Porto Alegre, quinta, 02 de dezembro de 2021
img

Corregedor do TSE vota para cassar deputado que propagou notícias falsas sobre urnas eletrônicas; O Globo

Detalhes Notícia
Corte começou a julgar recurso contra deputado estadual que no dia das eleições em 2018 fez falsas denúncias de fraude em live transmitida para 70 mil pessoas. Sessão plenária do TSE para julgamento da Aije Foto: Roberto Jayme/Ascom/TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) começou a julgar nesta terça-feira um recurso do Ministério Público Eleitoral (MPE) contra o deputado estadual do Paraná Fernando Destito Francischini (PSL-PR) por propagar fake news sobre fraudes nas urnas eletrônicas e o sistema eletrônico de votação durante uma live feita no dia das eleições de 2018. Três ministros votaram pela cassação e inelegibilidade por oito anos do parlamentar.

Ao votar pela perda do mandato e inelegibilidade de Francischini, relator do caso, ministro Luís Felipe Salomão, que é corregedor da Justiça Eleirtoral, entendeu que a conduta do hoje deputado estadual atentou contra o sistema eleitoral brasleiro e levaram ao erro “milhões de eleitores”.

Então candidato ao cargo, Francischini foi investigado por uso indevido dos meios de comunicação e por abuso de autoridade pela realização de uma live, durante o primeiro turno das Eleições Gerais de 2018, na qual afirmou, sem provas, que as urnas eletrônicas estavam fraudadas para impedir a eleição de Jair Bolsonaro à presidência da República. Bolsonaro, como se sabe, foi eleito com mais de 57 milhões de votos.

Leia mais em O Globo