Agronegócio tem novo recorde de participação nas exportações do RS

Agronegócio tem novo recorde de participação nas exportações do RS

Agenda Agronegócio Destaque Economia Negócios Plano Safra

As exportações do agronegócio representaram 76% do total comercializado com o exterior pelo Rio Grande do Sul em julho de 2016. Este é o segundo mês consecutivo com recorde de participação desde o início do levantamento realizado pela Assessoria Econômica do Sistema Farsul, em 2014. O estado atingiu US$ 1,733 bilhão, sendo US$ 1,321 bilhão provenientes do setor, que teve saldo da Balança Comercial de US$ 1,225 bilhão e volume de 2,435 milhões de toneladas. Os dados estão no Relatório de Comércio Exterior, divulgado nesta quinta-feira (11/08) pela Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul.

Apesar da marca histórica, na comparação com junho de 2016 houve uma queda de 2,35% no valor e 4,5% no volume exportado. O resultado teve como maior influência o grupo Carnes, com uma redução de 22,6% no valor e 19,8% no volume. Já em relação a julho de 2015, o valor comercializado é 1,88% maior. Os principais responsáveis pelo aumento são os grupos Complexo Soja (7,8%), Fumo e seus Produtos (17,9%) e Produtos Florestais (23,7%).

Este é o terceiro mês em sequência com resultado positivo na comparação entre 2015 e 2016. “Os últimos meses têm sido maiores do que no ano passado porque iniciamos o primeiro trimestre abaixo de 2015, o que vemos agora é um processo de recuperação”, explica o economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz. No acumulado do ano, o total exportado é de US$ 6,739 bilhões, queda de 1,5% em relação ao mesmo período. Entre janeiro e abril a diferença era de -14,8%. Em relação ao volume, até agora 2016 superou 2015 em 2,1%.

A China continua sendo o principal destino dos produtos do agronegócio gaúcho, respondendo por 39,7% do total exportado, chegando a US$ 2,635 bilhões. A importância do mercado chinês é percebida quando comparada ao segundo maior comprador do setor, os EUA, com US$ 324 milhões (4,8%). A Coréia do Sul, com US$ 212 milhões tem 3,2%, ficando na terceira colocação. Já nas importações, a Argentina mantém a primeira posição, com US$ 201 milhões e 38% de participação. Em seguida vem o Uruguai com US$ 135 milhões (25%) e o Chile com US$ 40,7 milhões (7,7%).

 

Confira o Relatório de Comércio Exterior julho 2016 na íntegra.

Rio Grande do Sul registra o maior crescimento em volume de exportações entre os Estados brasileiros

Rio Grande do Sul registra o maior crescimento em volume de exportações entre os Estados brasileiros

Economia Mundo Negócios Notícias Política

As exportações do Rio Grande do Sul totalizaram 1,595 bilhão de dólares em agosto de 2015, o que representa um recuo de -9,2% no valor exportado em relação ao mesmo período do ano anterior. Essa queda é explicada pela redução de preços (-22,%). Já o volume embarcado para o exterior cresceu 16,4%. Dessa forma, o Estado ganhou participação nas exportações brasileiras – de 8,6% em 2014 para 10,3% em 2015 – e uma posição em relação a 2014, sendo o terceiro maior Estado exportador no mês, atrás de São Paulo e Minas Gerais e à frente do Paraná e do Rio de Janeiro.

Além disso, mesmo com uma retração maior em preço do que a registrada pelo Brasil (-19,4%), o desempenho do RS foi superior ao apresentado pelo do País (-24,3% em valor e -6,1% em volume). Vale ressaltar que o valor das exportações é divulgado em dólar. Tendo em vista que houve uma valorização do dólar frente ao real de cerca de 55% entre agosto de 2014 e 2015, a rentabilidade em reais das exportações se elevou.

O setor que explica o desempenho favorável do volume embarcado é a agropecuária (3,1% em valor, 39,5% em volume e -26,1% em preço), enquanto a indústria de transformação, mesmo em um contexto de contração na produção, cresceu 5,6% em volume (-14,6% em valor e -19,2% em preço). Com isso, a agropecuária ganhou participação em relação ao total exportado pelo Estado (de 27,9% em agosto de 2014 para 31,7% em agosto de 2015).

Em relação à indústria de transformação, das 24 atividades analisadas, apenas três registraram crescimento: fabricação de celulose e papel (40,8 milhões de dólares), produtos de madeira (4,9 milhões de dólares) e impressão e reprodução de gravações (26 mil dólares) — esta última, a única atividade da indústria que não registrou redução de preços (9,1%).

Quanto aos países de destino, quase um terço de tudo o que o Rio Grande do Sul exportou no mês foi para a China (32,3%). Outros importantes destinos dos produtos gaúchos foram Estados Unidos (8%), Argentina (6,2%), Bélgica (3%) e Venezuela (2,9%).

No acumulado do ano (janeiro a agosto), as exportações do RS registraram 11,471 bilhões de dólares, um recuo de 1,232 bilhão de dólares em relação ao mesmo período do ano anterior. Houve um crescimento do volume embarcado para o exterior de 6,2%, mas, com uma retração de preço de 15,%, o valor exportado recuou 9,7%. (O Sul)