Especialistas debatem inovações da medicina respiratória em Porto Alegre. Avanços da cirurgia robótica e novidades no tratamento da asma foram destaque no simpósio internacional promovido pelo Hospital Moinhos de Vento

Especialistas debatem inovações da medicina respiratória em Porto Alegre. Avanços da cirurgia robótica e novidades no tratamento da asma foram destaque no simpósio internacional promovido pelo Hospital Moinhos de Vento

Destaque Saúde

Diagnósticos mais rápidos e precisos, tratamentos inovadores e o uso da cirurgia robótica na medicina respiratória foram discutidos em Porto Alegre, no 2º Simpósio Internacional do Serviço de Pneumologia e Cirurgia Torácica. Promovido pelo Hospital Moinhos de Vento, o evento ocorreu na tarde de sexta-feira (30) e durante todo o sábado (31), no Hotel Sheraton. Especialistas nacionais e internacionais apresentaram palestras voltadas à atualização dos profissionais nas técnicas de manejo das doenças respiratórias.

Para o coordenador do simpósio, Marcelo Gazzana, a rápida evolução da tecnologia e as descobertas cientificas tornam cada vez mais necessários o treinamento e a atualização dos pneumologistas e cirurgiões. “É sempre oportuno ir além das fronteiras para conhecer e divulgar novas técnicas e possibilidades. Nossa intenção é promover a troca de conhecimentos para qualificar ainda mais os tratamentos oferecidos aos pacientes, desde as doenças mais prevalentes, como a asma, até as mais complexas e desafiadoras, como o câncer de pulmão”, avaliou Gazzana, que é Chefe do Serviço de Pneumologia e Cirurgia Torácica do Hospital Moinhos de Vento.

A Gerente Médica do Hospital Moinhos de Vento, Gisele Nader, lembrou que o serviço de Pneumologia e Cirurgia Torácica vem se fortalecendo não só pelo investimento em tecnologia de ponta, mas também pela qualificação dos médicos. “Nos próximos meses nossa equipe contará com mais dois profissionais certificados em cirurgia robótica.” Em novembro de 2018, a instituição gaúcha realizou a primeira cirurgia robótica torácica do Sul do Brasil.

 

Cirurgia robótica

Diversas conferências do simpósio destacaram os resultados promissores da cirurgia robótica no tratamento das doenças respiratórias e torácicas. Para o secretário da Sociedade Brasileira de Cirurgia Torácica, Ricardo Terra, um dos palestrantes, a tecnologia apresenta vantagens ao permitir cirurgias minimamente invasivas. Isso acontece, segundo ele, sobretudo pela flexibilidade dos instrumentos e pela visão 3D que proporciona ao cirurgião. “Especialmente no tórax, a cirurgia robótica tornou o procedimento cirúrgico mais preciso e menos traumático”, indicou o professor da USP, destacando que a novidade provocou uma importante expansão tanto no volume como na complexidade dos procedimentos realizados.

As novas formas de exame e diagnóstico também foram apontadas pelos especialistas como grandes inovações. De acordo com Maria Teresa Ruiz Tsukazan, cirurgiã torácica do Hospital Moinhos de Vento, a instituição tem apostado nos procedimentos de ecobroncoscopia (EBUS) para ampliar a precisão do diagnóstico e a avaliação do estágio em tumores de pulmão. “Fomos os primeiros a adquirir esse equipamento no Estado e a contar com profissionais capacitados no exterior para operá-lo”, sublinhou.

A técnica associa a já conhecida endoscopia com a ultrassonografia, proporcionando um exame mais profundo ao detectar lesões que não são visíveis pelo método convencional. O procedimento é menos invasivo e fornece imagens mais detalhadas, permitindo uma avaliação assertiva dos médicos. Também facilita o diagnóstico precoce e a decisão pelo tratamento e, por consequência, reduz a mortalidade associada à doença.

Asma em debate

No sábado, o simpósio aprofundou as discussões sobre os diagnósticos e tratamentos da asma, doença crônica que voltou às rodas de conversa desde a morte da escritora Fernanda Young, no último domingo (25). Os pneumologistas Leandro Genehr Fritscher, Flavia Gabe Beltrami e Pierangelo Tadeu Baglio, do Hospital Moinhos de Vento, participaram de uma mesa redonda sobre a educação de pacientes asmáticos, os casos que não respondem aos tratamentos e as perspectivas da medicina personalizada. Completou o debate o pneumologista Bernardo Henrique Ferraz Maranhão, professor da Faculdade de Medicina da UNIRIO e ex-presidente da Sociedade de Pneumologia e Tisiologia do Rio de Janeiro.

