Porto Alegre, quarta, 29 de junho de 2022
img

Costureira de Esteio produz máscaras de algodão e doa aos profissionais da saúde e famílias

Detalhes Notícia
Modesta da Silva já confeccionou mais de cem máscaras para doação. Diferente das máscaras cirúrgicas, que são descartáveis, os equipamentos de proteção produzidos por Modesta são reutilizáveis. | Foto: Fernanda Bassôa / Especial / CP

O tempo ocioso do confinamento que a pandemia do coronavírus impôs aos brasileiros e aos moradores da região Metropolitana despertou na costureira aposentada Modesta da Silva da Rosa, de 68 anos, a vontade de ajudar. O auxílio não vai apenas para as famílias carentes do bairro Três Portos, em Esteio, onde vive. A intenção é ajudar especialmente os profissionais e as equipes da saúde que atuam na linha de frente contra essa doença. No cômodo da casa onde produz fantasias para festas temáticas e para aniversários de criança, local onde também estão os equipamentos e utensílios de costura, Modesta encontrou alguns metros de tecido de algodão e elásticos usados em langieries. Há duas semanas ela tem produzido máscaras de proteção e seu empenho já resultou na confecção de mais de uma centena delas, praticamente todas bem coloridas. Trinta já foram doadas para os profissionais da saúde. Outras, ainda estão sob o aguardo de solicitação.

Leia mais no Correio do Povo