SENAR-RS promove retomada do Programa Sindicato Forte

SENAR-RS promove retomada do Programa Sindicato Forte

Agenda Agronegócio Destaque Economia Negócios

Presidentes de mais de 90 Sindicatos Rurais do Rio Grande do Sul estiveram reunidos no auditório da Farsul, nesta terça e quarta-feira, para participar da retomada do programa Sindicato Forte, promovido pelo SENAR-RS. Na quarta-feira à tarde e quinta-feira, será a vez dos colaboradores dos sindicatos participarem do programa, que tem por objetivo promover a busca de soluções para tornar os sindicatos financeiramente sustentáveis, levando em consideração o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical.

20180814_134019
Gedeão Pereira

O presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira, ressaltou a importância de levar aos produtores informações sobre os sindicatos, as federações e a CNA para que entendam toda a atuação econômica e política que estas entidades promovem em defesa de políticas públicas e legislações em favor do produtor rural. O evento contou ainda com a presença de representantes da CNA, do SENAR Administração Central e de sindicatos de outras partes do Brasil que trouxeram suas experiências sobre como encontraram alternativas viáveis para a continuidade de suas atividades.

20180815_100116
Gilmar Tietböhl

O superintendente do SENAR-RS, Gilmar Tietböhl, defende que “as ações do programa Sindicato Forte têm o potencial de fortalecer não apenas o sistema sindical do Estado, bem como todo o agronegócio do País”. Tietböhl destacou a importância da união dos esforços a partir dos interesses em comum dos sindicatos, apesar das particularidades de cada região, para que possam promover soluções que fortalecem o sistema.

Os presidentes dos Sindicatos Rurais de Barbacena, Minas Gerais e de Rio Verde, em Goiás, mostraram o conjunto de serviços oferecidos pelos sindicatos aos membros que são associados. As ações vão de serviços de saúde a assistência técnica nas propriedades, assistência jurídica e contábil, além da promoção de eventos com atrações que atendem a um vasto público e cuja bilheteria é revertida para o Sindicato. O objetivo foi trocar experiências, relatar iniciativas de sucesso e levar ideias de volta aos seus Estados.

Roberto Leitão é presidente do Sindicato Rural de São Vicente do Sul. Ele diz que há dois anos, já antecipando o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical, começou a implementar novos serviços para promover novas formas de arrecadação. Leitão sai do encontro com novas ideias para incrementar o conjunto de serviços e estabelecer novas parcerias.

De acordo com o assessor técnico do SENAR-RS, Derly Girard, que faz parte do comitê gestor do Programa, a mobilização dos sindicatos em torno do tema revela a importância da retomada do  Sindicato Forte. “Durante a realização do evento foram surgindo ideias de novas ações. Algumas delas já começaram a ganhar corpo aqui mesmo, como por exemplo a demanda por mais acesso ao crédito rural que nos motivou a convidar representantes dos bancos para discutir a questão com os presidentes”, afirma Girard.

De acordo com o consultor do SENAR Administração Central, Olympio Bezerra, é importante que os sindicatos devem conhecer o público do meio rural para promover ações que tenham relevância: “As informações preliminares do censo agropecuário dizem muito sobre a situação do campo. Somos 7,4% da população brasileira, produzindo para alimentar toda a população e ainda exportar, com uma faixa de idade alta. A juventude tem que participar e ser aliada do sistema. Para isso, precisamos desenvolver novas formas de abordagem que atendam às particularidades deste público. Não basta apenas promover eventos, é preciso cativar”, afirma Bezerra.

O Programa Sindicato Forte não se resume a realização de reuniões. De acordo com o assessor da superintendência do SENAR-RS, Antonio José Aguinaga, que faz parte do comitê gestor do Programa Sindicato Forte, as próximas etapas compreendem a elaboração de um diagnóstico da situação de cada sindicato, visitas de representantes do SENAR-RS e da CNA às associações para elaboração e implementação de um plano de ação. Além destas etapas, outras iniciativas fortalecem o Programa Sindicato Forte, como ações para capacitação e formação de lideranças, ações junto às comissões de jovens em colaboração com sindicatos rurais, entre outros.

