Porto Alegre, terça, 19 de outubro de 2021
img

Congresso ignora apelos de Bolsonaro e deixa de lado agenda ideológica da base do presidente; Folha de São Paulo

Detalhes Notícia
Governo aprova propostas prioritárias da área econômica, por exemplo, mas sem sucesso na agenda bolsonarista. Pedro Ladeira/Folhapress

 

 

Eleito com o apoio do presidente Jair Bolsonaro, o novo comando do Congresso aprovou em cerca de sete meses 46% das propostas prioritárias no campo econômico, mas pautas que alimentam a base bolsonarista, como a flexibilização de porte e posse de armas, continuam sem perspectiva de sair do papel.

Um dia após a posse de Arthur Lira (PP-AL) na presidência da Câmara e de Rodrigo Pacheco (DEM-MG) no comando do Senado, em fevereiro, eles foram recebidos por Bolsonaro em audiência no Palácio do Planalto.

Ao fim, receberam uma lista com 35 projetos prioritários para o governo —o que foi interpretado por integrantes da oposição como uma espécie de fatura pelo apoio público à eleição de ambos.

Além das reformas tributária e administrativa, a lista de projetos prioritários incluía a proposta de autonomia do Banco Central e outros itens da agenda do ministro da Economia, Paulo Guedes, para destravar o crescimento do país.

Leia mais na Folha de São Paulo