Hoje, aproximadamente 20 milhões de brasileiros sofrem com a asma. Afetando as vias respiratórias, é a mais comum no país, ocasionando cerca de seis mortes por dia. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 10% dos portadores enfrentam a forma grave da enfermidade.

Hospital Moinhos de Vento discute as anormalidades pediátricas em genitálias

 Evento vai esclarecer dúvidas de pais e da comunidade em geral

 

O Hospital Moinhos de Vento realiza Grand Round na próxima terça-feira (27), das 12h15 às 13h15, para o evento “O que os pais e pediatras precisam saber sobre anormalidades na genitália”. O encontro acontece na instituição, no Anfiteatro Schwester Hilda Sturm, em Porto Alegre/RS. Com entrada franca, a programação é aberta ao público.

O evento vai reunir o Chefe do Serviço de Pediatria do Hospital Moinhos de Vento, João Ronaldo Mafalda Krauzer, a endocrinologista Cristiane Kopacek, o cirurgião pediátrico Nicolino Cesar Rosito e o urologista pediátrico Tiago Elias Rosito. Todos eles integram o corpo clínico do Hospital Moinhos de Vento.

A proposta, segundo Krauzer, é abordar as diferenciações sexuais, anatômicas e funcionais em recém-nascidos e crianças. “Vamos falar de pediatria de uma forma compreensível, para os pais entenderem”, explicou o Chefe do Serviço de Pediatria do Hospital Moinhos de Vento.

A organização do evento reforça a importância de os interessados realizarem a inscrição no site www.iepmoinhos.com.br/eventos. Por meio do sistema, é possível fazer a contagem das horas-treinamento e ter dados consistentes para os indicadores profissionais. Em todas as palestras, são fornecidos certificado de participação.

Hospital Moinhos de Vento promove simpósio e workshop de aleitamento materno

Hospital Moinhos de Vento promove simpósio e workshop de aleitamento materno

Destaque Saúde

Dentro da programação do Agosto Dourado, mês voltado à conscientização sobre os benefícios do aleitamento materno, o Hospital Moinhos de Vento promove duas iniciativas na próxima sexta-feira (23).

A segunda edição do workshop sobre o tema ocorre a partir das 15h, no Anfiteatro Schwester Sturm, na própria instituição. Gratuita e aberta ao público, a atividade contará com uma palestra do Dr. Yechiel Moisés, do Departamento Científico de Aleitamento Materno da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP). A consultora de amamentação Riciane Osório também integra a programação.

Na mesma tarde, com início previsto para as 17h, ocorre o primeiro Simpósio Materno-Infantil. Uma mesa redonda será espaço para troca de experiências e cases de sucesso. As inscrições para o evento já estão encerradas.

Programação:

 

II Workshop de Aleitamento Materno

15h – Abertura do Simpósio com Coordenadora da área Materno-Infantil Enfª Andréia Amorim

15h10- Participação da Superintendência – Fala de boas vindas

15:15 – Abertura de mesa- Dr. Roberto Issler 

15:25 – Palestra com Dr. Yechiel Moisés

16:30 – Palestra: Enfª Consultora Internacional de Amamentação: Riciane Osório

 

17h- Coffee break

I Simpósio Materno-Infantil

17:15 – Abertura de mesa- Dra. Desiree

17:25 – Cases de Sucessos (10 min cada)

1º case: Enfª Ediane de Souza Nunes

2° case: Psicóloga Marcela Goulart

3° case: Enfª Myrcea Dellalibera

4° case: Enfª Fernanda Ziegler

5° case: Enfª. Camila Espinosa (18:10- 18:20)

18:30- Encerramento – Enfª Andréia Amorim – Coordenadora da Área Materno-Infantil

 

Horário ampliado de visitas na UTI não afeta segurança de pacientes críticos e beneficia familiares, diz estudo

Horário ampliado de visitas na UTI não afeta segurança de pacientes críticos e beneficia familiares, diz estudo

Destaque Saúde

Por muito tempo, a restrição do contato entre o paciente grave e seu mundo afetivo foi considerado um preço a ser pago por uma assistência hospitalar mais organizada e com menores riscos de piora no estado de saúde. Contudo, o projeto UTI Visitas – conduzido pelo Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre/RS – demonstrou justamente o contrário. Em parceria com o Ministério da Saúde, dentro do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), o estudo identificou que a maior permanência dos familiares ao lado dos pacientes é, além de segura, uma importante ferramenta que auxilia no tratamento.

