“Talvez eu nunca mais tenha oportunidade de ser prefeita de Porto Alegre”, avalia Manuela D’Ávila

“Talvez eu nunca mais tenha oportunidade de ser prefeita de Porto Alegre”, avalia Manuela D’Ávila

Cidade Eleições 2016 Notícias Poder Política Porto Alegre prefeitura

Primeira colocada em pesquisas de intenção de voto para a Prefeitura de Porto Alegre, a deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB) admitiu hoje que a decisão de não concorrer nas eleições municipais pode impossibilitar seu desejo de um dia administrar a cidade. Apesar da hipótese, Manuela garante estar tranquila da decisão anunciada na noite dessa quarta-feira (17), uma vez que sua prioridade é o cuidado e atenção a sua filha recém-nascida.

“Evidente que eu ponderei o fato de que talvez eu nunca mais tenha oportunidade de ser prefeita de Porto Alegre, e mesmo assim eu tomei essa decisão com absoluta certeza e tranquilidade. Porque, da mesma forma que talvez eu nunca mais seja prefeita de Porto Alegre, e isso é uma hipótese, eu tenho certeza que minha filha jamais voltará a ter seis, sete meses, e isso não é uma hipótese”, analisou Manuela, que já disputou o cargo nas últimas duas eleições.

Com o anúncio oficial de que não concorrerá, a expectativa paira agora sobre o apoio da deputada e de seu partido nas eleições. Segundo ela, a definição só ocorrerá após os nomes dos pré-candidatos serem colocados no tabuleiro eleitoral, evitando por exemplo indicar um apoio à uma candidatura comandada pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

Segundo o presidente estadual do PT, Ary Vanazzy, “isso ainda não foi discutido com o PCdoB, mas evidentemente queremos que a sigla esteja com a gente”. O PT trabalha hoje com os nomes de Henrique Fontana, Maria do Rosário, Olívio Dutra e Raul Pont para a cabeça de chapa da disputa, sendo este último o que hoje tem maiores chances de ser escolhido para a disputa.

Mesmo que se confirme o apoio de Manuela a uma candidatura petista, o ex-prefeito de Porto Alegre, Raul Pont, projeta que não haja uma transferência automática das intenções de voto. “Em política ninguém transfere voto automaticamente. Isso é provado cientificamente. A empatia, a relação que as pessoas têm com uma figura, isso tem peso, mas outras coisas devem ser incorporadas, por isso não há uma transferência automática”, disse o ex-gestor da Capital. O PT pretende definir o seu candidato até o fim de março.

A mesma pesquisa que colocou Manuela D’Ávila como primeira colocada, realizada pelo jornal Correio do Povo em parceria com Instituto Methodus, apontou Luciana Genro (PSOL) como segunda colocada. Para Luciana, ao menos parte dos votos que seriam concedidos à Manuela serão destinados aos socialistas. “Eu vejo que os votos que a Manuela teria em geral são votos de pessoas que buscam uma renovação na política e essa renovação é muito bem representada pelo PSOL”, disse.

Além da já anunciada pré-candidatura de Luciana, o atual vice-prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (PMDB), também já garantiu que disputará o Paço. (Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba – Foto: Marcelo Bertani / Agência ALRS )

“Cortaria todos os recursos para direitos humanos”, diz Bolsonaro

“Cortaria todos os recursos para direitos humanos”, diz Bolsonaro

Notícias Poder Política

Militar da reserva de 60 anos, o deputado federal Jair Bolsonaro está em Porto Alegre para participar da cerimônia de passagem de cargos no Comando Militar do Sul. O parlamentar afirmou que está de malas prontas para ingressar no PSC, no entanto, ainda não se considera um pré-candidato à Presidência da República.

Antes de participar do programa Esfera Pública, a partir das 13h desta terça-feira, no Estúdio Cristal, o parlamentar concedeu entrevista no início dessa manhã por telefone à Rádio Guaíba, em que falou de diversos assuntos e reiterou posições já conhecidas do público. De maneira contundente, Bolsonaro se mostrou contra a atuação de Organizações Não-Governamentais (ONGs) relacionadas aos direitos humanos.

“Nós arquivamos um projeto, que daqui a pouco será desarquivado, que é o Estatuto do Encarcerado. Se você lê aquilo, você pensa em ser bandido porque o documento busca garantir diversas vantagens ao presidiário, tais como o direito de visitar familiares doentes e a uma cela individual. Eu cortaria todos os recursos para ONGs de direitos humanos. Esse pessoal vive da violência e vive dentro do governo”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro contou que está de malas prontas para o PSC e que não pode se considerar um pré-candidato à presidência em 2018. “Se eu falar que sou candidato, estaria infringindo a lei e posso até ser multado. A verdade é que estou seguindo para o PSC e lá teriam decidido por duas pessoas nas convenções: Pastor Everaldo e eu”, resumiu.

Violência e o porte de arma. 

