Porto Alegre, terça, 19 de outubro de 2021
img

Haiti segue em busca de sobreviventes do terremoto que já deixou mais de 1.200 mortos; El País

Detalhes Notícia
As equipes de resgate continuam sua busca nos escombros após o poderoso tremor no sábado, que deixou pelo menos 5.700 feridos e milhares de casas destruídas no sudoeste do país. Paramédicos da Cruz Vermelha atendem vítimas do terremoto em Los Cayos, Haiti, neste sábado. STRINGER / REUTERS

 

 

Os haitianos que vivem nas áreas afetadas pelo terremoto de magnitude 7,2, que no sábado deixou mais de 1.297 mortos e milhares de feridos, passaram a noite ao ar livre, temendo que os novos tremores, que se espalharam desde sábado, agravem a situação e derrubem as casas que sobraram de pé. Neste domingo, enquanto a tempestade tropical Grace avançava pelo Caribe em direção à ilha, as equipes de resgate avançavam na busca por sobreviventes contra o relógio.

Na manhã deste domingo, as autoridades da Defesa Civil atualizaram o número de vítimas: pelo menos 1.297 mortos, 5.700 feridos e milhares de casas destruídas por um terremoto que despertou o temor do poderoso tremor de magnitude semelhante que em 2010 deixou 300.000 mortos.

“Em Los Cayos estamos muito chocados. Muita gente passa a noite na rua porque as casas estão muito afetadas e a terra não para de tremer “, disse Jenel Loubeau ao EL PAÍS daquela cidade de cerca de 90.000 habitantes, uma das principais do litoral sudoeste, a mais atingida pelo poderoso terremoto, que teve seu epicentro próximo a Saint-Louis du Sud, a cerca de 160 quilômetros de Porto Principe, a capital. De acordo com o estudante de 23 anos, quem não perdeu a casa teme retornar a ela por conta das novas réplicas, que não pararam de ser sentidas desde o terremoto de sábado.

Leia mais em El País