Porto Alegre: ATP e empresas de ônibus integram campanha do Maio Amarelo

Porto Alegre: ATP e empresas de ônibus integram campanha do Maio Amarelo

Agenda Cidade Comportamento Comunicação Crianças Cultura Direito do Consumidor Economia Educação Morte Negócios Notícias Obituário Poder Polícia Política Porto Alegre prefeitura Publicidade Segurança Tecnologia Trabalho

Uma fita amarela no retrovisor dos coletivos. Esse é o símbolo do apoio da Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP) e das empresas de ônibus ao movimento Maio Amarelo. A mobilização, que é mundial, propõe conscientizar para a redução de acidentes no trânsito. Em Porto Alegre a campanha está sendo desenvolvida pela Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) que promoverá ações educativas no decorrer do mês. De parte das empresas de ônibus também haverá faixas nas garagens dos coletivos destacando o apoio à causa, cartazes e flyer digital para os funcionários explicando sobre o movimento.

“O nosso trabalho é transportar vidas. Temos essa responsabilidade diária de operar com segurança, preservando a integridade dos nossos passageiros, dos pedestres e demais motoristas. Não se trata apenas de apoiar a causa, mas de reconhecer o nosso dever de trabalhar todos os dias incorporando essa missão”, destacou o diretor executivo da ATP, Gustavo Simionovschi.

A associação revela ainda que as empresas de ônibus realizam periodicamente treinamento e cursos de reciclagem para os motoristas promovendo a condução segura e a prevenção de acidentes.

Empresários alegam perda diária de R$ 350 mil, enquanto PSol indica superfaturamento no sistema de ônibus da Capital. Partido de oposição protocolou hoje ação principal para tentar evitar retomada do aumento da passagem; por Bibiana Borba/Rádio Guaíba

Empresários alegam perda diária de R$ 350 mil, enquanto PSol indica superfaturamento no sistema de ônibus da Capital. Partido de oposição protocolou hoje ação principal para tentar evitar retomada do aumento da passagem; por Bibiana Borba/Rádio Guaíba

Cidade Direito Economia Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura

Representantes do PSol (Partido Socialismo e Liberdade) protocolaram, nesta manhã, a ação principal para pedir a manutenção das tarifas de ônibus a R$ 3,25 e de lotações a R$ 4,85 em Porto Alegre. O prazo da medida cautelar apresentada pelo partido, que levou a Justiça a congelar a tarifa desde o final de fevereiro, terminaria nesta quarta-feira. Uma série de argumentos compilados no processo indica superfaturamento no cálculo da tarifa. Já os empresários alegam que o prejuízo diário de R$ 350 mil pode levar ao cancelamento de investimentos no transporte.

O diretor do consórcio Via Leste — um dos quatro grupos privados que assumiram a licitação —, Ênio Roberto dos Reis, acusa o PSol de articulação política. “A situação das empresas continua perigosa e, a qualquer momento, podemos ter um caos no sistema. O prejuízo é de R$ 350 mil por dia. As empresas precisam disso para cumprir compromissos pelos altos investimentos que fizeram. E não estamos recebendo por causa de uma ação político-demagógica de um partido que quer a ‘cubanização’ do transporte coletivo de Porto Alegre. Ele (o PSol) quer ver kombi aí rodando nas ruas”, provoca.

Já o deputado estadual Pedro Ruas, um dos autores da ação, contesta a estimativa de prejuízo dos empresários e aponta indícios de lucro dobrado. A tarifa de R$ 3,75 sugerida teria, por exemplo, incluído duas vezes o índice da inflação medida pelo IPCA sobre o valor original calculado em julho de 2015, de R$ 3,46. “Esse valor (R$ 350 mil) é o que eles tomavam do povo irregularmente. Eles sempre ganharam o dobro da inflação. Nos últimos 15 anos, a tarifa subiu o dobro da inflação no Brasil. O que mais sobe no país é a tarifa de ônibus e lotação de Porto Alegre. Então, é um absurdo e essa tese de prejuízo deles é porque eles calculam, no mínimo, duas vezes a taxa de lucro. Na verdade, é uma argumentação vazia”, denuncia.

O partido também reforça o argumento da falta de transparência no processo de cálculo da tarifa, já que o Conselho Municipal de Transporte Urbano teria sido convocado apenas após o reajuste. A expectativa do parlamentar é de que a ação seja julgada dentro de três a seis meses. A Prefeitura, por sua vez, já recorre em primeira instância e encaminha contestação ao Superior Tribunal de Justiça, em Brasília, para tentar retomar o aumento da passagem.

Apesar da suspensão, o Executivo chegou a ser incumbido por uma segunda juíza de pagar os R$ 0,50 de diferença pelas viagens de três dos quatro consórcios. Antes de julgar o quarto pedido, no entanto, a magistrada marcou uma audiência para tentativa de conciliação entre a Prefeitura e as empresas. O encontro ocorre na tarde do dia 31 de março.

Passagem na Capital custará R$3,75 a partir de segunda-feira. Lotações terão tarifa reajustada para R$5,60

Passagem na Capital custará R$3,75 a partir de segunda-feira. Lotações terão tarifa reajustada para R$5,60

Cidade Notícias Política Porto Alegre prefeitura

A partir da próxima segunda-feira, a tarifa de ônibus ficará mais salgada para os usuários do sistema de transporte coletivo em Porto Alegre. Com aumento de R$0,50 , o custo será elevado para R$3,75. Já os lotações terão passagem a R$5,60.

Os valores estão de acordo com as exigências do primeiro edital do transporte público e conforme os custos de manutenção da frota, segundo o diretor-presidente da EPTC, Vanderlei Cappellari. Os valores não passaram por votação no Conselho Municipal de Transportes neste primeiro ano de vigência da licitação.

Na manhã desta sexta-feira, o prefeito José Fortunati apresentou a nova frota de ônibus da Carris e divulgou o prazo para as novas tarifas. Os novos carros entram em operação também na segunda. São 296 novos veículos, dos quais 37% está equipado com ar-condicionado.

A frota do novo sistema iniciará com um total de 1.715 ônibus, 12 a mais do que havia anteriormente. Nos próximos três anos, serão inseridos 72 veículos a mais. Conforme a licitação, 37% dos coletivos deverão ter ar-condicionado (anteriormente eram 23%) e 1.010 carros adaptados para cadeirantes já no primeiro dia de operação.

Outra novidade é a identidade visual, com cores específicas que informam as regiões de destino para os passageiros, facilitando o entendimento das linhas. As cores das regiões foram alteradas: azul para as linhas que atendem a zona Norte (antigo consórcio Conorte), verde para Leste (antiga Unibus), vermelho para Sul (antiga STS) e amarelo para Carris.

Entram em circulação quatro novas linhas de ônibus: a T12 – Restinga Cairú, T12A – Restinga PUC, T12.1 – Pitinga/Cairú e T13 – Triângulo/PUC. As linhas T12 e suas derivadas serão operadas pela Carris e substituirão os prefixos 314 – Restinga PUC (e suas extensões), que interligam a região da Restinga, Lomba do Pinheiro à Pontífice Universidade Católica (PUC) e a Terceira Perimetral. Já a T13 substituirá a Triângulo / 24 de outubro / PUC, circulando nas zonas Norte e Leste da cidade. (Samantha Klein/Rádio Guaíba – Foto: Samuel Maciel/CP)