou pouco acima da nacional (4,2% ante 4%). O Estado superou o desempenho do país nos três principais segmentos da economia: Agropecuária (+16% contra -9%), Indústria (3,1% contra 1,3%) e Serviços (6% ante 5,8%).

Na Indústria, os destaques positivos ficaram com a Indústria de Transformação (+3,9%), Construção (+8,8%) e Indústria extrativa (+5,9%) enquanto a atividade de Eletricidade e gás, Esgoto e limpeza urbana recuou 9,6%. Com maior peso no índice, a Indústria de Transformação teve resultado puxado pelas atividades de Máquinas e equipamentos (+24,5%), Couros e artefatos de couro, artigos para viagem e calçados (+23,2%) e Metalurgia (+14,1%).

Em baixa ficaram os Produtos do fumo (-36,9%), Veículos automotores, reboques e carrocerias (-32,4%) e Produtos de borracha e de material plástico (-8,2%).

Nos Serviços, a alta de 6% esteve relacionada com as variações positivas do Comércio (7,6%), Transportes, armazenagem e correio (9,4%), Serviços de informação (10%) e Outros serviços (12%). Entre as atividades comerciais, tiveram os principais aumentos percentuais Outros artigos de uso pessoal e doméstico (+41,5%), Tecidos, vestuário e calçados (+31,4%) e Livros, jornais, revistas e papelaria (+21,7%). Equipamentos e materiais para escritório, informática e comunicação (-15,1%), Móveis e eletrodomésticos (-9,5%) e Hipermercados e supermercados (-9,4%) registraram as principais quedas no Comércio.

Acumulado do ano

De janeiro a setembro a alta de 12,2% do PIB do RS na comparação com o mesmo período de 2020 é sustentada pelo crescimento da Agropecuária (+72,1%), seguida das altas da Indústria (+11,8%) e dos Serviços (+3,9%). Na taxa acumulada dos últimos quatro trimestres, o PIB do RS teve variação de 8,8% contra 3,9% do Brasil.

• Clique aqui e confira a pesquisa completo.

• Clique aqui e acesse relatório com os resultados do PIB do terceiro trimestre do RS.