Futebol: Definições de Cruyff, um dos maiores jogadores de todos os tempos, sobre o esporte mais popular do mundo

Futebol: Definições de Cruyff, um dos maiores jogadores de todos os tempos, sobre o esporte mais popular do mundo

Cultura Esporte Notícias Vídeo

 

Hendrik Johannes Cruyff, mais conhecido como Johan Cruyff ou simplesmente Cruyff (Amsterdã, 25 de abril de 1947 – Barcelona, 24 de março de 2016) foi um futebolista e técnico holandês que atuava como meia e atacante. É considerado por muitos o melhor futebolista europeu do século XX e um dos maiores jogadores da história do futebol.

Tido como um jogador revolucionário, tático, ofensivo, coletivo, vistoso e eficiente, é considerado um dos propulsores do “futebol moderno” inspirou muitos jogadores e treinadores a partir de suas extraordinárias atuações no Ajax e, principalmente, na Seleção dos Países Baixos, durante a Copa do Mundo de 1974. As suas atuações no mundial foram suas únicas referências para grande parte das pessoas que o conhecem; antes da cobertura ao vivo dos campeonatos estrangeiros pela TV, apenas as Copas eram vistas mundialmente de maneira especial. Cruyff encantou na Copa, mesmo com exibições consideradas abaixo das que tinha nos campeonatos europeus.

Se, atualmente, há no futebol jogadores polivalentes que podem atuar sem posição fixa no campo, sem prejuízo de suas atuações individuais, muito se deve a este genial craque e não menos a seu treinador no Ajax, Barcelona e na Seleção Neerlandesa, Rinus Michels. E ainda que transcorridos mais de quarenta anos após a Copa do Mundo de 1974, os Países Baixos, Michels e Cruijff sintetizam a última revolução tática na história do futebol e serão para sempre lembrados como sinónimos do chamado futebol total, no qual os jogadores de linha se sentiam à vontade ao desempenhar todas as posições.

Visto como um pensador do futebol, costumava enfatizar a rapidez de pensamento tanto quanto a rapidez do corpo: sua característica velocidade era descrita pelo próprio como uma questão de saber a hora certa de começar a correr. Cruyff foi escolhido pelo IFFHS o maior jogador europeu do século XX, e o segundo maior do mundo, atrás somente de Pelé. Para o colunista Maurício Barros, da ESPN Brasil, Cruyff é o maior da história do futebol na soma jogador-treinador, mesmo sem ter ganho nenhuma Copa do Mundo.

Seu sobrenome é originalmente grafado como “Cruijff”, sendo mais popularmente escrito como “Cruyff” no exterior.

