Com apetite chinês, preços da carne podem ficar altos por anos Em evento no Paraná, ministra Tereza Cristina disse que preço deve se estabilizar, pois mercado está se ajustando. Marcello Casal JrAgência Brasil

Com apetite chinês, preços da carne podem ficar altos por anos

O preço da carne pode ficar nas alturas por anos, estimam especialistas. Em supermercados e açougues do Rio houve aumento de mais de 30% em um mês em alguns cortes, como picanha e alcatra, bem acima da média de 6,78% de alta da carne vermelha no ano pelo IPCA-15 e da inflação, abaixo de 3%. Segundo a Associação de Supermercados do Estado do Rio de Janeiro (Asserj), alguns produtos sofreram alta de até 50%.

A alta da carne se deve a uma combinação de fatores. O principal é o aumento das exportações brasileiras para a China, cujos rebanhos de porcos foram reduzidos à metade pela febre suína africana. Com menos proteína suína, os chineses passaram a importar mais esse tipo de carne e também outras, como a bovina e de aves.

Leia mais em O Globo

Agronegócio Comunicação Notícias