Porto Alegre, sexta, 01 de março de 2024
img

Porto Alegre: Feira do Livro registra aumento de 40% no volume de vendas

Detalhes Notícia
Edição de 2023 do evento literário encerrou-se nesta quarta-feira. Pedro Piegas / PMPA

 

 

A 69ª Feira do Livro de Porto Alegre fo encerrada nesta quarta-feira, 15. Instalada na Praça da Alfândega desde o dia 27 de outubro, é considerado o maior evento literário a céu aberto da América Latina. Conforme dados divulgados pela Câmara Riograndense do Livro (CRL), houve um aumento de 40% na comercialização de livros, na comparação com a edição de 2019 que foi a última realizada de forma totalmente presencial. Em 2020 a feira foi totalmente digital e ano passado houve uma edição híbrida.

A edição deste ano, apresentou algumas novidades como o horário de funcionamento, das 10h até as 20h, o que, conforme a CRL, caiu no agrado de livreiros e visitantes, com tendência a ser mantido nas próximas edições. Outro diferencial deste ano foi o número menor de estandes, 72 bancas, mas que não afetou o volume de exemplares comercializados. Outra novidade foi o comitê de acessibilidade responsável por diversas atividades.

Programação diversificada – O estande da prefeitura, coordenado pela Secretaria Municipal de Cultura e Economia Criativa (SMCEC) também inovou nesta edição. Trouxe para o centro da feira uma programação cultural diversificada realizada por diversos órgão e secretarias municipais. Foram mais de 50 atividades como ações de educação ambiental, informações turísticas, exposição de livros sobre Porto Alegre, contações de histórias e palestras.

O coordenado de Literatura e Humanidades da SMCEC, Sergius Gonzaga, destaca a sensação de alegria, resultante do fato de que, mesmo submetida a ventanias e chuvas, a Feira possibilitou diversos eventos culturais, centenas de sessões de autógrafos e a venda de milhares de obras literárias e não-literárias. “Possibilitou, portanto, a aventura do conhecimento, a circulação de ideias e também novos mergulhos no universo das paixões humanas. E, por fim, garantiu a livreiros, editores e distribuidores um lastro financeiro para que continuem com sua árdua luta em defesa do livro, até hoje a mais importante invenção da humanidade”.

Para Henry Ventura, secretário de Cultura e Economia Criativa, a Feira trouxe a experiência com os livros e a alma da cidade respondeu. “Um diálogo incessante foi promovido pelo debate literário nesta 69ª Feira do Livro. Já estamos contando os dias para a 70ª edição” conclui o secretário.