As conclusões obtidas pelo estudo UTI Visitas – Efeitos da Visita Familiar Flexibilizada em Unidades de Terapia Intensiva Adulto foram tão significativos que alcançaram reconhecimento internacional.  Um dos periódicos científicos mais tradicionais e relevantes do mundo, o Jornal da Associação Americana de Medicina (JAMA) publicou os resultados do projeto.

dr. Regis Goulart Rosa
Dr. Regis Goulart Rosa

“Agora podemos afirmar com todo o rigor científico algo que o instinto de proximidade e fortalecimento dos laços afetivos em momentos difíceis já nos dizia. A visita familiar na UTI é segura e boa para pacientes e familiares”, comemora o médico intensivista Regis Goulart Rosa, líder e responsável técnico do UTI Visitas. Para ele, o projeto contribuirá para o debate baseado em evidência a respeito das políticas de visitação, podendo influenciar a prática assistencial em UTIs ao redor do mundo.

Efeitos da visita ampliada

A partir de 36 UTIs adulto de hospitais públicos e filantrópicos brasileiros, o estudo avaliou a eficácia e a segurança de um modelo de visita familiar flexibilizada para até 12 horas por dia. A iniciativa foi comparada com o modelo usual restritivo de visitação adotado anteriormente nas mesmas unidades, onde a média de tempo permitido era de uma hora e meia.

A primeira constatação positiva foi a alta adesão das UTIs aos processos mínimos do modelo de visita ampliada. O acréscimo do tempo de permanência dos familiares para uma média de cinco horas diárias demonstrou que é possível a adoção da prática em todo o sistema de saúde.

Com a maior presença de familiares junto aos pacientes, o risco de eventos indesejáveis não aumentou.  “Não houve diferença entre a visita flexibilizada e a visita restritiva quanto à ocorrência de infecções nos pacientes, desorganização dos cuidados assistenciais, conflitos entre visitantes e profissionais de saúde ou ocorrência de burnout (uma forma de estresse ocupacional) entre os profissionais de UTI”, afirma o líder do projeto. A pesquisa também desmistificou a percepção de desorganização dos cuidados, argumento tradicionalmente utilizado para restringir as visitas.

Estatísticas coletadas em diversas instituições demonstram que familiares de pacientes críticos apresentam níveis elevados de estresse, ansiedade e depressão. E que cerca de 30% dos casos acabam desenvolvendo os transtornos após a alta hospitalar. Graças ao modelo de visita flexibilizada, a ocorrência dos sintomas foi reduzida pela metade, gerando maior satisfação da família em relação aos cuidados e ao suporte emocional prestado pela equipe médica.

“O estudo UTI Visitas concluiu que passar mais tempo com o paciente internado é um remédio potente, barato e sem efeitos adversos capaz de proteger a saúde mental dos familiares”, destaca Rosa.

Hospitais participantes

No total, foram avaliados 1685 pacientes, 1060 familiares e 737 profissionais de 36 UTIs representativas das cinco regiões do Brasil. Integraram o estudo os seguintes hospitais:

 