Confira frases e conceitos de Cruyff sobre o Futebol

– Há só uma bola em campo, e o meu time deve ficar com ela.
– Jogar futebol é simples, mas jogar futebol de maneira simples é difícil.
– Quando se tem a bola é preciso trabalhar para deixar o campo o maior possível, quando a bola está com o adversário é preciso deixar o campo o menor possível.
– Ser veloz não é correr mais que o outro, é começar a correr na hora certa.
– Eu sempre batia os laterais, porque se me devolvessem a bola eu estaria sem marcação.
– Qualidade sem resultado é inútil, resultado sem qualidade é entediante.
– Ter técnica não é fazer mil embaixadinhas, isso é para trabalhar no circo. Ter técnica é passar a bola de primeira, com a velocidade certa e no pé bom do seu companheiro.
– Não há prêmio melhor do que ser aclamado pelo seu estilo de jogo.
– Se é para ser atropelado, melhor que seja por uma Ferrari. (depois da derrota do Barcelona para o São Paulo de Telê no Mundial de 1992)
– No meu time o goleiro é o primeiro atacante e o centroavante é o primeiro defensor.
– Por que não posso ganhar de um time mais rico? Nunca vi uma mala de dinheiro fazer um gol.
– Um jogador tem contato com a bola em média três minutos por jogo. O que define se ele é um grande jogador ou um jogador comum é o que faz nos outros 87 minutos.
– Futebol se joga com a cabeça, as pernas estão ali para ajudar.
– Deve-se trabalhar para que os piores jogadores do adversário sejam os que mais toquem na bola, porque aí ela voltará rapidamente para o seu time.
– Há jogadores que não sabem o que fazer quando recebem a bola sem um marcador por perto, por isso o melhor a fazer é deixá-los livres.
– Os jogadores de hoje só chutam de peito de pé. Eu chutava de peito de pé, com a parte interna e a externa dos dois pés. Ou seja, eu era seis vezes melhor do que os de hoje.
– Não admito que um programa de computador decida se um jogador serve ou não para um time. Se fosse assim eu teria sido mandado embora do Ajax aos 15 anos, porque naquela idade chutava muito fraco. A técnica e a visão de jogo não podem ser detectadas por um computador.
– Quando parei de jogar me disseram que eu teria de estudar quatro anos para poder ser técnico. Disse a eles que estavam loucos. O que eu aprenderia durante quatro anos com quem sabe menos de futebol do que eu?
– Jogadores forjados nas ruas são mais valiosos do que técnicos formados em escolas.
– Os cursos para treinadores se preocupam mais com a teoria do que em como desenvolver a técnica dos jogadores.
– O personagem mais importante do futebol é o torcedor. Ele vai ao estádio para se divertir no seu tempo livre, e o jogador tem de lhe dar essa alegria.
– Futebol não é sofrimento, é diversão. Tenha a bola, trate-a bem, tente atacar e marcar gols.                                                                                      (Material retirado da Wikipedia, Jornais e YouTube)

Artigo: Os desafios extras do treinador brasileiro; by Tinga

Artigo: Os desafios extras do treinador brasileiro; by Tinga

Artigos Destaque Esporte Trabalho

Os treinadores brasileiros são mais completos do que seus colegas de outros países. Não é uma opção, mas sim uma exigência imposta pela complexidade da gestão de quatro variáveis simultâneas e com pesos similares: diretoria, jogadores, jornalistas e torcida. Talvez os treinadores europeus e até mesmo os demais sul-americanos se defrontem com os mesmos fatores, mas aqui, no Brasil, a dificuldade é infinitamente maior, gerando uma distorção no exercício do cargo.

No Brasil, treinador tem que ser pai e amigo dos jogadores, segurar as broncas e os egos da diretoria, ser simpático com os jornalistas e representar a torcida. Tudo isso sendo um profissional, na essência, solitário. Tão solitário, que se a imprensa pressionar, os jogadores ficarem insatisfeito, a diretoria precisar de um bode expiatório ou a torcida se revoltar, o treinador cai – devido a cada a esses fatores, combinados ou isolados. A questão é tão desafiadora que leva a uma realidade estranha. O treinador brasileiro deve gerir quatro variáveis que podem derrubá-lo, mas tem poder limitado sobre elas.

A complexidade da função de treinador e o fato de os profissionais brasileiros serem mais completos não garante necessariamente vitórias. Às vezes, é o contrário. Ao investir energia na gestão dos humores e de outros fatores exageradamente emocionais, o treinador perde a oportunidade de focar no que realmente interessa: a busca do resultado dentro de parâmetros profissionais. Isso exige cobrança, autoridade e profissionalismo extremo de cada um dos atores envolvidos no futebol.

Estamos caminhando nessa direção. Ainda devagar, mas chegaremos lá. Até porque, cada vez mais, o esporte de alta performance não nos deixa outra opção.

 

imagesPaulo César Fonseca do Nascimento, Tinga

Paris Saint-Germain Academy abre primeira franquia no Sul do Brasil. Academia de futebol do clube francês em já tem inscrições abertas em Porto Alegre

Paris Saint-Germain Academy abre primeira franquia no Sul do Brasil. Academia de futebol do clube francês em já tem inscrições abertas em Porto Alegre

Agenda Cidade Crianças Destaque Educação Esporte Mundo Porto Alegre

A Paris Saint-Germain Academy iniciará suas atividades em Porto Alegre-RS. Será a primeira unidade da rede oficial de academias de futebol do clube francês na Região Sul do Brasil. A unidade PSG Academy POA funcionará nas dependências do Planet Ball, e atenderá meninos e meninas com idades entre quatro e 19 anos. As duas primeiras avaliações técnicas para a academia de futebol estão marcadas para os dias 3 e 10 de março, no Planet Ball. As aulas terão início em março, e as inscrições já estão abertas no site www.psgacademypoa.com.br.