Gaúchos são finalistas no Prêmio Massey Ferguson de Jornalismo

Gaúchos são finalistas no Prêmio Massey Ferguson de Jornalismo

Agenda Agronegócio Comportamento Destaque

A Massey Ferguson anunciou os finalistas do 17º Prêmio de Jornalismo e tem gaúchos na disputa. As repórteres Joana Colussi, de Zero Hora; Denise Saueressig, de A Granja; e Alessandra Bergmann, do SBT RS; concorrem nas categorias Jornal, Revista e TV, respectivamente. No quesito Estudante, estão na lista as universitárias Janaina Rauber, Amanda Caselli, Isis Gonzaga e Júlia Bueno, da PUC, com o trabalho ‘Impactos da Tecnologia na Produtividade Agrícola’. A repórter de ZH está na disputa com a reportagem ‘Conhecimento travado pela crise’. Ela concorre com profissionais de O Estado de S. Paulo e O Globo. Denise, de A Granja, por sua vez, assina o trabalho ‘Potencial para produzir mais’, e está ao lado de jornalistas do Globo Rural e da Plant Project, ambos de São Paulo. Pelo SBT RS, Alessandra concorre com duas matérias: ‘Cresce o número de mulheres à frente de propriedades rurais no país’ e ‘Noz-pecã, a fruta do bem’. Com ela, está uma reportagem do programa Globo Rural, da TV Globo paulista.

Além das categorias citadas, há, ainda, Multimídia, Fotojornalismo e Américas do Sul, Central e Caribe, na qual disputam profissionais do Caribe, da Argentina e da República Dominicana. Os finalistas foram definidos pela Comissão Julgadora, que esteve reunida na última semana, em São Paulo. O primeiro colocado dos quesitos Jornal, Revista, Multimídia, TV e Fotojornalismo receberá R$ 15 mil, o segundo será premiado com um tablet e o terceiro, com um smartphone. O vencedor da Estudante levará R$ 7 mil, e o da Américas do Sul, Central e Caribe será contemplado com uma viagem com acompanhante para Porto de Galinhas, em Pernambuco. O evento de premiação ocorrerá em Canoas, na quarta-feira, 29, quando serão revelados os ganhadores.

Confira os finalistas do Prêmio:

Américas do Sul, Central e Caribe:

Catherine Morris (St Lucia Star Newspapper/Caribe),com a reportagem ‘An Agricultural Revolution’

Dardo Esteban Fuentes (Clarín/Argentina), com ‘Argentina, un mercado atractivo para la maquinaria agrícola’

Lilian Gregorina Tejeda, (Listín Diário/Republica Dominicana), com ‘Tecnología entre las prioridades del Banco Agrícola’

Estudante:

Janaina Rauber, Amanda Caselli, Isis Gonzaga e Júlia Bueno (PUC), com ‘Impactos da Tecnologia na Produtividade Agrícola’

Jeziel Henrique Araujo (Unarep-Ribeirão Preto/SP), com ‘Agricultura digital: a fazenda na palma da mão’

Juliane Cristina Bee, Andrey Evangelista e Pâmila Capelli (Unochapecó/SC), com ‘Ouro Branco: como a produção de leite transformou a vida de mulheres no Oeste Catarinense’

Fotografia:

Eumano Silva e Gilberto Alves (Metrópoles/DF), com ‘Levante dos ribeirinhos: posseiros rebelam-se contra fazendeiros na Bahia’

Ricardo Medeiros (Notícia Agora/ES), com ‘Dia de comer galinha’

Sérgio Reghin Ranalli (Folha de Londrina/PR), com ‘Apesar da safra menor, renda do campo deve bater recorde’

Jornal:

Gustavo Porto (O Estado de S. Paulo/SP), com ‘Uma semana na BR-163 – Lama, buraco, fila e cansaço na estrada da soja’

Joana Colussi (Zero Hora/RS), com ‘Conhecimento travado pela crise’

Patrik Camporez (O Globo/DF), com ‘Áreas rurais vivem clima de medo com onda de violência’

Multimídia:

Ana Paula Omena (Tribuna Hoje/AL), com ‘A grande chance: assentados da reforma agrária se preparam para entrar na Universidade’

Luiz Cláudio Ferreira e Gustavo Gomes (EBC/DF), com ‘Entre bombas, peixes, verdes e cidadania’

Rammon Monte e Vinícius Miron (Portal Correio/PB), com ‘O poder do Couro’

Revista:

Denise Sauressig (A Granja/RS), com ‘Potencial para produzir mais’

