Eduardo Leite vai pedir que Sartori envie logo para Assembleia projeto com manutenção das alíquotas de ICMS. Governador eleito pode anunciar nos próximos dias os Secretários da Fazenda e Casa Civil

Eduardo Leite vai pedir que Sartori envie logo para Assembleia projeto com manutenção das alíquotas de ICMS. Governador eleito pode anunciar nos próximos dias os Secretários da Fazenda e Casa Civil

Destaque Eleições 2018 Entrevistas Vídeo

Conversei com o governador eleito Eduardo Leite, no SBT RIO GRANDE – 2ª Edição. Ele deve definir ainda hoje o nome de quem coordenará a transição de governo com os representantes de José Ivo Sartori. No primeiro contato nesta terça-feira, Leite jÁ encaminhará com Sartori a data de envio para a Assembleia Legislativa do projeto pedindo que atual alíquota do ICMS seja mantida por dois anos. Para ele, mesmo que 56% dos atuais deputados não tenham sido reeleitos, não deve haver maiores problemas para aprovação porque o assunto foi debatido de forma transparente na campanha. Leite não espera nenhum tipo de retaliação da bancada do PMDB, em função dos tucanos terem votado contra o plebiscito para privatização das estatais em 2018.

Conversei com ele “fora do ar”, sobre a divulgação de nomes do secretariado. Leite me disse que, se revelasse, eu ficaria sem pauta para próximas entrevistas. Como ele não fala… Eu repasso informações colhidas com fontes. O que eu posso afirmar sobre secretariado é que Leite sonha com  grandes nomes para a equipe.  Já que o nome preferido Aod Cunha, já disse a interlocutores que não aceitaria voltar ao cargo que já ocupou no governo Yeda Crusius, economistas de projeção nacional estão sendo sondados para a Fazenda, Se a opção for local, o nome mais cotado é o de Leonardo Busatto, atual secretário do governo de Marchezan Jr,  em Porto Alegre. Já para a Casa Civil, o perfil é de alguém com habilidade política e técnica, nesse caso o nome mais cotado é o deputado federal eleito, Lucas Redecker, que foi secretário de estado e cumpre até 01 de fevereiro de 2019, mandato na Assembleia Legislativa.

 

VEJA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA

 

 

 

 

MBC promove debate com governador do Espírito Santo sobre gestão pública

MBC promove debate com governador do Espírito Santo sobre gestão pública

Agenda Cidade Economia Negócios Notícias Poder Política Porto Alegre

O governador do Estado do Espírito Santo, Paulo Hartung, é o convidado do Debate Brasil Competitivo, que será realizado nesta segunda-feira, 23, em Porto Alegre (RS),  na sede da Fecomércio. O evento terá como mediador o presidente executivo do MBC, Claudio Gastal, e contará com a participação de gestores públicos, líderes empresariais, especialistas erepresentantes da sociedade civil.  O encontro é uma realização do Movimento Brasil Competitivo (MBC), Programa Gaúcho da Qualidade e Produtividade (PGQP), Agenda 2020, Fecomércio e Celulose Riograndense.

Paulo Hartung administra o Estado do Espírito Santo pela terceira vez e irá apresentar suas experiências, debater a gestão pública, o cenário político nacional e os desafios enfrentados pelo Brasil. Em 2002, foi eleito no 1º turno, em 2006 foi reeleito realizando um trabalho com foco na gestão, reorganizando e modernizando a máquina pública. Hartung conseguiu ampliar a capacidade de investimento do Estado de menos de 1% para 16% da arrecadação. Em 2014, venceu novamente as eleições para governo do Estado.

Economista pela Universidade Federal do Espírito Santo, Hartung foi deputado estadual por dois mandatos consecutivos, de 1983 a 1990. No ano seguinte, assumiu como deputado federal e, em 1993, se elegeu prefeito de Vitória. Após deixar a administração municipal, no início de 1997, foi convidado pela Embaixada Americana no Brasil a participar de um programa intensivo sobre Administração Pública e Sistema Político nos Estados Unidos. Em 1998, lançou-se candidato ao Senado Federal, obtendo a maior votação registrada no Estado.

Serviço

Data: Segunda-feira, 23.05.2016

Horário: 11h30

Local: Fecomércio (Av. Alberto Bins, 665, 15º andar, Porto Alegre/RS)

“Não se tira dinheiro de onde não se tem”, repete Sartori sobre ameaça de pedido de impeachment; por Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

“Não se tira dinheiro de onde não se tem”, repete Sartori sobre ameaça de pedido de impeachment; por Gabriel Jacobsen/Rádio Guaíba

Notícias Poder Política Saúde Segurança

O governador José Ivo Sartori comentou, nesta sexta-feira, durante evento na Ilha do Pavão, em Porto Alegre, o pedido de impeachment contra ele prometido por entidades da segurança pública. Questionado sobre o tema pela reportagem da Rádio Guaíba, Sartori disse que não há alternativa além do parcelamento de salários do funcionalismo, pois não há recursos em caixa. O governador disse, pessoalmente, considerar mais justo que os servidores que ganhem menos tenham o salário integralizado o mais rápido possível, mas lamentou que decisões judiciais obriguem o governo a pagar igualmente todos os trabalhadores do Executivo.

“Eu acho que hoje nós poderíamos estar pagando aqueles que ganham menos. Infelizmente, pelas ações judiciais, nos abrigam a pagar todos igualmente, na mesma hora, na mesma direção. Eu acho que cada um tem a liberdade de fazer o que acha melhor, mas ninguém tira dinheiro de onde não se tem”, disse.

O governador ainda responsabilizou a economia nacional pela queda na arrecadação de impostos, inclusive do ICMS – que foi aumentado no início de 2016.

“Infelizmente a realidade econômica nacional, o desaquecimento econômico industrial, também nos retirou no ano que passou muito das nossas receitas. E mesmo que nós tenhamos modificado a planta do ICMS, ela ainda assim criou mais dificuldades porque nós vemos uma retração muito grande na receita”, disse.

Em se tratando da política nacional, Sartori disse que foi contrário à aliança do PMDB com o PT desde o início, há 13 anos. “Já tinha dado declaração em 2003 como deputado federal que o PMDB não deveria fazer parte do governo porque era uma forma de cooptação e que isso não seria bom para o PMDB, não seria bom para o governo da época, não seria bom para os partidos como um todo. Quanto à situação nacional, eu espero que a gente possa vencer isso. Espero que sem violência e sem aventura”, disse o governador, que se negou a comentar a qualidade dos três peemedebistas (Michel Temer, Eduardo Cunha e Renan Calheiros) que estão na linha sucessória de Dilma Rousseff (PT), caso ela sofra o impeachment.

As respostas do governador foram dadas no início da tarde, após autorizar o início da obra de dragagem no entorno do clube Grêmio Náutico União. O trabalho visa a melhorar a raia olímpica onde a seleção brasileira de remo vai treinar para os Jogos Olímpicos Rio 2016. Mais cedo, o governador participou da entrega das obras de dragagem da foz do Rio Caí, realizada através de parceria público-privada.