  • Hospital de Urgências de Goiânia (GO)
  • Hospital Geral de Nova Iguaçu (RJ)
  • Hospital Santa Cruz (RS)
  • Hospital Montenegro (RS)
  • Hospital de Clínicas de Porto Alegre (RS)
  • Hospital Ana Nery (RS)
  • Hospital Tacchini (RS)
  • Hospitais do Complexo Hospitalar da Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre (RS):  Pavilhão Pereira Filho, Santa Rita, Dom Vicente Scherer (RS)
  • Hospital Mãe de Deus (RS)
  • Fundação de Saúde Pública São Camilo de Esteio (RS)
  • Hospital Nossa Senhora da Conceição (RS)
  • Hospital da Cidade de Passo Fundo (RS)
  • Hospital Universitário do Oeste do Paraná (PR)
  • Hospital do Câncer de Cascavel UOPECCAN (PR)
  • Hospital Dona Helena (SC)
  • Hospital das Clínicas da UFMG (MG)
  • Santa Casa de Misericórdia de São João Del Rei (MG)
  • Hospital Regional do Baixo Amazonas (PA)
  • Hospital Geral Cleriston Andrade (BA)
  • Instituto Nobre de Cardiologia Incardio (BA)
  • Hospital Universitário Alcides Carneiro UFCG (PB)
  • Hospital Alberto Urquiza Wanderley (PB)
  • Hospital Universitário Lauro Wanderlei UFPB (PB)
  • Hospital Universitário da UFPI (PI)
  • Hospital Agamenon Magalhães (PE)
  • Hospital Universitário de Petrolina – Universidade Federal do Vale do São Francisco (PE)
  • Hospital Geral de Clínicas de Rio Branco (AC)
  • Hospital do Coração HCor (SP)
  • Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto FAEPA (SP)
  • Hospital Regional Dr. Deoclecio Marques de Lucena (RN)
  • Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (RN)
  • Fundação Hospital Adriano Jorge (AM)
  • Hospital Geral do Estado Dr. Oswaldo Brandão Vilela (AL)

 

RS: Hospital Moinhos de Vento e Grupo Mãos em Cena organizam atividade para comunidade surda da Instituição

RS: Hospital Moinhos de Vento e Grupo Mãos em Cena organizam atividade para comunidade surda da Instituição

Comunicação Notícias Saúde

O Hospital Moinhos de Vento realizou nesta terça-feira (11), a Oficina de Português, como segunda língua para os surdos. A atividade, promovida pelo Grupo Mãos em Cena, teve o objetivo de democratizar o acesso ao aprendizado da língua portuguesa, promovendo o desenvolvimento da comunicação.

WhatsApp Image 2019-06-11 at 21.31.35
Antônio Alexandre Schmaedecke (vice-diretor clínico), Katherine Saibel (gerente de Desenvolvimento Humano), Mohamed Parrini (superintendente Executivo), Maria da Graça Casa Nova e Suzana Silva Zaffari. Foto: Leonardo Lenskij/Hospital Moinhos de Vento

Na oportunidade, foi apresentado o livro Em mãos, português como segunda língua para surdos, lançado na 64ª Feira do Livro de Porto Alegre. A obra faz parte do projeto, que leva o mesmo nome e foi criado em 2018. O aporte da Cia Zaffari e apoio do Ministério da Cultura nortearam o início dos trabalhos.

O superintendente executivo do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, destacou que o evento ofereceu para as pessoas com deficiência oportunidades de integração, inserção e capacitações. “Com momentos de descontração, aprendizado e desenvolvimento, o Hospital Moinhos de Vento reforça sentimento de pertencimento de seus colaboradores”, aponta.

O livro
Idealizada pelas professoras Donatella Camozzato, Maria da Graça Casa Nova, Suzana Silva Zaffari e Tatiane Folchini dos Reis, a publicação surgiu a partir da necessidade de um material didático específico para a educação de surdos. As autoras tiveram como bases seus anos de práticas educativas, pesquisas, construção de materiais pedagógicos e principalmente da imersão no mundo dos surdos.

Porto Alegre: Hospital Moinhos de Vento realiza Grand Round no dia 28 de maio.  Evento terá retrospectiva e apresentação de projetos futuros da instituição

Porto Alegre: Hospital Moinhos de Vento realiza Grand Round no dia 28 de maio. Evento terá retrospectiva e apresentação de projetos futuros da instituição

Notícias Porto Alegre Saúde Tecnologia Trabalho

O Hospital Moinhos de Vento realizará no próximo dia 28 de maio (terça-feira), a partir das 12h15, no Anfiteatro Schwester Hilda Sturm, na própria instituição, uma nova edição do Grand Round, debate mensal promovido em parceria com a Johns Hopkins Medicine International.

Esta edição, aberta a colaboradores e corpo clínico, terá como tema “A Saúde do Hospital Moinhos de Vento – Retrospectiva e Projetos Futuros”. Os palestrantes serão o superintendente executivo, Mohamed Parrini, e o superintendente médico, Dr. Luiz Antonio Nasi.

