Porto Alegre, sexta, 19 de agosto de 2022
img

Delegados escalados para fiscalizar urnas são da inteligência da PF, por Jeniffer Gularte/Metrópoles

Detalhes Notícia
O chefe da diretoria de inteligência é próximo do ministro da Justiça, Anderson Torres, homem de confiança de Jair Bolsonaro. Reprodução/PF

 

Os três delegados que compõem o grupo de trabalho criado pela Polícia Federal para fiscalizar e auditar o sistema eleitoral são lotados na poderosa Diretoria de Inteligência Policial (DIP), setor que cuida dos casos mais sensíveis em andamento na corporação e que tem conexão direta com o diretor-geral, Márcio Nunes, e com o ministro da Justiça, Anderson Torres.

A DIP é chefiada pelo delegado Alessandro Moretti. Ele assumiu o posto recentemente, junto com Nunes, e antes de ser nomeado chegou a trabalhar diretamente com Torres no governo do Distrito Federal.

Uma portaria publicada no boletim interno da PF nomeou os delegados Ricardo Ruiz Silva, Elias Milhomens de Araújo e Victor Barbabela Negraes para o grupo de trabalho. Os três são subordinados a Moretti na DIP.

Leia mais em Metrópoles