Elaine Silva, José Alberto Gonçalves Pereira e Marcelo Curia (Globo Rural/SP), com ‘A nova economia da floresta’

Nicholas Vital (Plant Project/SP), com ‘O futuro da comida’

TV:

Alessandra Bergmann (SBT/RS), com dois trabalhos: ‘Cresce o número de mulheres à frente de propriedades rurais no país’ e ‘Noz-pecã, a fruta do bem’

Hellen Santos e equipe (programa Globo Rural/TV Globo/SP), com ‘Ilha das Cinzas: tecnologias ambientais na Foz do Rio Amazonas’   (Coletiva.net)

Sicredi abre 1ª agência em Esteio e amplia presença na Região Metropolitana

Sicredi abre 1ª agência em Esteio e amplia presença na Região Metropolitana

Agenda Agronegócio Cidade Economia Notícias

A Sicredi União Metropolitana RS, uma das cooperativas de crédito que integram o Sistema Sicredi em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal, se prepara para abrir as portas da sua primeira agência no município de Esteio. O evento de inauguração irá se realizar no dia 20 de agosto, às 19h, na Av. Presidente Vargas, 2190, sala 3. Para o presidente Ronaldo Sielichow, este investimento endossa o momento de crescimento do Sicredi na Região Metropolitana. “Nossa cooperativa vem promovendo sua expansão nos nove municípios da sua área de atuação. E agora chegou a vez de Esteio receber nossa total atenção”, afirma Sielichow.
Com uma história contada através das idas e vindas de pessoas e mercadorias pelas vias férreas, Esteio tem hoje uma população de mais de 80 mil habitantes. “É um município organizado com muitas entidades representativas, onde buscamos fortalecer ainda mais o nosso relacionamento”, acrescenta Sielichow. Além disso, o município tem mais de 3 mil empresas ativas, o Sicredi entende que o investimento nesta primeira agência em Esteio reforça a busca do Sicredi em cumprir sua missão: ser um parceiro efetivo e participativo na construção do desenvolvimento socioeconômico local. “O Sicredi assume com muita seriedade o papel de consultor financeiro e de condutor na busca da qualidade de vida e na geração de renda para seus associados e à toda a comunidade”.

RS: FETAG discute MPs 839 e 842 com Bancada Gaúcha

RS: FETAG discute MPs 839 e 842 com Bancada Gaúcha

Agronegócio Comunicação Direito Direito do Consumidor Economia Notícias

A FETAG reuniu hoje (6) a Bancada Gaúcha para um café, em sua sede, em Porto Alegre, para discutir as Medidas Provisórias nºs 839 e 842, entre outros assuntos. As duas MP’s, com as redações atuais, afetam profundamente a produção de alimentos pela agricultura familiar e, consequentemente, o desenvolvimento rural sustentável brasileiro. Lideranças de vários sindicatos puderam acompanhar todo o desenrolar do encontro através do sistema de videoconferência que a Federação disponibiliza as suas regionais sindicais.

O presidente da FETAG, Carlos Joel da Silva, logo após dar as boas-vindas aos parlamentares, fez uma apresentação do Retrato da Agricultura Familiar – Censo Agropecuário 2017 e suas Perspectivas. O dirigente destacou vários pontos do levantamento que atingem diretamente a agricultura familiar, entre eles a redução no número de estabelecimentos (1970 eram 512 mil e em 2017 caiu para 365 mil); 80% da população rural têm acima de 25 anos de idade, o que acentua o envelhecimento no meio rural; e a assistência técnica, cujos números apontam que 49,9% não têm nenhum tipo de assistência técnica na propriedade, ou seja, 65% dos agricultores familiares com áreas de até 10 hectares estão por conta própria. “A falta de assistência técnica é um dos principais fatores da saída das propriedades, em especial do leite”, observa.

Em relação às MP’s, a 839/2018 promove um corte drástico no orçamento no valor de R$ 9,5 bilhões, impactando principalmente nas políticas públicas destinadas à agricultura familiar, como reforma agrária, assistência técnica, meio ambiente, saneamento, Suasa, Pronera, apoio a mulheres e jovens rurais, saúde, educação, promoção do trabalho decente e economia solidária, desenvolvimento regional e territorial e administração dos perímetros irrigados. Já a MP 842/2018 altera a Lei Nº 13.340, de 28 de setembro de 2016 e a Lei Nº 13.606, de 9 de janeiro de 2018, que tratam da renegociação de dívidas de operações de crédito rural do Pronaf.