Para Parrini, trata-se de uma oportunidade de compartilhar a visão estratégica de crescimento do Moinhos de Vento para os próximos anos. “Cada liderança, colaborador e médico do nosso Corpo Clínico tem um papel fundamental na instituição e é essencial que todos entendam para onde estamos indo e os desafios que temos pela frente e esta é uma jornada colaborativa”, afirma o superintendente executivo.

De acordo com o superintendente médico, o evento também permitirá alinhar os compromissos futuros com o corpo clínico, sempre tendo como parâmetro as experiências vividas pela instituição até aqui. “O Hospital Moinhos de Vento tem diversos projetos médicos, expandindo as áreas de atuação e preparando-se para a medicina dos próximos anos, focada em tecnologia, desfechos médicos, interdisciplinaridade e pesquisa”, aponta Nasi.
 Informações

O Grand Round terá duração de aproximadamente uma hora. As inscrições, que são gratuitas, poderão ser feitas no local. Outras informações podem ser obtidas no setor de Eventos Científicos, através do telefone (51) 3537-8735 ou do e-mail eventoscientificos@hmv.org.br.

Porto Alegre: Simpósio Internacional no Hospital Moinhos de Vento incentiva humanização e maior envolvimento com pacientes no ambiente hospitalar

Porto Alegre: Simpósio Internacional no Hospital Moinhos de Vento incentiva humanização e maior envolvimento com pacientes no ambiente hospitalar

Cidade Destaque Saúde Tecnologia Trabalho

Lidar de forma humana, transparente e profissional com situações delicadas que surgem no ambiente hospitalar é indispensável na área assistencial. Para debater o assunto e promover boas práticas, o Hospital Moinhos de Vento convidou enfermeiros e técnicos de Enfermagem, além de representantes de outras instituições de saúde, para o V Simpósio Internacional de Enfermagem. Reunindo um público de cerca de 750 pessoas, o evento ocorreu nesta quinta (9) e sexta-feira (10) no Anfiteatro Schwester Hilda Sturm, como parte das comemorações do Dia do Enfermeiro (12) e do Dia do Técnico em Enfermagem (20).

Para o superintendente Executivo do Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, foi uma oportunidade para ampliar o conhecimento e qualificar ainda mais o cuidado na instituição. “Temos isso como marca do nosso trabalho. O propósito de cuidar de vidas está no nosso DNA”, afirmou. Fortalecer o envolvimento com os colaboradores também foi um dos objetivos do simpósio, segundo a superintendente Assistencial, Vania Röhsig. “Em um momento que campanhas internacionais como Nursing Now valorizam o papel dos profissionais da Enfermagem, é muito importante realizarmos este tipo de evento”, pontuou.

Comunicação na gestão de conflitos

WhatsApp Image 2019-05-10 at 18.34.38
Wilma Berends, da Johns Hopkins Medicine International. Foto: Leonardo Lenskij
WhatsApp Image 2019-05-10 at 18.29.35
Gestão do cuidado – “Manejo de Situações Difíceis” – Enfª. Daiana Barbosa do Hospital Moinhos de Vento. Foto: Leonardo Lenskij

Entre os destaques da programação, a enfermeira norte-americana Wilma Berends, da Johns Hopkins Medicine International, falou sobre gestão de conflitos e como conversas podem ser usadas de forma assertiva e transformadora. “Há várias causas de conflitos. É importante analisar bem os fatos, métodos, valores, cultura e experiências do grupo”, disse. Ela ainda reforçou a importância da comunicação nesse processo, chamando atenção para o cuidado de interpretar a situação antes de tomar qualquer atitude.

O primeiro dia do Simpósio ainda abordou o manejo de situações difíceis, como a notícia de um falecimento e a conversa com familiares sobre doação de órgãos. Essas e outras realidades delicadas da profissão foram aprofundadas pela coordenadora Assistencial do CTI Adulto, Daiana Barbosa. “O que eu posso fazer para ajudar uma família na dor? Precisamos estar preparados e agir de forma humanizada, olhar para as pessoas de forma verdadeira”, recomendou.

