Janot cobra R$ 10 mi de Temer e R$ 2 mi do homem da mala

Na cota da denúncia, Janot acusa Temer de ‘ludibriar os cidadãos brasileiros’ que confiaram nele ’54 milhões de votos’; por Breno Pires, Fabio Serapião e Luiz Vassallo

Michel Temer e Ricardo Rocha Loures. Foto: JBatista / Agencia Camara

Na cota da denúncia por corrupção passiva contra o presidente Michel Temer, protocolada nesta segunda-feira, 26, junto ao Supremo Tribunal Federal, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu multa de R$ 10 milhões ao peemedebista a título de danos morais coletivos. Ao ex-deputado-federal e ex-assessor de Temer, Rodrigo Rocha Loures, Janot pediu penalidade de R$ 2 milhões.

O procurador-geral cita as credenciais de Michel Temer como ex-vice-presidente da República, ex-presidente da Câmara por duas vezes, “um dos caciques do PMDB” e ex-presidente nacional do partido para concluir que o presidente “ludibriou os cidadãos brasileiros e, sobretudo, os eleitores, que escolheram a sua chapa para o cargo político mais importante do país, confiando mais de 54 milhões de votos nas últimas eleições”.

Quanto a Loures, Janot diz que o ex-deputado federal “violou a dignidade do cargo que ocupou como Deputado Federal. A cena do parlamentar correndo pela rua, carregando uma mala cheia de recursos espúrios, é uma afronta ao cidadão e ao cargo público que ocupava. Foi subserviente, valendo-se de seu cargo para servir de executor de práticas espúrias de Michel Temer”.

“Não há dúvida, portanto, de que o delito perpetrado pelos imputados MICHEL TEMER e RODRIGO LOURES, em comunhão de ação e unidade de desígnios, causou abalo moral à coletividade, interesse este que não pode ficar sem reparação”, diz Janot. A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Para o Planalto, denúncia amplia desgaste do presidente

Auxiliares da Presidência criticam ‘fatiamento’ de investigação formal e falam em ‘perseguição’ de Janot; por Carla Araújo e Tânia Monteiro, O Estado de S.Paulo

A denúncia do procurador-geral da república, Rodrigo Janot, oferecida nesta noite de segunda-feira, 26, contra o presidente Michel Temer ao Supremo Tribunal Federal (STF) era mais do que esperada pelo Palácio do Planalto. Apesar disso, o fato de Janot ter optado pelo fatiamento e encaminhado o relatório ao STF nesta segunda, quando ainda tinha o prazo até terça-feira, 27, deixou os interlocutores de Temer incomodados.  “Nem (Nicolau) Maquiavel (pensador italiano, 1469-1527) teria sido tão maquiavélico”, resumiu um interlocutor direto do presidente, apontando um sentimento que tomou conta do Planalto. Ainda que mirem na artilharia para criticar o procurador, o Planalto reconhece que a concretização da denúncia traz preocupação para a governabilidade e amplia o desgaste do presidente, que fica ainda mais exposto.

Janot foi classificado por um auxiliar como um “serial killer” e aliados admitiram que ser o primeiro presidente denunciado por corrupção no cargo, incomoda muito Temer, que pretendia passar para a história como o presidente das reformas. Para um interlocutor, as críticas a Janot têm procedência. Para esse auxiliar, o fatiamento é um “equívoco” por, segundo ele, “enfraquecer” a denúncia de Janot, a quem imputa “perseguição” contra Temer. Outra fonte ligada ao presidente também vê como “equívoco” o fatiamento da denúncia. A reportagem completa está em O Estado de São Paulo.

Empresas gaúchas são finalistas do Prêmio Nacional de Inovação.

Participantes do Programa Agentes Locais da Inovação se destacam no principal reconhecimento aos negócios inovadores do País. Vencedores serão revelados nesta segunda-feira, 26 de junho, em São Paulo

O Rio Grande do Sul tem quatro representantes entre os finalistas do Prêmio Nacional da Inovação, que será entregue nesta segunda-feira, 26 de junho, no Transamérica Expocenter, em São Paulo. A premiação é uma promoção da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e do SEBRAE. O evento integra o 7º Congresso Brasileiro de Inovação da Indústria.

Ao todo, foram quase 4 mil inscritos e 34 selecionadas para esta etapa. Em comum, Biotechnos e Simbios, apresentam em seu histórico recente a participação no Programa Agentes Locais da Inovação (ALI), uma iniciativa promovida em parceria entre o SEBRAE e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). A gestora estadual do programa no SEBRAE/RS, Michele Seleri, explica que a iniciativa tem o objetivo de promover a prática continuada de ações de inovação nas empresas de pequeno porte, que são acompanhadas por profissionais que atuam no diagnóstico e na proposição de soluções inovadoras em produtos, processos, marketing e gestão organizacional.

A Biotechnos Projetos Autossustentáveis LTDA, de Santa Rosa, existe há 10 anos e concorre nas categorias Gestão da Inovação e de Marketing entre as MPEs ALI. A empresa desenvolve pesquisas para transformação de agentes poluidores em alternativas rentáveis e autossustentáveis. Já a Simbios Biotecnologia, de Porto Alegre, também disputa a premiação em Gestão da Inovação e na categoria Produto. Ela desenvolve soluções em diagnóstico laboratorial para o mercado agroindustrial por meio de pesquisa, desenvolvimento e prestação de serviços de análises e de produção de reagentes.

As outras finalistas gaúchas são Ambiente Verde, de Porto Alegre, e Biotecno Indústria e Comércio, também de Santa Rosa, na modalidade Média Empresa. A Biotecno, especializada em refrigeração médica, concorre nas categorias Produto, Marketing e Gestão da Inovação.

As vencedoras do Prêmio Nacional da Inovação receberão R$ 900 mil pré-aprovados no Edital de Inovação para a Indústria e também participarão de cursos de educação executiva.

Ver mais

No more posts to load.