Antonio Claudio Mariz de Oliveira fala sobre delação premiada e diz ser difícil assumir Minisitério da Justiça

Entrevistas Notícias Poder Política

 

A Folha de S.Paulo afirma nesta quarta-feira (27) que o vice-presidente Michel Temer já desistiu de nomear o amigo e advogado criminalista Antonio Claudio Mariz de Oliveira para o Ministério da Justiça em um eventual governo. Segundo o jornal, que ouviu pessoas próximas a Temer, o vice teria considerado “ruim” e “errática” a entrevista de Mariz, na qual ele fala praticamente como ministro e critica o mecanismo de delações premiadas. Em entrevista ao programa Agora/Rádio Guaíba, nesta terça-feira(26.04), o advogado falou sobre a possibilidade de um convite e também a sua visão sobre a questão da delação premiada.

Piratini abre negociações para atrair PTB à base de governo

Piratini abre negociações para atrair PTB à base de governo

Notícias Poder Política

Após enfrentar dificuldades para aprovar matérias importantes na Assembleia Legislativa durante 2015, o Piratini iniciou um processo de aproximação com a bancada do PTB. Se o diálogo se transformar em apoio da bancada do PTB à gestão Sartori, o Executivo poderá respirar tranquilo para aprovar os demais projetos polêmicos que tem pela frente. Isso porque a bancada conta com cinco deputados que, mesmo se declarando independentes, somaram votos contrários nos principais projetos enviados até então.

“Nós abrimos o diálogo. Eu acho que os partidos têm a responsabilidade de dialogar com o governo quando ele chama. Isso não quer dizer entrar no governo. Não quer dizer que estejam fazendo propostas de cargos. Estamos tratando de uma conversa muito franca”, disse Aloísio Classmann, líder da bancada do PTB, a quinta maior da Assembleia.

O diálogo entre o governo do Estado e o PTB é conduzido por dois deputados experientes do PMDB: Ibsen Pinheiro e Alexandre Postal. Caberá a eles negociar o andamento da aproximação com a bancada petebista, na próxima terça-feira (24), em uma reunião-almoço. Postal, que é líder do governo na Casa, minimizou a entrada dos petebistas na base, mas destacou características positivas da legenda.

“Nós sempre estivemos do mesmo lado. O PTB sempre esteve nos governos. Não vejo razão para hoje não estar junto com a gente em defesa dos interesses do Rio Grande do Sul. Não necessariamente que tenha que entrar no governo. [O PTB] sempre teve muita lealdade, muita firmeza nas posições”, disse Postal.

O PTB integrou a base de governo das últimas três gestões estaduais, estando ao lado de Germano Rigotto (PMDB), Yeda Crusius (PSDB) e Tarso Genro (PT). (Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba)