Porto Alegre, sábado, 16 de outubro de 2021
img

Retomada econômica precisa de vacina e crédito, afirma presidente da Assembleia Legislativa do RS; Jornal do Comércio

Detalhes Notícia
Se pretende que o Estado brasileiro possa subsidiar a economia nos setores mais atingidos, afirma o presidente Gabriel Souza JOEL VARGAS/ALRS/JC

 

 

Para o presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul, Gabriel Souza (MDB), a retomada econômica passa por três fatores: em primeiro lugar, a vacinação; em segundo, o acesso das empresas ao crédito subsidiado pelo Estado; e, terceiro, o investimento público e privado em infraestrutura.
Ao avaliar se o pacote de retomada econômica enviado pelo governador Eduardo Leite (PSDB) ao Parlamento preenche esses três requisitos, Souza opina que o conjunto de projetos é “insuficiente, mas vem em boa hora”. Para o presidente da Assembleia, o papel de fomentar a economia em momentos de crises extremas – como a causada pela pandemia de coronavírus – é do governo federal. “A União tem condições para isso, independentemente de quem seja o presidente. Por exemplo, ela tem as condições fiscais para captar recursos através de emissão de títulos da dívida.”
Quanto à vacinação, Souza comentou a decisão – controversa – da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) que negou o uso da vacina russa Sputnik V no Brasil. No território brasileiro, o imunizante seria produzido pelo laboratório nacional União Química. O presidente da Assembleia participou de reuniões com os executivos da farmacêutica brasileira. Conforme Souza, o Rio Grande do Sul assinou uma manifestação de interesse na compra de 4 milhões de doses. “Temos que respeitar a decisão da Anvisa, torcendo para que rapidamente seja revertida pelo fabricante, fornecendo as informações que a agência reguladora julgou faltantes no processo.”

Leia mais no Jornal do Comércio