Porto Alegre, quarta, 26 de janeiro de 2022
img

Exportações industriais atingem maior nível para novembro. Com vendas de US$ 1,3 bilhão, elevação é de 43,9% em relação ao mesmo mês de 2020

Detalhes Notícia
“Superamos o pior momento da crise provocada pelo coronavírus, mas ainda enfrentamos obstáculos como a escassez e preços dos insumos.". diz Petry. Foto: Dudu Leal

 

 

As exportações da indústria de transformação gaúcha deram um salto em novembro: totalizaram US$ 1,3 bilhão, 43,9% a mais na comparação com o mesmo período do ano passado. Foi o maior valor exportado para o mês desde o início da série histórica, em 1997. “Superamos o pior momento da crise provocada pelo coronavírus, mas ainda enfrentamos obstáculos como a escassez e preços dos insumos. Mesmo assim, a indústria gaúcha dá provas de sua eficiência, e dos 24 segmentos exportadores, 20 cresceram no último mês”, diz o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry. No acumulado de janeiro até novembro, as exportações chegaram a US$ 12,7 bilhões, valor 35,6% e 9,9% superior aos totais verificados de janeiro a novembro de 2020 e 2019 (antes da pandemia), respectivamente.

Entre os principais setores que obtiveram ganhos na base de comparação mensal, Alimentos se destacaram, exportando mais US$ 139,8 milhões na comparação com novembro de 2020, uma elevação de 55,4%. Químicos venderam mais US$ 95,9 milhões, aumento de 117,4%. Na sequência apareceram Máquinas e equipamentos (+49% ou +US$ 30 milhões), Produtos de Metal (+58,7% ou +US$ 28,7 milhões), Couro e calçados (+47,8% ou +US$ 28,6 milhões) e Móveis (+58,1% ou +US$ 11,2 milhões).

Em relação às exportações totais do Estado e seus principais destinos, na comparação com novembro de 2020, o destaque ficou com os Estados Unidos, cujos embarques cresceram 80,2%, um acréscimo de US$ 83 milhões. Por trás do número fechado, estão os incrementos especialmente das vendas de Alimentos, Tabaco, Celulose e papel e Químicos. As vendas externas para a Argentina também cresceram, 46,8%, correspondente a US$ 33,7 milhões, puxadas pelos aumentos de Químicos e Máquinas e equipamentos. Para a China o caminho foi inverso e se sobressaíram as quedas: Alimentos (-US$ 48 milhões), Tabaco (-US$ 22,6 milhões) e Celulose e papel (-US$ 11,0 milhões). Ainda assim, as vendas totais do Estado para a economia chinesa avançaram 62,1% no mês, em razão do crescimento de US$ 179,7 milhões dos embarques de Soja em grãos.

 

IMPORTAÇÕES – O Rio Grande do Sul adquiriu US$ 1,2 bilhão em mercadorias em novembro, configurando uma demanda 74,5% maior nas importações comparada a novembro de 2020. Destacam-se as compras de Bens intermediários (+US$ 358,7 milhões), Bens de capital (+US$ 65,6 milhões) e de Combustíveis e lubrificantes (+US$ 98,5 milhões). No acumulado de 2021, o RS importou um total de US$ 10,7 bilhões, valor 55,1% superior ao mesmo período de 2020. As importações de Bens intermediários, com mais US$ 2,9 bilhões, lideram a pauta das compras externas no ano.