Porto Alegre, segunda, 17 de janeiro de 2022
img

Mercado não pode ditar a pauta, diz Lula a economistas que farão seu programa; Folha de São Paulo

Detalhes Notícia
Prioridade é combater problemas que afligem população: fome, desemprego, perda do poder de compra, riscos à saúde; questão fiscal é pilar da estabilidade, diz ex-presidente. O ex-presidente Lula discursa no Natal dos Catadores, em São Paulo - Bruno Santos22.dez.2021/Folhapress

Reunido com economistas que integram o núcleo de acompanhamento de políticas públicas da Fundação Perseu Abramo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, nesta sexta-feira (14), que o mercado financeiro não deve ditar o debate econômico no país.

Dirigindo-se a economistas que se dedicarão à elaboração de seu programa de governo, o ex-presidente disse que os interesses do mercado não podem se sobrepor aos problemas que afligem a população.

Lula aponta fome, desemprego, inflação, saúde e educação como pautas prioritárias e inclui a defasagem salarial como problema a ser enfrentado. Ainda segundo participantes, Lula afirmou que o PT já provou que tem responsabilidade fiscal.

O ex-presidente disse que, na sua administração, houve valorização do salário mínimo e política de inclusão social sem aumento de inflação e afirmou ter conhecimento de que a estabilidade é importante para deter a alta de preços ao consumidor. ​

Leia mais na Folha de São Paulo