Porto Alegre, sexta, 19 de agosto de 2022
img

Governo planeja trava para evitar reajustes da Petrobras em ano eleitoral. por Fábio Pupo/Folha de São Paulo

Detalhes Notícia
Integrantes estudam criar intervalo para preço do petróleo flutuar sem gerar reajustes. Fachada da Petrobras, no Rio de Janeiro. - 17.mai.2022-Caio Climaco/Photo Press/Folhapress

 

 

O governo discute a criação de um mecanismo para evitar que a Petrobras reajuste preços de combustíveis após a nova troca no comando da empresa e a menos de cinco meses das eleições.

Duas medidas ainda em estudo foram mencionadas por membros do governo nos últimos dias à Folha. Um delas estabeleceria faixas para o preço internacional do petróleo –e, caso o preço do barril varie dentro dos valores delimitados, a empresa não poderia fazer reajustes.

Para exemplificar a medida, é citado entre membros do governo um intervalo hipotético de US$ 85 a US$ 125 para o barril de petróleo. A ideia é que, se o preço internacional variar apenas dentro da faixa, a Petrobras ficaria impedida de praticar reajustes –sendo autorizada apenas caso a cotação ultrapassar o teto da banda.

Leia mais na Folha de São Paulo