A programação ainda apresentou o relato do caso Julia Lima, a partir da explanação do pai, Francisco Cruz Lima. As considerações sobre a morte da jovem, então com 27 anos, foram transformadas em protocolos de segurança que, hoje, são aplicados em hospitais de todo o Brasil. Na sequência, foi realizada uma conversa sobre eventos adversos e atuação no Hospital Moinhos de Vento, com Aline Brenner (coordenadora de Qualidade e Segurança), Lia Leda (advogada e gerente jurídica) e o médico Paulo Schmitz (chefe do Serviço de Emergência).

O dia encerrou com palestra da coordenadora de Experiência do Paciente, Mariana Moraes. Ela apresentou tendências da saúde 4.0, com a aplicação de realidade aumentada, telemedicina, internet das coisas e big data. E abriu uma reflexão: “A diferença entre o serviço e a hospitalidade está no sentimento. O que a marca deixa?”, questionou.

Engajamento dos colaboradores
No segundo dia de debates, foram apresentados métodos para empoderar o paciente e qualificar os serviços prestados pela equipe hospitalar. Vania Röhsig conduziu a conversa com Rita Michel, diretora e coach executiva da Oficina Empresarial – Desenvolvimento, e Wania Baia, diretora Assistencial do Hospital Sírio-Libanês.

Rita detalhou a mentoria para o alcance de resultados – frisando que o termo não significa tempo de vida, mas expertise. “Mentoria é gerar conexão com o outro, através da relação bem construída. É um crescimento sustentável capaz de alterar a perspectiva do que acontece. Para os pacientes, gera experiência no cuidado, aumento no nível de satisfação e fortalecimento da conexão”, ressaltou.

Para Wania, o papel da liderança é essencial na melhoria do desempenho das equipes. “O gestor não precisa ter o conhecimento das melhores técnicas de todos os processos. O verdadeiro sucesso na carreira está na habilidade de lidar com as pessoas. A captação e retenção dos profissionais está cada vez mais difícil, por isso é fundamental entender suas necessidades e acolhê-los”, finalizou.

Destaque nacional

Durante a programação, o presidente do Conselho Regional de Enfermagem do Rio Grande do Sul (Coren-RS), Daniel Menezes de Souza, salientou a excelência da Enfermagem do Moinhos de Vento. Em março, a instituição recebeu o selo de qualidade do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) – sendo o único hospital no Sul do país com esse reconhecimento. “Além da certificação, o Moinhos conquistou a melhor pontuação do país no Programa Nacional de Qualidade do Cofen. É um orgulho para todos”, comemorou.

Gerente de Enfermagem do Moinhos de Vento, Rubia Maestri considerou o simpósio uma oportunidade significativa para compartilhar conhecimento. “São momentos como este que atualizamos práticas e recebemos melhorias que mudarão o tratamento aos pacientes, para que eles tenham os melhores resultados possíveis.”

O simpósio encerrou com a entrega do Prêmio Dania, que homenageou profissionais que se destacaram por uma prática profissional exemplar e modificaram positivamente a experiência dos pacientes no Moinhos de Vento.

WhatsApp Image 2019-05-10 at 18.29.36
Programação internacional reuniu 750 profissionais em dois dias de palestras e debates no Hospital Moinhos de Vento. Foto: Leonardo Lenskij
Hospital Moinhos de Vento apresenta nova Emergência Pediátrica.  Estrutura incrementará em 40% os atendimentos e fortalecerá o sistema de saúde de Porto Alegre a partir da próxima segunda-feira.

Hospital Moinhos de Vento apresenta nova Emergência Pediátrica. Estrutura incrementará em 40% os atendimentos e fortalecerá o sistema de saúde de Porto Alegre a partir da próxima segunda-feira.

Destaque Direito Saúde Tecnologia Trabalho

A nova Emergência Pediátrica Elone Schneider Vontobel, do Hospital Moinhos de Vento, foi apresentada aos profissionais da imprensa na manhã desta sexta-feira (03). Localizada no bloco A da instituição, a estrutura possibilitará aumento de 40% nos atendimentos às crianças e fortalecerá o sistema de saúde na capital gaúcha – que há 15 anos não apresenta um novo serviço de emergência pediátrica. O evento oficial, com a presença de autoridades, ocorre às 18h30. A funcionamento será a partir da próxima segunda-feira (06).