Durante a estada em Porto Alegre, Bolsonaro comentou que, enquanto almoçava, acompanhou o relato de um assalto em um telejornal e afirmou que o grande problema da violência é a impunidade. “O cara não pode assaltar e pagar com cestas básicas. Já que o Estado não garante isso, nós precisamos dar ao povo meios para ele se defender. Um cidadão de bem poderia ter a sua arma dentro de casa e já aí ampliaríamos a questão do porte. A Brigada Militar (BM), por exemplo, por mais dedicada que ela seja, não tem como atender todo mundo porque a violência está em todos os lugares”, explicou.

O deputado carioca disse que desarmar o cidadão de bem faz parte da política de esquerda. “Povo desarmado não reage. Outra vertente do governo é destruir os valores familiares. Nós negamos no plano nacional de educação a ideologia de gênero. O governo então sugeriu aos municípios que retomassem a discussão. O interesse aqui é esculachar a família brasileira”, completou. (Rádio Guaíba e Correio do Povo – Foto: Wilson Dias / Agência Brasil / CP Memória)

Zico desiste de candidatura à presidência da Fifa

Zico desiste de candidatura à presidência da Fifa

Notícias

O ex-jogador de futebol Arthur Antunes Coimbra, o Zico, anunciou a desistência da candidatura à presidência da Federação Internacional de Futebol (Fifa). A informação foi divulgada no início da noite dessa segunda-feira (26), na página da campanha oficial do atleta no Facebook.

Zico havia anunciado sua intenção de concorrer à Fifa em junho deste ano, mas dizia sempre que a candidatura dependeria do apoio de pelo menos cinco confederações de futebol, segundo estabelece as regras da entidade. Ele chegou a viajar por alguns continentes a fim de conseguir o apoio.

No texto publicado no Facebook, Zico diz que havia promessa de seis apoios, mas que a retirada da candidatura do francês Michel Platini, presidente da União das Federações Europeias de Futebol (Uefa), suspenso por 90 dias, pelo Comitê de Ética da Fifa, por suposto envolvimento em negócios irregulares envolvendo o presidente afastado da entidade, Joseph Blatter, mudou o cenário.

“Caros amigos, não deu. Estávamos animados ontem com seis promessas de cartas, mas hoje o movimento da Uefa, com a retirada de Platini, mudou todo o cenário. A forma atual da eleição da Fifa realmente não favorece a mudança. Basta ver que os nomes que estão aí para esta eleição dificilmente poderão realmente falar em mudança”, afirmou Zico.

O ex-jogador do Flamengo agradeceu às pessoas que o apoiaram diretamente na campanha e ressaltou que o importante era manter o debate sobre a política esportiva baseada na transparência.

“Que outras partidas venham por aí. Plantamos uma semente para um debate sobre uma nova forma de gestão do futebol, baseada na democracia e na transparência. Abraço em todos”, disse. (Agência Brasil)

André, o filho do Dilamar volta a ter filiação partidária e está apto a concorrer em 2016

André, o filho do Dilamar volta a ter filiação partidária e está apto a concorrer em 2016

Notícias Poder Política

O jornalista André Machado foi inoculado por dois vírus que já haviam vitimado seu pai, Dilamar Machado: o rádio e a política. Alguém pode dizer e estará correto que está no DNA, a molécula da vida, como ensinam os cientistas. O André anunciou que iria deixar o jornalismo para iniciar uma carreira política em setembro de 2013. Optou pelo PCdoB, concorreu a deputado federal, não se elegeu e voltou à labuta no jornalismo. Há dois meses, anunciou a saída da agremiação comunista e ontem se filiou ao PDT. Partido do pai.

Conheci Dilamar pessoalmente em 1986, ele era candidato preferencial pelos trabalhistas em Butiá. O comitê ficava a dez metros da minha casa. Antes disso, o ouvi no rádio. Era muito bom nas duas atividades. Depois, eu o acompanhei como repórter no governo Collares, uma figura. Daqueles com quem a gente se impressiona pela capacidade de trabalho, agilidade mental nas respostas, língua ferina quando necessário e sempre pronto para o diálogo. Carismático, dominava o ambiente em que se encontrava.

Desde que conheci o André, na década de 90, vi muitas semelhanças nos dois. Exceção talvez da facilidade de retórica que o Dilamar tinha, e o André, não. Mas o filho compensa isso com a obsessão pela busca da informação correta e o estudo de cada assunto. Se você vai debater com o André, estude muito. Porque ele fez isso. Sempre o admirei pela garra e determinação.

Pois bem, a fruta nunca cai longe e finalmente ela está junto ao “pé ideológico” da árvore. O André tinha sido na minha opinião, pragmático na escolha do seu primeiro partido. Ele acreditou que ganharia o número de Manuela e, isso somado à visibilidade que tinha no Rádio, o catapultaria para a Câmara dos Deputados.

Todos vão negar, mas puxaram o tapete dele. Na minha opinião, para um sujeito que tinha seus sonhos e metas, ele agiu certo. Viu ali chances maiores de se eleger e tentou, não conseguiu. O André assinou na noite passada a ficha de filiação ao PDT. Como cumpriu o prazo legal, está apto para ser candidato a vereador, vice ou prefeito em 2016. Será?!