Porto Alegre, terça, 19 de outubro de 2021
img

Suspeita de corrupção recai sobre estrela do partido de Merkel; Deutsche Welle

Detalhes Notícia
Deputado de 27 anos misturou política e interesse pessoal. Philipp Amthor atuou junto a governo para favorecimento de firma da qual era membro da diretoria e tinha ações. Escândalo pode custar sua carreira na política. Philipp Amthor admitiu que a atividade de lobista o deixou "politicamente atacável". @picture- alliance/dpa/B. Wüstneck

 

 

Philipp Amthor é uma espécie de estrela da conservadora União Democrata Cristã (CDU), da chanceler federal alemã, Angela Merkel. Aos 27 anos, o bem-vestido deputado do Bundestag (câmara baixa do parlamento) só tem a metade da idade média de seus correligionários.

Convidado frequente de talk shows de TV, ele galgou rapidamente os quadros partidários. Tendo se filiado à CDU em 2007, foi recentemente indicado como potencial candidato democrata-cristão ao governo do estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental. Caso vença as eleições em 2021, se tornaria o mais jovem governador da história da Alemanha.

Agora tudo isso está em risco, desde que a revista alemã Der Spiegel noticiou sobre a atuação de Amthor junto à empresa americana Augustus Intelligence (AI), fundada em 2018 e especializada em “soluções seguras de inteligência artificial”. Membro da diretoria, em 2019 ele viajou para Nova York, Costa Rica e Saint Moritz, Suíça. A administração do Bundestag investiga no momento quem pagou as viagens.

O jovem político também recebeu 2.817 opções de ações da AI, que não declarou como renda complementar. Tecnicamente, ele estava alinhado com os regulamentos do país, que apenas obrigam os deputados a revelarem ganhos adicionais superiores a 10 mil euros por ano. As ações só teriam que ser declaradas caso fossem vendidas com lucro.

Leia mais em Deutsche Welle