Ocupando uma área de 500 m², o prédio, acessado pela rua Ramiro Barcelos, 910, dispõe de 20 leitos, sendo 10 para observação e 10 para medicação. Outras duas salas recebem atendimentos de urgência. Cada turno terá uma equipe de quatro médicos, dois enfermeiros e quatro técnicos de enfermagem, além da equipe administrativa e de apoio, para realizar as atividades com mais agilidade. no total serão 80 profissionais dedicados às rotinas.

WhatsApp Image 2019-05-03 at 16.37.21(1)
A área de 500 m², dispõe de 20 leitos. Foto: Leonardo Lenskij

O investimento de R$ 12 milhões teve o apoio filantrópico dos empresários João, Ricardo e Rodrigo Vontobel. O termo de doação foi assinado em janeiro e as obras concluídas em três meses. “Estamos muito realizados em entregar a obra pronta e ajudar a sociedade, com o Moinhos tendo ainda mais condições de atender com excelência as crianças. É, também, uma justa homenagem que fazemos à nossa mãe, que tanto contribuiu para os negócios da nossa família”, conta Rodrigo Vontobel.

De acordo com o superintendente executivo do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, a iniciativa amplia e qualifica o pronto-atendimento do hospital, elevando, assim, o patamar de saúde na capital. “Será um espaço de referência na linha de cuidados pediátricos na nossa cidade. Todo o ambiente da emergência pediátrica foi planejado para aumentar a produtividade e aproximar o espaço da emergência adulta, exames e cirurgias”, destaca Mohamed Parrini.

Para Eduardo Bier, presidente do Conselho de Administração, a abertura da Emergência Pediátrica reforça o propósito da instituição, que é cuidar de vidas. “O Hospital Moinhos de Vento e a família Vontobel estão engajados na busca de uma sociedade melhor e mais desenvolvida. A inauguração dessa unidade é um resultado concreto dessa parceria”, afirma Bier.

Redução na espera
Com aplicação do modelo americano FastTrack, a média atual de 70 atendimentos por dia deverá chegar a 120. O objetivo do sistema é reduzir a espera, contando com uma equipe clínica dedicada aos procedimentos de urgência de baixa complexidade. O foco será nos tratamentos de doenças respiratórias, oncologia e hematologia.

Chefe do Serviço de Pediatria, João Krauzer afirma que os pacientes terão um melhor suporte. “O ambiente está pronto para atender o paciente grave com mais atenção e rapidez, seguindo o padrão de todas as obras realizadas nos últimos cinco anos. Nosso propósito é fazer com que esse serviço mantenha a qualidade, mas com maior agilidade, tornando menos desagradável os momentos de tensão para as crianças e seus familiares”, reforça.

A proposta de um núcleo capaz de conter a superlotação na unidade é apontada pelo superintendente médico do Moinhos de Vento, Luiz Antonio Nasi. “Criamos um sistema com médicos à retaguarda para situações de menor urgência. Estamos nos adiantando aos períodos de aumento nos casos de doenças respiratórias, como o inverno, para impedir que a funcionalidade tenha obstruções”, explica.

O Moinhos segue expandindo no Brasil a tradição da filantropia, muito difundida nos Estados Unidos. A inspiração vem da própria Johns Hopkins, instituição à qual o Moinhos de Vento é afiliado desde 2013. O hospital mantém diversas parcerias para transferência de conhecimento sobre educação médica, pesquisa e assistência.

A maternidade Helda Gerdau Johannpeter (2011) e o Centro de Oncologia Lydia Wong Ling (2016), serviços de referência no hospital, também foram construídos com o apoio de famílias da sociedade gaúcha.

Saúde: Hospital Moinhos de Vento oferece exame de doppler transcraniano feito por especialistas da Academia Brasileira de Neurologia.  Exame é utilizado na pesquisa e investigação de doenças vasculares cerebrais

Saúde: Hospital Moinhos de Vento oferece exame de doppler transcraniano feito por especialistas da Academia Brasileira de Neurologia. Exame é utilizado na pesquisa e investigação de doenças vasculares cerebrais

Notícias Saúde Trabalho
Referência em saúde no Sul do Brasil, o Hospital Moinhos de Vento possui serviços de excelência em diversas especialidades médicas. Dentre eles está o Centro de Acidente Vascular Cerebral (AVC), que faz parte do Serviço de Neurologia e Neurocirurgia da instituição. Além dos exames, o Hospital Moinhos de Vento conta com uma unidade específica neuro-cardiovascular para o atendimento dos pacientes com AVC na emergência. O AVC, popularmente conhecido por derrame cerebral, ocorre quando o fluxo sanguíneo de parte do cérebro é interrompido. Ele é divido em dois tipos: isquêmico ou hemorrágico. Os principais fatores de risco são: pressão alta; tabagismo; colesterol elevado; diabetes; arritmias cardíacas (fibrilação atrial) e histórico familiar.

