Porto Alegre, segunda, 17 de janeiro de 2022
img

CASO MARIELLE: LAUDO DIZ QUE VOZ NÃO É DO PORTEIRO QUE CITOU BOLSONARO

Detalhes Notícia

A Polícia Civil concluiu que a voz do porteiro que liberou a entrada do ex-policial militar Élcio de Queiroz no condomínio Vivendas da Barra no dia do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes não é a do funcionário que citou o presidente Jair Bolsonaro em depoimento.

A conclusão consta em um laudo da Polícia Civil divulgado nesta terça-feira (11/02) pelo jornal O Globo. Assinado por seis peritos, o texto ao qual o jornal teve acesso afirma também que não foi constatada nenhuma edição no áudio da portaria e que quem deu autorização para a entrada de Queiroz no condomínio foi o policial reformado Ronnie Lessa.

Tanto Queiroz quanto Lessa estão presos sob a acusação de terem cometido o assassinato, ocorrido em março de 2018.

Em dois depoimentos no ano passado, um dos porteiros do Vivendas da Barra, onde Bolsonaro e Lessa têm propriedades, disse que o então deputado federal e atual presidente havia liberado a entrada de Queiroz no condomínio. No mês seguinte, em novo depoimento, ele voltou atrás.

Leia mais em Deutsche Wellle