Porto Alegre, sexta, 03 de dezembro de 2021
img

Sob Pacheco, Minas vira líder de recursos do orçamento secreto; O Estado de São Paulo

Detalhes Notícia
Mudança ocorre após eleição de Rodrigo Pacheco à presidência do Senado; Estado deve receber R$ 662,1 mi via emenda de relator. Mudança ocorre após eleição de Rodrigo Pacheco à presidência do Senado; Estado deve receber R$ 662,1 mi via emenda de relator. Foto: Marcos Brandão/Senado Federal

 

 

Segundo maior colégio eleitoral do País, Minas Gerais saltou de quinto lugar, em 2020, para o principal destino de emendas do orçamento secreto neste ano. A virada ocorreu após a eleição de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) para a presidência do Senado, em fevereiro. A partir daí, prefeituras e o governo do Estado lideraram tanto indicações de repasses feitos pelo relator-geral do Orçamento quanto pagamentos executados pelo governo federal.

No comando do Congresso, Pacheco trabalha por uma possível candidatura à sucessão do presidente Jair Bolsonaro, em 2022. Está prestes a mudar de partido, do DEM para o PSD, e procura ocupar o vácuo na política de Minas. O orçamento secreto, revelado pelo Estadão em maio, é composto pelas chamadas emendas de relator. São verbas extras distribuídas a aliados, de acordo com critérios políticos, sem a transparência adotada na transferência de outros recursos do orçamento federal.

Leia mais em O Estado de São Paulo