RS: ABCCC inaugura Espaço Cultural com documentário de Fagner Almeida na quinta, 22 de agosto

RS: ABCCC inaugura Espaço Cultural com documentário de Fagner Almeida na quinta, 22 de agosto

Agenda Agronegócio Cultura Destaque
oQ4bAgtE
Imagem da série documental “Em Busca do Cavalo Crioulo”. Fotógrafo: Fagner Almeida
zFxji8Cg
Fagner Almeida

Na próxima quinta-feira, 22 de agosto, às 18h, a Associação Brasileira de Criadores de Cavalo Crioulo, ABCCC, inaugura Espaço Cultural na Expointer, com exibição do episódio 1 da série documental “Em Busca do Cavalo Crioulo”, do fotógrafo Fagner Almeida. “Em Busca do Cavalo Crioulo” convida a uma viagem além dos redutos tradicionais da raça, mostrando onde e como são os criatórios da Itália, Alemanha, França e Suíça. “Em Busca do Cavalo Crioulo” conta com cinco episódios, cada um tratando especificamente de cada país. Nessa primeira temporada, estamos abordando a criação na Itália, Alemanha, França e Suíça, mais um capítulo específico sobre a Fieri Cavalli. “Para isso, ficamos durante 30 dias, entre outubro e novembro de 2018, percorrendo as cabanas europeias, com uma equipe de três pessoas, incluindo um cinegrafista, uma jornalista e eu, que fiz os registros em fotos e também em vídeos. Conseguimos um material fantástico e até eu fiquei surpreso com as coisas que vi e pudemos registrar. Nunca imaginei que houvesse tanta gente na Europa apaixonada pelos crioulos assim”, conta.

jw5YT7Ai
Foto: Fagner Almeida

A série tem como objetivo apresentar o cavalo Crioulo fora do seu eixo tradicional, nas mais distintas culturas e nas mais adversas situações de extremos lugares, mostrando a adaptação da raça a qualquer local. “Tenho feito diversos trabalhos fora do estado e em outros países e quero mostrar até onde o Crioulo pode chegar”, revela.

A história de Fagner Almeida em busca do Cavalo Crioulo é uma trajetória de longa data. Em 2020, prestes a completar 10 anos como profissional e de trabalhos com a raça, o fotógrafo já percorreu distâncias que o levaram até Crioulos em territórios como a América do Sul, América do Norte e Europa. Em 2010 começou a fotografar a Marcha da Resistência, uma das principais modalidades da raça. Fagner também é autor do livro “Marcha de Resistência Cavalo Crioulo – 20 anos Jaguarão”. A partir de 2012 o fotógrafo começou a trabalhar em provas do Freio de Ouro. No ano de 2014 fotografou pela primeira vez o World Equestrian Games (WEG) realizado na Normandia/França. Em 2016 trabalhou nas Olímpiadas, fazendo cobertura das provas de hipismo para a Revista Horse.

Ao final de 2016 é destacado pela imprensa americana no TOP15 melhores fotógrafos equestres do mundo. Na Europa, no ano de 2017, foi fotógrafo na feira de Golegã Lusitano em Portugal e também da Fieracavalli na Itália. Em 2018 Fagner também esteve presente em Tryon, nos Estados Unidos, para outra edição de um dos maiores eventos equestres do mundo: o World Equestrian Games. Recentemente em Lima no Peru, fez toda cobertura do hipismo nos jogos Pan-americanos.

STlraF_u
Foto: Fagner Almeida

Em outubro o artista embarca para a França, onde uma de suas fotos integra o Salão Internacional de Arte Contemporânea de Paris, que ocorre de 18 a 20 de outubro no Le Carroussel do célebre museu. Almeida foi um dos selecionados pela curadora Lisandra Miguel, que conheceu seu trabalho através de uma pintura de Raquel Fernandes, que usou os cavalos retratados pelo artista em sua obra – inclusive estarão expostos lado a lado em Paris. “Eu nem consigo acreditar ainda. Fico muito feliz em deixar minha marca, e mais orgulhoso ainda por saber que conquistei esse espaço através do Cavalo Crioulo, uma grande paixão desde adolescência.

Anexo ao restaurante do Cavalo Crioulo, no Parque de Exposições Assis Brasil, palco da Expointer, o Espaço Cultural da ABCCC vai abrigar exposição de trabalhos de artistas que contam com projetos apoiados pela entidade. Durante a Expointer, as exibições serão com dias e horários pré-definidos. O presidente da ABCCC, Francisco Kessler Fleck, explica que o objetivo do novo espaço é promover a cultura no meio Crioulo. O público terá acesso integral às obras, podendo participar, apoiar e aprender sobre os conteúdos e seus respectivos artistas”, assegura. O primeiro trabalho apresentado ao público é o primeiro episódio do documentário “Em Busca do Cavalo Crioulo”. Nos dias seguintes, o local exibirá trabalhos de artistas como Caé Braga (escultor e artista plástico), Cassio Selaimen (cuteleiro), Felipe Constant (artista plástico), Henrique Fagundes da Costa (escritor e pesquisador), Eduardo Rocha (fotógrafo), Raul Sartor Filho (artista prateiro) e Renato Dalto (jornalista e escritor).