Joel cobrou uma posição dos deputados em relação aos recursos do Senar, pois o governo através de decreto prioriza recursos às entidades patronais em detrimento a dos trabalhadores, como a FETAG nos estados. Além disso, foi solicitada a participação do rateio das emendas impositivas da Bancada Gaúcha para 2018, cujo valor é de R$ 113 milhões.

Participaram do encontro os deputados Heitor Schuch, Giovani Scherini, Elvino Bonh Ghass, Luiz Carlos Heinze, Alceu Moreira, Dionilso Marcon e Gerônimo Goergen, bem como os assessores dos senadores Paulo Paim e Ana Amélia Lemos. Cherini, ao encerrar, disse: “A bancada gaúcha é 100% favorável aos pleitos da FETAG”.

RS: Inscrições abertas para o 6º Prêmio Vencedores do Agronegócio

RS: Inscrições abertas para o 6º Prêmio Vencedores do Agronegócio

Agronegócio Comunicação Economia Negócios Notícias

Estão abertas as inscrições para o Prêmio Vencedores do Agronegócio, que ganha novidades nesta edição, com a inclusão da categoria Elas no Agro. O anúncio foi feito pela Federação de Entidades Empresariais do Rio Grande do Sul (Federasul) que promove o evento que chega a sua sexta edição para o Vencedores do Agronegócio e segunda para Elas no Agro. As inscrições encerram dia 12 de agosto e o julgamento vai acontecer no dia 20, com a cerimônia de entrega dos Prêmios, em Esteio, no final de agosto, durante a Expointer, para marcar a estreia da Casa Federasul no Parque Assis Brasil.

O Prêmio Vencedores do Agronegócio e Elas no Agro identificam e valorizam as boas iniciativas do setor primário. Poderão participar instituições públicas ou privadas que estejam operando ou tenham ramificações de produtos e serviços na cadeia do agronegócio. Com cinco categorias, o 6º Prêmio Vencedores do Agronegócio está dividido em 1) Antes da Porteira; 2) Dentro da Porteira; 3) Depois da Porteira; 4) Sustentabilidade e 5) Elas no Agro.

A novidade desta edição é a homenagem às filiadas que apresentarem mais inscrições e as filiadas das cidades vencedoras, informou o coordenador do projeto e vice-presidente da Federasul Alexandre Gadret, que informa os patrocinadores do Prêmio: Icatu Seguros, Rio Grande Seguros e Previdência e apoio institucional da Eventize!

A ficha de inscrição, o regulamento e o roteiro para elaboração dos cases estão disponíveis no site federasul.com.br/agro, até o dia 12 de agosto.

Serviço

O quê? 6º Prêmio Vencedores do Agronegócio

Quando? Inscrições abertas até 12 de agosto de 2018

Onde? Site da Federasul – www.federasul.com.br/agro

Quem? Profissionais e empresas que tenham contribuído para o desenvolvimento do Estado do Rio Grande do Sul e de suas Regiões a partir do agribusiness

Porto Alegre: BarraShoppingSul recebe Feira do Vinho e Mostra do Queijo da Região da Canastra

Porto Alegre: BarraShoppingSul recebe Feira do Vinho e Mostra do Queijo da Região da Canastra

Agenda Agronegócio Cidade Destaque Economia Gastronomia Negócios Notícias Porto Alegre

O BarraShoppingSul recebe mais uma edição da Feira do Vinho entre os dias 4 e 8 de julho. Neste ano, o evento irá receber um reforço de peso: a Mostra de Queijos da Região da Canastra. Há mais de duzentos anos, esta região da serra mineira produz um dos queijos mais famosos do mundo, pois conta com as condições de clima, altitude, pastos nativos e águas para a produção de uma iguaria única e marcante.

Os amantes da gastronomia terão a oportunidade de conhecer quatro diferentes tipos de queijo da Canastra, um dos mais importantes produtos típicos de Minas Gerais. Os queijos são produzidos artesanalmente em fazendas e pequenas propriedades com uma receita secular que garante sabores únicos – tanto que atualmente é considerado patrimônio cultural imaterial brasileiro. Na mostra do Barra, os clientes poderão degustar o queijo da Canastra e ver as diferentes harmonizações com vinhos e cervejas.

