Porto Alegre, segunda, 24 de janeiro de 2022
img

Primeiro Hackathon AgroUp gaúcho busca soluções para problemas do campo

Detalhes Notícia

Em uma iniciativa inédita, o SENAR-RS junto com a Farsul promoverá, em Porto Alegre, o Hackathon AgroUp, primeiro evento do gênero focado no agronegócio e desenvolvido pelo SENAR Brasil,com a consultoria da Softex. A maratona ocorrerá de forma ininterrupta no Parque Científico e Tecnológico da PUCRS (Tecnopuc), de 13 a 15 de dezembro. No período, os participantes estarão focados em encontrar soluções para problemas apontados por produtores gaúchos. Estarão participando 15 empresas de tecnologia selecionadas, e que serão avaliadas por um comitê técnico.

O julgamento dos projetos levará em consideração o atendimento ao objetivo do desafio, o preenchimento completo e adequado do formulário indicado e aspectos relacionados à equipe, bem como estágio atual da solução (pesquisa, desenvolvimento, prototipagem, etc). “A iniciativa está alinhada com o nosso propósito de aproximar as startups do meio rural para termos cada vez mais soluções focadas no agronegócio e que resultem em aumento de produtividade”, afirma o superintendente do SENAR-RS, Eduardo Condorelli.

O Hackathon do SENAR-RS integra o Programa Agro Up tem o apoio da ABMRA, Associação Brasileira de Angus, AG/Evolution, ISLA, Open Food, Cap Table, Sebrae RS, Tecnopuc, Universidade de Passo Fundo, Ventiur, Parque Zenit UFRGS, Sindilat e o patrocínio de Banrisul e Kepler Weber.

De acordo com o coordenador do programa PACTO ALEGRE e diretor da Escola de Engenharia da UFRGS, Luiz Carlos Pinto da Silva Filho, o agronegócio é um dos grandes geradores de renda e oportunidade de trabalho no Rio Grande do Sul e vem sendo impactado, assim como outros segmentos, pelos movimentos de inovação que estão transformando a economia mundial.

“É muito importante que o Senar e a Farsul estejam a frente desse movimento, principalmente por participarem do programa e pela importância enquanto instituições de referência. O Hackathon é uma grande oportunidade de discutir a transformação tecnológica do agronegócio gaúcho, tornando-o cada vez mais competitivo no cenário nacional. Esse é só o primeiro passo para novas ideias, e uma articulação para acelerar o setor agrícola”, comenta o coordenador do Pacto Alegre.

Os desafios propostos têm origem em problemas reais apontados por produtores nas cadeias de arroz, milho, soja, trigo, bovinocultura de corte e leite e fruticultura, que, nos dias dos desafios, estarão agrupadas em grãos, bovinocultura e fruticultura. As categorias de problemas elencadas são quatro: segurança (desde o que diz respeito a crimes, como abigeato, até inseguranças jurídicas ou ambientais), comercialização, doenças invasoras e pragas e custo de produção. Durante os três dias do evento, haverá oficinas e mentores para ajudar os participantes no desenvolvimento dos projetos, além de produtores que irão detalhar os problemas enfrentados.

Renan Hein dos Santos, coordenador do Escritório Regional de Inovação do Agro UP do SENAR-RS, explica que a primeira etapa da ação foi de levantamento realizado de julho a setembro junto a produtores rurais em sete municípios de diferentes regiões do Estado (Camaquã, Carazinho, Esteio, durante a Expointer, Uruguaiana, Bagé, Pinto Bandeira e São Luiz Gonzaga).

“Levantamos 270 problemas apontados por produtores rurais gaúchos e, por meio da metodologia GUT, identificamos aqueles que serão priorizados para que sejam encontradas soluções durante o evento. Pela metodologia GUT, identificamos o que é mais urgente, mais grave e com tendência a piorar”, comenta.

As empresas de tecnologia que apresentarem as três melhores soluções durante o Hackaton Agro receberão R$ 8 mil (primeiro lugar), R$ 4 mil (segundo lugar) e R$ 2 mil (terceiro lugar).