Preferido de Temer, Meirelles anima mercado

Preferido de Temer, Meirelles anima mercado

Economia Notícias Poder Política

O vice-presidente Michel Temer admitiu ter sondado o ex-presidente do Banco Central Henrique Meirelles para ocupar o Ministério da Fazenda caso assuma o governo com o possível impeachment da presidente Dilma, o que provocou reações positivas no mercado, contribuindo para a alta de 2,35% da Bovespa. A Jorge Bastos Moreno, Temer disse que delegaria “ao Meirelles” o direito de indicar o presidente do BC. O vice também sinalizou que quer o senador tucano José Serra na Educação e o advogado Antônio Mariz de Oliveira na Justiça. O nome de Mariz, que assinou manifesto de advogados crítico à Lava-Jato, causou polêmica. O PMDB do Rio planeja influenciar escolhas no Esporte e no Turismo. (O Globo)

Representantes de grandes empresas do streaming como Spotify e Deezer debatem o mercado em Porto Alegre

Comportamento Comunicação Cultura Negócios Notícias Porto Alegre

Um mercado que vem revolucionando a maneira como as pessoas consomem principalmente música e cinema: o streaming estará em debate no “Poa Music Express”. O evento traz a Porto Alegre importantes nomes do segmento para um debate no dia 17 de dezembro (quinta), das 16h às 21h30 na Loja Open Stage (Av. Otto Niemeyer, 2415). Os diretores do Spotify, Deezer, Napster, Tratore, One Rpm, Cd Baby, Abmi apresentam palestras ao longo do dia. Esses profissionais, referências na área, possibilitarão aos participantes uma imersão no mercado da música digital, abordando distribuição, plataformas de venda e streaming, direitos autorais e arrecadação, promoção e ferramentas de marketing digital para artistas. Também serão abordados números do mercado atual, contextualização, transformações e tendências para o futuro.

Um dos grandes diferenciais dessas plataformas é a praticidade de ver tudo direto da internet e quase em tempo real, sem ter que esperar o download do arquivo. As pessoas estão aderindo ao sistema como uma forma de manter a praticidade da internet com a segurança de estar consumindo conteúdos originais que inclusive pagarão direitos autorais aos seus artistas. No Brasil existe ainda uma grande discussão tributária e uma possível mobilização do governo para a criação do “Netflix brasileiro”. Confira a programação completa:

16h – O ambiente de Negócios e o Mercado de Música no Brasil

Palestrante: Luciana Pegorer (ABMI)

16h45 – DIY – Do it yourself – As novas regras do jogo para artistas independentes

Palestrante: Marcos Chomen (CDBaby)

17h30 – Estratégias e Novos Negócios no digital

Palestrante: Arthur Fitzgibbon (Onerpm)

18h15 – Planejando o seu lançamento nas lojas digitais. Quando, como e por quê

Palestrante: Mauricio Bussab (Tratore)

19h às 19h15 – Intervalo

19h15 às 21h15 – Plataformas digitais: O Modelo de Streaming

Participantes:

19h15: Roberta Pate – Spotify

19h45: Henrique Fares Leite – Deezer

20h15: Max Guimer e Flavio Souza – Napster

20h45 – Q&A

Mediação: Luciana Pegorer

21h30 – Showcase de Tweedy

SERVIÇO:

Poa Music Express

Dia 17 de dezembro (quinta), das 16h às 21h30, na Open Stage Instrumentos Musicais (espaço de eventos – Av. Otto Niemeyer, 2415 – Tristeza)

Ingresso: R$ 50 1º lote R$ 60 2º lote (limitado a 100 lugares)

Pontos de venda: No local do evento ou pelo site www.lojaopenstage.com.br

Ainda é possível comprar através de depósito e transferência bancária. Nesse caso, os interessados devem escrever para contato@tweedymusic.com

Apoio: ABMI (Associação Brasileira de Música Independente) Tweedy Music e Open Stage Instrumentos Musicais www.lojaopenstage.com.br

Produção: Tweedy

Dólar volta a cair e Ibovespa mantém queda

Dólar volta a cair e Ibovespa mantém queda

Economia Negócios Notícias
 O dólar comercial, que subiu pela manhã e chegou a R$ 3,7806, voltou a cair. Por volta de 14h, o dólar estava cotado a R$ 3,7327. Ontem, o dólar caiu 2,26% (R$ 0,087) e fechou vendido a R$ 3,748, na menor cotação desde o último dia 24 (R$ 3,704).

O Ibovespa, índice da Bolsa de Valores de São Paulo, que subiu fortemente nessa quinta-feira, está em queda hoje. A queda chegou a 2,59%, com 45.192 pontos. Ontem, o Ibovespa subiu 3,29% e fechou em 46.393,26 pontos, interrompendo sequência de quatro quedas.

Ontem, o mercado reagiu à aprovação da meta fiscal do governo para 2015 e ao anúncio de abertura do processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff.

Hoje, além do cenário político brasileiro, o mercado reflete a divulgação de números positivos do mercado de trabalho dos Estados Unidos. A economia norte-americana criou 211 mil empregos em novembro, acima das previsões dos analistas que apontavam para 196 mil.

A melhora no mercado de trabalho poder levar ao aumento da taxa de juros pela Reserva Federal (Fed), banco central norte-americano, na sua reunião de política monetária, marcada para os dias de 15 e 16. O aumento dos juros nos Estados Unidos pode atrair investimentos em títulos públicos americanos, considerados a aplicação mais segura do planeta. Os investidores retiram recursos de países emergentes, como o Brasil, pressionando a cotação do dólar. (Agência Lusa)

Um dia após abertura do processo de impeachment, Ibovespa sobe e dólar cai. Ações do BTG Pactual sobem também hoje

Economia Notícias

O Ibovespa, índice da Bolsa de Valores de São Paulo, sobe, enquanto o dólar cai, um dia após a autorização do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-rj), para abertura de processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. Por volta das 15h, o Ibovespa subia 4,03%, com 46.725 pontos. Já o dólar comercial era vendido a R$ 3,7809.

As ações do BTG Pactual, que vinham caindo nos últimos dias com a prisão de um dos sócios, o banqueiro André Esteves, sobem também hoje. A alta é de 0,95%.

O pedido de abertura do processo de impeachment aceito por Cunha foi apresentado pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal. A decisão foi anunciada poucas horas após a bancada do PT decidir votar pela continuidade do processo contra Cunha no Conselho de Ética.

O mercado financeiro vê o impeachment como uma possível solução para a crise política, que gera repercussões na economia. Para o professor do Departamento de Economia da Universidade de São Paulo (USP) Fabio Kanczuk, se o processo for aprovado e o vice-presidente Michel Temer assumir a Presidência, deve ter melhores condições políticas para governar e promover reformas macroeconômicas.

Já o economista Luciano D’Agostini, pós-doutorando em macroeconomia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, classifica de “imprudente” um possível processo dessa natureza, dizendo que as consequências vão “respingar no cidadão”. Para o economista, devido às incertezas quanto ao futuro, a volatilidade (forte oscilação) da cotação do dólar deve aumentar, assim como o risco-país (que mede o grau do risco que um país representa para o investidor estrangeiro). (Agência Brasil)