Para completar, a Feira do Vinho vai contar com cerca de 30 expositores que proporcionarão ao público conhecer, degustar e comprar os melhores vinhos, espumantes e sucos de uva elaborados no país, a preços promocionais. O evento, que é uma realização da Phoenix Gestão de Eventos e tem o apoio do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). A feira ainda terá programação de cursos, degustações comentadas e shows musicais. A entrada é gratuita.

Serviço:

Feira do Vinho e Mostra do Queijo

De 04 a 08 de julho

Local: Centro de Eventos do BarraShoppingSul (Avenida Diário de Notícias, 300 – Porto Alegre)

Horários: quarta, quinta e sexta, das 15h às 21h

               sábado e domingo, das 12h às 21h

Entrada gratuita.

Programação de cursos:

DIA 04

19h – Conversando com vinho – enólogo e diretor da Agavi Darci Dani

DIA 05

17h –  Degustação Lovara – com Roberta Benedetti

19h – Degustação azeites Batalha – com Rossano Lazzarotto

DIA – 06

17h – Degustação Máximo Boschi – com Renato Savaris

19h – Universo dos Espumantes Adolfo Lona – com Lucca Lona

DIA 07

15h – Degustação Vinhos do Brasil – com Fabiano Rodrigues

17h – Queijos & Vinhos – Harmonização vinhos Aurora com Queijos da região da Canastra

19h –  Queijos & Vinhos – Harmonização vinhos Aurora com Queijos da região da Canastra

DIA 08

15h – Degustação vinhos Família Bebber – com Felipe Bebber

17h – Vinagre Orgânico Flach – com Michel Flach

Sicredi disponibiliza R$ 6,93 bilhões para Rio Grande do Sul e Santa Catarina à safra 2018/2019

Sicredi disponibiliza R$ 6,93 bilhões para Rio Grande do Sul e Santa Catarina à safra 2018/2019

Agronegócio Destaque Economia Negócios

Para o novo Plano Safra 2018/2019, o Sicredi está disponibilizando para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, mais de R$ 6,93 bilhões em crédito rural, com estimativa de realizar cerca de 114 mil operações. Desse total, R$ 5,93 bilhões vão para custeio, comercialização e investimento em linhas do Pronaf, do Pronamp e demais. E mais, R$ 1 bilhão será direcionado para operações com fontes do BNDES.

Ao todo no Brasil, o Sistema Sicredi está disponibilizando mais de R$ 16,18 bilhões em crédito rural para o Plano Safra 2018/2019, com a expectativa de gerar cerca de 214 mil operações, entre custeio e investimento. No fechamento consolidado nacional do ciclo Safra 2017/2018, o Sistema Sicredi liberou mais de R$ 11,6 bilhões, com resultado 16% superior a safra anterior, com a efetivação de 195 mil operações.

Veja, na tabela abaixo, a evolução da liberação de crédito pelo Sicredi no país:

Finalidade Liberado Safra 16/17 – R$ Liberado Safra 17/18 – R$ Variação
COMERCIALIZAÇÃO 647.940.263 848.838.464 31%
INVESTIMENTOS 1.580.925.722 2.079.503.596 32%
CUSTEIO 7.763.833.930 8.657.832.450 12%
INDUSTRIALIZAÇÃO 18.592.745
Total 9.992.699.915 11.604.767.255 16%

 

 

Setor se mantem em evolução

Os mercados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina mostram que – independente das adversidades climáticas, econômicas ou de mercado -, seguem mantendo o nível de contratação de crédito rural em crescimento. Prova disso, são os números gerados na safra anterior onde, os dois estados, realizaram 102.615 mil operações que somaram R$ 4,98 bilhões em crédito. Juntos, RS e SC, representam 43% do total liberado pelo Sistema Sicredi no país. Por conta da sua missão direcionada para o crescimento sustentável, o Sicredi busca estar juntos com os associados para apoiá-los no financiamento da produção e nos investimentos em sua propriedade. Com isso, gera desenvolvimento aos associados que se estende – naturalmente – a toda a comunidade.

