Porto Alegre, quarta, 29 de junho de 2022
img

FIERGS terá mais um ano de gestão. Aprovada por unanimidade a extensão do mandato das Diretorias

Detalhes Notícia
Foto: Dudu Leal

 

 

Os Sindicatos industriais que participaram da reunião do Conselho de Representantes da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS) aprovaram, por unanimidade, a extensão do atual mandato em mais um ano, visando acelerar as ações da entidade que, muitas delas, ficaram comprometidas pela pandemia de 2020/2021. O mesmo ocorreu na Assembleia das empresas associadas ao Centro das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (CIERGS), igualmente aprovada a alteração por unanimidade. Assim, as atuais diretorias da Federação e do Centro continuarão conduzindo as instituições até 15 de julho de 2024 como disposição transitória, ou seja, a alteração vale apenas uma vez, pela excepcionalidade da pandemia, pois permanece inalterada a regra estatutária de três anos por gestão.

Ao avaliar a aprovação unânime, o presidente da FIERGS e do CIERGS, Gilberto Porcello Petry, se manifestou dizendo que “esta Casa mais uma vez honrou sua tradição de união. É isto que nos faz fortes. É isto que me orgulha trabalhar com todos vocês. Isso demonstra o compromisso e o empenho de cada um na busca de soluções para todos”. Para Gilberto Petry, o ano se encerra com demonstração de maior fortalecimento da entidade. “As dificuldades não serão menores em 2022, até por ser um ano eleitoral no País, mas teremos certamente muito mais energia para a promoção da indústria e a valorização dos industriais. Ao focar no próximo ano, reafirmo aqui os compromissos da FIERGS, do CIERGS, do Senai, Sesi e do IEL, de continuarem servindo e trabalhando para o setor industrial do nosso Estado”, destacou.

O presidente enfatizou também o propósito da FIERGS de provocar o reconhecimento da importância do setor industrial como a base de sustentação dos demais setores da economia. “O tema da ‘centralidade da indústria’ será a nossa pauta em 2022, para buscarmos uma efetiva Política Industrial no País. Afinal, os ganhos de produtividade da agricultura são conquistados através das fábricas de produtos voltados para o agronegócio. O comércio, os serviços, e os consumidores utilizam as inovações tecnológicas, equipamentos e ferramentas criados nas indústrias, sem os quais não seria possível movimentar o universo global das vendas pela internet. A indústria é, assim, o elo que une setores e segmentos econômicos e gera desenvolvimento”, disse.

Petry encerrou afirmando que “esta é a realidade, é a nossa motivação, e tenho a certeza de que poderei contar, mais uma vez, com vocês, companheiros de Diretoria, Sindicatos e amigos, nesta missão que não é só minha, mas de todos. São vocês que fazem esta Casa”.