Porto Alegre, quarta, 26 de janeiro de 2022
img

"Dei a ordem de atirar para matar”, diz presidente do Cazaquistão; RFI

Detalhes Notícia
O presidente cazaque Kassym Jomart Tokayev descarta negociação e autoriza polícia a atirar em manifestantes AP - Yevgeny Biyatov

 

 

O presidente do Cazaquistão, Kassym Jomart Tokayev, rejeitou nesta sexta-feira (7) qualquer negociação diante das manifestações que tomam conta do país há dias e já resultaram na morte de dezenas de pessoas. O chefe de Estado autorizou as forças de segurança a abrirem fogo “sem aviso prévio” para pôr fim aos protestos que abalam o país.

“Dei a ordem de atirar para matar, sem aviso prévio”, declarou Tokayev em discurso transmitido pela televisão, acrescentando que “os terroristas continuam danificando propriedades e usando armas contra os cidadãos”.

O maior país da Ásia Central foi palco de uma revolta que eclodiu nas províncias no domingo (2), após um aumento do preço do gás, e se espalhou para outras cidades, especialmente para Almaty, a capital econômica, onde os protestos se tornaram tumultos violentos e caóticos. As forças de ordem atiraram contra os manifestantes e estima-se que dezenas de pessoas já morreram nos confrontos.

Leia mais em RFI