De acordo com o responsável pela Academy em Porto Alegre, Francisco Mattos, as avaliações funcionam como um teste de nivelamento, para encaixar os jovens atletas nas turmas adequadas “A avaliação técnica não visa excluir ninguém. Pelo contrário. O objetivo dela é fazer com o que os ‘coaches’ da Academy façam uma análise adequada de cada atleta, para que esse possa ser encaixado na turma que o faça assimilar e desenvolver melhor as aptidões técnicas, táticas e físicas da filosofia de futebol do PSG, que será utilizada nas aulas”, afirmou.

Ainda segundo Francisco, a procura pela PSG Academy gaúcha tem sido acima do esperado e o planejamento da franquia é atender 500 jovens. “Trouxemos a academia de futebol para Porto Alegre, pois entendemos que a cidade carece de projetos deste nível, com conceitos mais atualizados de futebol. A PSG Academy utiliza uma metodologia diferenciada, com os mesmos treinamentos usados nas categorias de base do Paris Saint-Germain, além de ser o clube do principal jogador brasileiro na atualidade, o Neymar, em quem muitos desses jovens se espelham”, finalizou.

A Paris Saint-Germain Academy conta com outras seis unidades no Brasil. Ao todo, são três no Rio de Janeiro-RJ (Botafogo, Barra da Tijuca e Gávea), duas em São Paulo-SP (Vila Pompeia e Guarulhos) e uma na Região Metropolitana de Salvador-BA (Villas). No mundo já são mais de 30 unidades em funcionamento, que atendem um número superior a 10 mil crianças e adolescentes.

SERVIÇO
PSG Academy POA – avaliações técnicas
Data: 03/03 e 10/03
Local: Planet Ball (endereço: Rua Prof. Cristiano Fischer, 1341 – Jardim do Salso, Porto Alegre/RS)
Público: meninos e meninas nascidos de 04 a 19 anos
Valor de inscrição para a avaliação: R$ 50,00
Inscrição: www.psgacademypoa.com.br

TRATO Comunicação de Rodrigo Russomano inaugura base em Portugal

TRATO Comunicação de Rodrigo Russomano inaugura base em Portugal

Destaque Direito Economia Esporte Mundo Negócios

Consolidada nos mercados local e nacional há uma década, a TRATO Comunicação expande suas atividades para o continente europeu. A partir desta semana, a jornalista Isabela Kuschnir passa a atender aos clientes que atuam naquela região a partir de Lisboa, em Portugal, considerado centro estratégico para novos negócios em esporte e comunicação na Europa.

4fb71acc38a767dbe4e3d6a87a9e23dc
Rodrigo Russomano

Graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e com MBA em Gestão Estratégica de Pessoas na Fundação Getúlio Vargas, Isabela, que tem experiência em reportagem, chefia e ancoragem em veículos de imprensa em Porto Alegre e na capital 20629368_1966312440254416_218066288_ofluminense, está à frente desse projeto pela empresa. – Portugal é vitrine para que outros grandes clubes da Europa conheçam a qualidade do jogador brasileiro. Nossa estratégia aqui é mirar nesses talentos promissores, auxiliar o crescimento e utilizar as ferramentas multimídia para garantir a visibilidade dos nossos clientes – ressalta Isabela.

Dos 27 atletas que integram o portfólio da TRATO, oito deles estão no velho continente: o goleiro Alisson e o zagueiro Juan Jesus, da Roma-ITA, o lateral-direito Rômulo, do Hellas Verona-ITA, o lateral-esquerdo Alex Telles e o atacante Soares, do Porto-POR, os goleiros Muriel, do Belenenses-POR, e Raphael Mello, do Cesarense-POR, e o meia Gustavo Campanharo, do Ludogorets-BUL. – Esta expansão materializa uma vontade que tenho desde o começo da TRATO. A Europa, e especialmente Portugal, é rota de muitos jogadores brasileiros, e a nossa missão é estar ao lado deles, oferecendo todo o suporte em comunicação – destaca o diretor da empresa, Rodrigo Russomano.

