Ana Amélia diz que já há votos suficientes para impeachment de Dilma

Ana Amélia diz que já há votos suficientes para impeachment de Dilma

Destaque Entrevistas Poder Política Vídeo

A Comissão Especial do Impeachment aprovou nesta quinta-feira (4) o relatório favorável ao julgamento da presidente afastada Dilma Rousseff. O próximo passo é a votação do relatório no plenário do Senado.
Dilma é acusada de editar decretos para liberar dinheiro sem autorização do Congresso, e de ser responsável pelas chamadas pedaladas fiscais, como ficaram conhecidos os atrasos dos pagamentos do governo ao Banco do Brasil. Entrevistei a Senadora Ana Amélia sobre a estratégia para confirmar o impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff nas duas próximas votações no Senado.

Temer cobra de André Moura agilidade na votação da nova meta fiscal

Temer cobra de André Moura agilidade na votação da nova meta fiscal

Notícias Poder Política

O presidente interino Michel Temer quer agilizar as votações de interesse do governo no Congresso e pediu que a análise da revisão da meta fiscal seja feita o “mais rápido possível”. Ele se encontrou hoje (19) com o novo líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), para ouvir o diagnóstico da Casa sobre a possibilidade de se avançar as votações na próxima semana.

Brasília - O deputado André Moura se anuncia como líder do governo, em coletiva na Câmara (Antônio Cruz/Agência Brasil)
André Moura informou que o objetivo do governo é desobstruir a pauta na segunda. Foto arquivo: Antonio Cruz/Agência Brasil

A intenção é votar, pelo menos, as medidas provisórias que trancam a pauta e o projeto que prorroga a desvinculação das receitas da União. De acordo com André Moura, o objetivo é desobstruir a pauta na segunda-feira (23) e adiantar o máximo possível, já que a semana que vem será mais curta.

“O [presidente quer a votação da meta] o mais rápido possível. A gente sabe que é uma semana com feriado e talvez não dê para votarmos a meta, mas a ideia é pelo menos avançar com medidas provisórias e a DRU nessa semana”, afirmou a jornalistas no Palácio do Planalto, após se reunir com Temer.

André Moura foi convidado por Temer para assumir a liderança do governo nessa quarta-feira (18). A nomeação foi publicada na edição desta quinta-feira do Diário Oficial da União.

A nova meta fiscal, que será muito maior do que a anunciada pela equipe da presidenta afastada Dilma Rousseff, será anunciada pela equipe econômica do governo na segunda. O Congresso Nacional tem até 30 de maio para mudar a meta fiscal. Caso contrário, Michel Temer precisará anunciar contingenciamento.

De acordo com o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB), o déficit primário deste ano deve ficar na casa dos R$ 150 bilhões. A projeção atual é de R$ 96, 7 bilhões. Segundo o ministro do Planejamento, Romero Jucá, a votação pode ocorrer já na própria terça-feira (24).

Governador diz que pacote aprovado pela Assembleia é favorável ao RS e ao servidor

Direito Entrevistas Notícias Poder Política

Entrevistei  hoje o  governador José Ivo Sartori no Agora/Rádio Guaíba. Segundo ele, não há um texto mais importante que outro dentre os projetos enviados à Assembleia por meio de convocação extraordinária. Em entrevista ao Programa Agora da Rádio Guaíba, disse que a Lei de Responsabilidade Fiscal não é contra ninguém, mas favorável ao servidor para que amanhã ou depois o Estado não passe novamente pelo constrangimento de não ter dinheiro para pagar as contas. “São sementes que se deve plantar para o futuro. Pode não servir para hoje, mas para os servidores que ingressarão no serviço público”, esclareceu.

Sobre o Plano das Concessões Rodoviárias, Sartori entende que a proposta está muito engessada e por conta disso foi retirada da pauta de votações. Ele disse que se trata de um texto igual ao que o governo federal já fez e ainda precisa de adaptações. “Os técnicos do DAER e EGR trabalham para que o programa seja integrado, principalmente nas ligações entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina e as principais vias do centro-Sul do Estado e o Porto do Rio Grande”, completou. Para o governador  que não há outra maneira de o Estado resolver esse problema de infraestrutura sem a concessão de rodovias. Ainda disse que o Legislativo votará o tema em fevereiro e é possível que se tenha algum resultado até o fim do primeiro semestre de 2016.

Ao ser questionado sobre a reunião de governadores ontem, em Brasília, Sartori adiantou que uma vez por mês haverá reunião do grupo para decidir sobre atividades advindas do desaquecimento econômico e do desemprego, a partir de conversa tida com o Ministro da Fazenda, Nelson Barbosa. “Vamos nos constituir em trabalho permanente para sentar na mesa. Se as partes estiverem juntas, incluindo estados e municípios, conseguiremos resolver a crise dentro de um espírito federalista”, destacou. Sartori acredita que é possível reformar instituições e fazer um Brasil diferente.

Na entrevista também foram tratadas questões referentes à dívida com a União e investimentos internacionais. Ao ser questionado sobre o processo de impeachment da presidente Dilma, Sartori informou que não foi discutido esse tema no encontro. Sobre o pagamento dos servidores, o governador elogiou o esforço do secretário da Fazenda Giovani Feltes, mas não garantiu que será feito o pagamento da folha a partir de amanhã. No entanto, fez questão de frisar que desde o início seu governo foi transparente para mostrar as finanças do Rio Grande do Sul. Sobre o caso Jardel, Sartori disse não ter conhecimento da situação, mas garantiu que “tudo o que é demasiado será avaliado dentro da seriedade e da responsabilidade”. (Redação: Luis Tósca / Rádio Guaíba)