Dispondo de atendimento de emergência, internação hospitalar, centro de tratamento intensivo (CTI), bloco cirúrgico e consultórios, o Serviço está divido em núcleos especializados em cada área da neurologia, contando com profissionais que são referência local e nacional e com a tecnologia mais avançada para o correto diagnóstico e tratamento.

Um bom exemplo disso é o doppler transcraniano, um exame de ultrassonografia que avalia o fluxo sanguíneo cerebral das principais artérias do cérebro. Ele é utilizado na pesquisa e investigação de doenças vasculares cerebrais. O Hospital Moinhos de Vento conta com especialistas capacitados pela Academia Brasileira de Neurologia para a realização da apuração.

A médica do Serviço de Neurologia, Angélica Dal Pizzol, aponta as principais indicações do exame. Investigação etiológica do Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI), pesquisa de forame oval patente, prevenção primária de AVC em crianças com anemia falciforme, monitorização de vasoespasmo cerebral, avaliação de hipertensão intracraniana e diagnóstico de morte encefálica, explica.

A análise é realizada com o paciente deitado, aplicando-se gel nas têmporas e na região posterior do pescoço. É um exame não invasivo e sem a utilização de contraste, podendo ser repetido diversas vezes sem risco para o paciente. O agendamento para o doppler transcraniano pode ser feito através do site www.hospitalmoinhos.org.br ou pelo telefone (51) 3314-3434.

 

Segurança do Paciente é tema de evento internacional em Brasília. 2° Encontro do Projeto Paciente Seguro, realizado pelo Hospital Moinhos de Vento, marcou a adesão de 45 novas instituições ao Projeto

Segurança do Paciente é tema de evento internacional em Brasília. 2° Encontro do Projeto Paciente Seguro, realizado pelo Hospital Moinhos de Vento, marcou a adesão de 45 novas instituições ao Projeto

Notícias Saúde Tecnologia Trabalho

Por iniciativa do Projeto Paciente Seguro, coordenado pelo Hospital Moinhos de Vento, em parceria com o Ministério da Saúde por meio do PROADI-SUS, o 2° Encontro Internacional contou a presença de representantes de 60 hospitais, além de secretarias de Saúde, do Ministério da Saúde e especialistas em segurança do paciente.

foto-Eduardo Andrade Pereira
Profissionais de saúde de todos o país se reuniram em Brasília, nesta terça-feira (9), para compartilhar experiências e conhecimento sobre segurança do paciente e qualificação do SUS. Foto: Eduardo Andrade Pereira

A finalidade do Projeto Paciente Seguro é contribuir para a qualificação do cuidado em estabelecimentos de saúde, além de efetivar a implantação do Programa Nacional de Segurança do Paciente (PNSP). Durante o encontro, 45 novas instituições aderiram ao projeto e agora que se somarão aos 15 hospitais que participam desde 2016.

Uma das primeiras medidas do Programa Nacional de Segurança do Paciente é a obrigatoriedade de todos os hospitais criarem Núcleos de Segurança do Paciente, que devem promover ações para a implantação de práticas seguras e integração e articulação multiprofissional nos processos melhoria.

Também são desenvolvidas ações como produções de materiais educativos, formação de profissionais com competências para executar Ciclos de Melhoria Contínua nos hospitais, integração das instituições participantes para promover a troca de experiências e aprendizado, além da educação de usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com a líder do projeto, Daniela Cristina dos Santos, o projeto apresentou resultados positivos em indicadores assistenciais, como redução dos percentuais de pacientes com lesão por pressão e de pacientes que sofreram quedas em unidades piloto, além do aumento da adesão à higienização das mãos, importante medida para prevenção de infecções.