Rubem Penz organiza Oficina Santa Sede especial Futebol

Rubem Penz organiza Oficina Santa Sede especial Futebol

Cultura Notícias Porto Alegre

Estão abertas as inscrições para a Santa Sede, crônicas de botequim (oito livros publicados, uma indicação ao Açorianos de Literatura) – uma oficina literária presencial nascida em 2010 com o objetivo de devolver o gênero ao local que moldou as maiores gerações de cronistas: a mesa de bar. E, em 2016, ao escolher o futebol como tema, Rubem Penz (orientador) pretende dar a palavra a outra paixão nacional. Para tanto, está selecionando cinco gremistas e cinco colorados para comporem a mesa de boemia literária e defenderem suas cores com talento e arte.  A “sala dos cronistas”, no Bar Apolinário, em Porto Alegre, receberá torcedores-escritores apaixonados pelo  “esporte bretão” para debater  e aprender sobre literatura e futebol.

A partir da leitura de crônicas, os torcedores da dupla Gre-Nal produzirão seus próprios textos e, a cada segunda-feira, se encontrarão na Cidade Baixa, berço da boemia porto-alegrense, para apresentar e aprimorar os seus escritos – além, é claro, de celebrarem a alegria do encontro, pois um dos objetivos da oficina é justamente o de reunir cronistas naquele que é considerado o seu habitat natural, a mesa de bar.

Interessados devem fazer contato pelo e-mail rubempenz@gmail.com ou pela página www.facebook.com/oficinasantasede

O que: Oficina Santa Sede, crônicas de botequim – especial Futebol

Quando: primeiro semestre de 2016, encontros semanais às segundas-feiras, 20h

Onde: bar Apolinário, Rua José do Patrocínio, 527, Cidade Baixa

Informações e inscrições: rubempenz@gmail.com

Autoridade fiscalizadora do futebol ajudará clubes a modernizar gestão

Direito do Consumidor Economia Esporte Notícias Turismo

Brasília - A presidenta Dilma Rousseff participa da solenidade de assinatura de contratos de patrocínio de futebol (José Cruz/Agência Brasil)
Presidenta Dilma anuncia criação da autoridade fiscalizadora do futebol José Cruz/Agência Brasil
A presidenta Dilma Rousseff anunciou hoje (19) a criação da Autoridade Pública de Governança do Futebol que vai fiscalizar o esporte no país. O órgão contará com a participação paritária de atletas, dirigentes, treinadores e árbitros e será a instância fiscalizadora do Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro (Profut). De acordo com presidenta, a finalidade é garantir a efetiva modernização da gestão dos clubes de futebol.

Segundo a presidenta, com essa autoridade, será possível acompanhar “com rigor e transparência” o cumprimento das contrapartidas assumidas pelos clubes no Profut e permitirá que os patrocinadores tenham mais confiança na boa aplicação dos recursos investidos.

“Demos um passo decisivo em favor dessa sustentabilidade em 2015 com o início da vigência do Profut. Ele propiciou o refinanciamento das dívidas dos clubes estabelecendo como contrapartida o compromisso com regras de governança, de transparência e de responsabilidade fiscal. Foi instituído com o Profut uma verdadeira lei de responsabilidade do futebol para que nossos clubes possam se tornar empresas lucrativas”, afirmou a presidenta, durante cerimônia de assinatura de contratos de patrocínio com dez times no valor de R$ 83 milhões.

Com o prazo de adesão encerrado no final de novembro, o Profut teve a adesão de 111 entidades esportivas.

Dívidas

Aprovado em julho pelo Congresso Nacional e sancionado no fim de agosto, o Profut permite o parcelamento de dívidas tributárias e não tributárias de dívidas de clubes de futebol com a União em até 240 meses (20 anos). Em troca, as entidades esportivas precisam adotar critérios de transparência, de equilíbrio financeiro e de melhoria de gestão, como fixar mandato de quatro anos para os cargos eletivos de direção e publicação na internet de prestação de contas com auditoria independente.