Segmento em crescimento

A agricultura familiar (que engloba o pequeno e médio produtor rural) e a agroindústria familiar seguem como o segmento mais atendido pelo Sicredi no Brasil. E no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, este segmento representou 92,3% das operações realizadas no ciclo 2017/2018, que se encerrou. Segundo o BNDES, o Sicredi é a 3ª instituição financeira na liberação de crédito rural e a 1ª no segmento da agricultura e agroindústria familiar no Brasil. O posicionamento do Sicredi foi construído – primeiro pela sua origem – e com os valores e o entendimento das necessidades da agricultura familiar e a proximidade com os associados.

Fontes dos recursos

Além dos recursos provenientes do BNDES, o Sicredi desenvolve a democratização do acesso ao crédito, direcionando grande parte dos recursos da sua Carteira de Poupança para financiar o agronegócio, representando em torno de 47,2% do total dos recursos disponibilizados que impactam direto as comunidades com a geração de renda, empregos e qualidade de vida às pessoas. A atuação do Sicredi é focada na sustentabilidade do acesso ao crédito rural, o que reflete na baixa inadimplência que hoje – no RS e SC – registra 0,15% no fechamento do Plano Safra anterior.

 

Expointer 2018 tem programação técnica definida

Expointer 2018 tem programação técnica definida

Agenda Agronegócio Cidade Comunicação Negócios Notícias

A programação técnica da próxima Expointer já está definida, e as inscrições dos animais se encerram no dia 30 de julho. Estes foram os encaminhamentos da reunião realizada pela Comissão Permanente de Exposições e Feiras da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Irrigação nesta quinta-feira (14), no auditório do Parque de Exposições Assis Brasil.

A programação de julgamentos, leilões e provas foi elaborada, e a data-limite de 30 de julho foi estipulada para que as associações encaminhem as inscrições dos animais à Secretaria. Os valores das inscrições, que ficam a cargo de cada associação, também foram definidos.

Vinhos: Casa Valduga conquista a 5ª medalha de ouro em premiação europeia

Agronegócio Cultura Destaque Economia Mundo Negócios Notícias

O Leopoldina Gran Chardonnay D.O 2017, rótulo da vinícola Casa Valduga, levou a medalha de ouro, a quinta desse ano, no Concurso Citadelles du Vin. A premiação, realizada em Bordeaux, na França, elegeu os melhores rótulos de 30 países.Destaque do concurso, o Leopoldina Gran Chardonnay D.O é elaborado com a uva branca que representa o Vale dos Vinhedos. O vinho apresenta aroma fascinante e envolvente de frutas tropicais, como abacaxi e carambola, envolvidas nas notas tostadas de chocolate branco e baunilha, cedidas pela combinação das barricas francesas, o que confere complexidade e elegância.

vinho-branco-casa-valduga-leopoldina-gran-chardonnay-d-o-750ml-15160385328802O Citadelles du Vin é um dos 12 concursos internacionais filiados à Federação Mundial de Grandes Concursos Internacionais de Vinhos e Espirituosos – Vinofed e tem a chancela da Organização Mundial da Uva e do Vinho – OIV. São cerca de 50 degustadores internacionais, que avaliam amostras oriundas de 30 países.

#FicaADica Todos os produtos Casa Valduga podem ser adquiridos pelo e-commerce.

Projeto elimina exigência de outorga de água para agricultura familiar

Projeto elimina exigência de outorga de água para agricultura familiar

Agronegócio Comunicação Destaque Notícias

Tramita na Assembleia Legislativa do Rio Grande do Sul o Projeto de Lei 97/2018, de autoria do deputado estadual Elton Weber, que dispensa de outorga de águas superficiais e subterrâneas os agricultores familiares e poços comunitários.

O projeto objetiva reduzir a burocracia e os custos nas pequenas propriedades. A demanda partiu da Fetag. Atualmente, o agricultor gasta de R$ 8 mil a R$ 20 mil para realização da análise estrutural do poço e vasão da água por profissionais habilitados, dependendo da região do Estado. Além disso, essa outorga tem de ser renovada a cada dez anos, gerando uma nova despesa.

O texto também estabelece a dispensa de pagamento pelo uso da água para todos os enquadrados na Lei Federal nº 11.326/2006, que define a agricultura familiar. A medida se antecipa a intenção do governo estadual de realizar a cobrança que já ocorre em outras regiões do país como São Paulo, explica o parlamentar. “Nosso projeto, construído em sintonia com a Fetag, vem para facilitar a vida do agricultor, estimulando sua atividade”, diz Weber.