Porto Alegre, segunda, 04 de dezembro de 2023
img

Black Friday: Cerca de 56% dos consumidores farão compras pela internet

Detalhes Notícia
wap.store, empresa especializada em tecnologia, dá dicas para quem vai vender on-line  

 

 

O mês de novembro é reconhecido por ter umas das datas de promoções e vendas mais relevantes do comércio e do varejo: a Black Friday. A proximidade do dia 24 é um alerta de que bons negócios estão por vir, tanto para quem vende, quanto para quem compra. Segundo pesquisa da Mfield, 75% dos brasileiros têm intenção de fazer compras nesta data.

Ainda conforme o estudo, no ano de 2023 os números podem ser considerados animadores com cerca 56,7% dos consumidores pretendendo fazer compras em lojas online; outros 18,6%, intecionam comprar em lojas online e físicas e, apenas 3,9% tendem a ir exclusivamente em lojas físicas. O comércio eletrônico alcança a maior parte da fatia, por isso a importância de estar bem organizado para o dia “D”.

Para o CEO da wap.store, Edmilson Maleski é um período que envolve planejamento e execução de forma impecável.  “Se quem vende no e-commerce não se planeja está perdendo grandes oportunidades de aumentar a receita e iniciar o relacionamento com consumidores que não comprariam da marca num outro momento” , destaca.

Tendências

Nos últimos anos, percebemos uma mudança no comportamento de consumidores e lojistas com a antecipação das ofertas. Com chamadas e termos como “Esquenta” e ‘‘Pré-vendas’’, a comunicação ganha cada vez mais visibilidade na mídia e amplitude nas redes sociais. O motivo é que a concentração das vendas num curto espaço de tempo dificultava a logística e, por isso, as pessoas acabavam optando por não esperar a virada de preços na data reservada.

Para aumentar as vendas e garantir satisfação dos clientes, Edmilson dá três dicas importantes para os lojistas se diferenciarem dos concorrentes:

1) Pense na oferta como um todo e não somente no preço: o preço pode despertar o interesse mas é o pacote que define a compra. Pense na soma de preço, condição comercial (parcelamento e desconto à vista), frete, facilidade de troca e comprovação real de outros clientes com o produto e loja são fundamentais.

2) Destaque as ofertas que são realmente relevantes: A Black Friday já foi rotulada por ser mais marketing do que possuir ofertas relevantes, a construção de marca vai além de uma única venda, pense a longo prazo e seja bem honesto com os consumidores. Pode ter certeza que sempre lembrarão da sua marca quando precisarem de um produto que você vende.

3) Monte kits para potencializar sua oferta: um produto comprado sozinho pode não ser muito vantajoso, inclusive pelo valor proporcional do frete, então monte kits que torne a oferta mais atrativa, com isso o ticket médio aumenta e o valor proporcional do frete se torna menos relevante. O consumidor não busca somente o melhor preço, mas sim a melhor oferta.

Já para os consumidores aproveitarem as ofertas e fazer suas compras com segurança,  Maleski recomenda pesquisa prévia e atenção. “Se você for comprar pela primeira vez numa loja que você não conhece, procure essa loja no Reclame Aqui e veja o tipo de reclamação que os consumidores fazem, e a postura da loja nas respostas” ressalta. Caso seja uma loja fraudulenta, deverá ter registros  claros por lá. “Além disso, observe os selos de segurança que a loja possui, clique nesses selos e confirme a veracidade dos mesmos, isso também pode ajudar” frisa o especialista.