De acordo com a Receita Federal, as entidades que aderiram ao programa têm dívidas estimadas em R$ 3,83 bilhões com o Fisco e a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. No entanto, não necessariamente o total desses débitos será renegociado.

Para permanecer no programa, os clubes precisam ficar em dia com as obrigações fiscais e trabalhistas. Caso algum clube deixe de pagar três parcelas, será excluído do parcelamento e não poderá ter acesso a benefícios de incentivo fiscal da União.

Estatuto do Torcedor

Dilma também disse que ainda este ano encaminhará ao Congresso Nacional a proposta de revisão da Lei Pelé e do Estatuto do Torcedor. “Queremos também propor uma legislação trabalhista própria para o futebol que deixe mais claras as responsabilidades dos clubes e proteja os atletas. Todas essas mudanças vão dar velocidade ao processo de modernização da indústria do futebol”, completou.

Advogado gaúcho será único latino-americano em fórum sobre transparência na Suíça

Advogado gaúcho será único latino-americano em fórum sobre transparência na Suíça

Cidade Direito Economia Negócios Notícias Poder

06adcc058ea24b4c7eb9796766205ec4_400x400– Os episódios recentes ensejam uma profunda reflexão sobre as estruturas do Futebol, bem como as práticas e políticas vigentes. A partir da ação das autoridades criminais americanas e suíças, cai por terra a ideia de impermeabilidade absoluta do sistema. Aliás, a própria retirada da inviolabilidade de sede da Conmebol, por parte do Congresso Paraguaio, também ilustra esta nova realidade – destacou o advogado Daniel Cravo, organizador do Congresso Internacional Contemporâneo em Porto Alegre.

Cravo participará de um debate sobre a normativa da Fifa que proíbe a participação de investidores nos direitos econômicos de atletas – em vigor de forma plena desde maio de 2015. Algo bastante contestado na realidade sul-americana, principalmente, e por clubes de Portugal, que regularmente utilizavam do expediente para competir com grandes equipes europeias.

– O fato é que a proibição está em vigor, e o aspecto que será analisado no Fórum é se a determinação da Fifa contribuiu ou não para uma maior transparência e integridade no futebol, e de que forma. É óbvio que a questão do direito econômico precisava ser regulada, mas sua extinção não é o caminho. Não se pode demonizar uma ferramenta que, com os ajustes adequados, poderia ser utilizada de forma benéfica ao crescimento do próprio esporte. Devemos lembrar que a integridade anda de mãos dadas com a ética, e, neste sentido, a adoção abrupta de um novo sistema (sem os direitos econômicos), que beneficia claramente um segmento específico deste mercado, agravando ainda mais a situação de sujeição de participantes mais humildes, teria sido a mais acertada? – questiona.

Há dois meses, Porto Alegre recebeu temáticas semelhantes ao abrigar a 4ª edição do Congresso Internacional de Direito Desportivo Contemporâneo. No encontro europeu, além de advogados especialistas, membros da esfera pública e do alto escalão do esporte têm presença confirmada: Javier Tebas (Presidente da Liga Espanhola de Futebol), Lars Olsson (Presidente da Liga Sueca de Futebol e ex-CEO da UEFA), Miguel Cardenal (Secretário de Esporte da Espanha), Alasdair Bell (Diretor legal da UEFA), Mark Goddar (Diretor geral do Sistema de Transferência (TMS) da Fifa), Sir Ian Kennedy (Membro do Parlamento de Autoridades Independentes do Reino Unido) e Leonard McCarthy (vice-presidente do Banco Mundial), dentre outros.

Afora a temática do direito econômico, serão apreciados assuntos como “Supervisão Financeira das Entidades Esportivas”; “Clubes-ponte: artifícios para infiltrações criminosas”; “Apelo mundial e Sucesso comercial do Esporte”; e “Boa Governança Esportiva”. (GloboEsporte.com)