Porto Alegre, quarta, 20 de outubro de 2021
img

Ex-presidente da Braskem, Grubisich é condenado a 20 meses de prisão nos EUA; O Estado de São Paulo

Detalhes Notícia
De acordo com comunicado oficial da Justiça americana, o executivo desviou centenas de milhões de dólares da Braskem para um fundo secreto e pagou subornos a funcionários do governo, partidos políticos e outros no Brasil. José Carlos Grubisich se declarou culpado em abril Foto: Paulo Giandalia/Estadão

 

 

O executivo José Carlos Grubisich, ex-presidente da petroquímica brasileira Braskem, foi condenado nesta terça-feira, 12, a 20 meses de prisão nos Estados Unidos. De acordo com comunicado oficial da Justiça americana, Grubisich desviou centenas de milhões de dólares da Braskem para um fundo secreto e pagou subornos a funcionários do governo e partidos políticos. Além de ter de cumprir a prisão, Grubisich terá de pagar US$ 2,2 milhões de indenização.

O executivo se declarou culpado em abril por participar de um esquema de propina que envolvia a Braskem e seu controlador, o grupo Odebrecht (hoje rebatizado Novonor).

A sentença foi proferida pelo juiz Raymond Dearie, de Nova York – a divisão de corrupção internacional do FBI do Estado também participa o caso. “Grubisich e aliados desviaram aproximadamente US$ 250 milhões da Braskem para um fundo secreto, que Grubisich e outros geraram por meio de contratos fraudulentos e empresas de fachada controladas secretamente pela Braskem”, disse a Justiça americana, no comunicado que anunciou a sentença.

Leia mais em O Estado de São Paulo