Porto Alegre, quarta, 29 de junho de 2022
img

Visto com frequência no Palácio do Planalto, Carlos Bolsonaro pouco participa das sessões da Câmara Municipal do Rio

Detalhes Notícia
Levantamento do Globo aponta que vereador não tem falado nas sessões e retirou-se da sala antes do final das deliberações em cinco das 11 votações sobre coronavírus. Vereador Carolos Bolsonaro Foto: Sergio Lima/AFP/13-11-2018

No Plenário virtual da Câmara de Vereadores do Rio, Carlos Bolsonaro (Republicanos) chega na hora, pouco fala e nem sempre vota. Nas nove sessões que a Casa realizou virtualmente até esta terça-feira, o parlamentar só pediu a palavra uma única vez. E, em cinco das onze votações de projetos de lei para o enfrentamento ao novo coronavírus, retirou-se da sala para não participar. É o que aponta um levantamento do O GLOBO que tem por base as atas e transcrições das sessões realizadas pelo aplicativo Zoom desde o dia 22 de março por conta da crise sanitária. Os documentos estão disponíveis no site da Câmara Municipal do Rio. Carlos é visto frequentemente em Brasília onde, no Palácio do Planalto, se encontra com o pai, despacha e dialoga com ministros miliatares do governo.

Foi na primeira sessão remota, realizada em pleno domingo, que Carlos falou pela última vez em plenário. Durante a discussão do projeto de lei complementar que autorizava a ampliação do efetivo da Guarda Municipal (PLC 164/20), pediu a palavra para listar as iniciativas tomadas pelo Governo Federal no combate à Covid-19. O vereador fez questão de ressaltar o lugar que ocupava naquele momento junto à gestão do pai, o presidente Jair Bolsonaro:

“Sim, me encontro em Brasília, em contato direto com muitas informações sobre o assunto Covid-19. Acabo de sair de reunião do Presidente e prefeitos de capitais para alinhamento do destino de recursos e medidas sobre o coronavírus”, disse.

Leia mais em O Globo