 

Clique aqui e confira a programação completa do Espaço Cultural da ABCC.

 

LRDd9Qgg
Imagem da série documental “Em Busca do Cavalo Crioulo”. Fotógrafo: Fagner Almeida
RS: Feira de novilhas da Farsul completa 15 anos

RS: Feira de novilhas da Farsul completa 15 anos

Agronegócio Destaque Economia Negócios

A Expointer 2019 recebe, em 29 de agosto, às 16 horas, a 15ª edição da Feira de Novilhas e Ventres Selecionados — que oferta, neste ano, 500 bovinos de corte de raças europeias e sintéticas na Pista J do Parque de Exposições Assis Brasil. O lançamento ocorreu nesta segunda-feira (12), em Porto Alegre. A realização é da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), em parceria com Secretaria Estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) e Santa Úrsula Remates.

lamachia
Leonardo Lamachia Foto: Farsul

De acordo com o coordenador da Comissão de Exposições e Feiras da Farsul, Francisco Schardong, a expectativa é positiva por conta do momento de transição da pecuária, quando a atividade recupera patamares de remuneração pelo boi gordo. Dessa maneira, ela se consolida como investimento mais seguro que a lavoura de grãos, sujeita a intempéries climáticas e frustração de safra. “Esse aumento de produção sempre nasce pelo ventre. Para ter animal de qualidade no campo, o pecuarista precisa de boas matrizes”, destaca o dirigente.

Para o presidente da Federação Brasileira das Associações de Criadores de Animais de Raça (Febrac), Leonardo Lamachia, a perspectiva de alta nas exportações para a China em função da peste suína africana no continente asiático traz otimismo ao mercado. Outra realidade que pode impulsionar as vendas é o aquecimento da exportação de gado em pé: ainda que seja nicho, o sobrepreço praticado na modalidade chega a 15% em relação à cotação interna, segundo o pecuarista Mauro Pilz.

Para o subsecretário do Parque de Exposições Assis Brasil, José Arthur Martins, o crescimento na participação de bovinos de leite (17,6%) e ovinos (10,3%) e a manutenção dos exemplares de bovinos de corte prenunciam o interesse dos pecuaristas por investimentos. O custo médio de levar um animal de argola para Esteio, nesta edição, está em cerca de R$ 5 mil, mas os criadores enxergam a exposição “como um bom negócio”.

O lançamento do remate também contou com a participação do diretor financeiro da Farsul, José Alcindo Ávila; do superintendente do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Estado (Senar-RS), Eduardo Condorelli; dos prefeitos de Esteio, Leonardo Pascoal, e Gravataí, Marco Alba; e do proprietário da Santa Úrsula Remates, Adalberto Cardoso. A última edição da Feira de Novilhas e Ventres Selecionados teve pista limpa para 468 animais, movimentando R$ 572,3 mil. O evento registrou médias de R$ 4,87 para o quilo das novilhas prenhas, R$ 4,74 para novilhas e R$ 4,95 para terneiras. Banco do Brasil, Banrisul e Sicredi oferecem linhas de financiamento.

RS: Fórum durante a Expointer vai debater programa de erradicação da febre aftosa

RS: Fórum durante a Expointer vai debater programa de erradicação da febre aftosa

Agronegócio Comunicação Notícias

No dia 30 de agosto, será realizado o 1º Fórum Nacional bianual do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa 2017/2026 (Pnefa). O evento ocorrerá durante a 42ª Expointer, no auditório da administração central do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, das 8h às 18h, e será aberto para a participação da sociedade.

O objetivo do fórum é discutir e informar sobre o andamento da execução do Plano Estratégico do Pnefa, além do seu impacto nacional para o setor produtivo, autoridades e sociedade em geral. “Será uma grande oportunidade de reunirmos pessoas de todo o Brasil para discutir a evolução do status sanitário dos Estados e, no caso do Rio Grande do Sul, de livre de aftosa sem vacinação, o que abrirá oportunidades comerciais importantes”, avalia o secretário da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), Covatti Filho.

O evento será transmitido ao vivo e terá palestras técnicas e mesas-redondas com temas político-administrativos. O fórum será organizado pelo Departamento de Saúde Animal do Ministério da Agricultura, através da Divisão de Febre Aftosa, e com a colaboração da Superintendência Federal de Agricultura no Rio Grande do Sul, em parceria com a Seapdr e outras instituições do agronegócio. As inscrições são gratuitas e poderão ser feitas neste link.

O Rio Grande do Sul passará por auditoria do Ministério da Agricultura em setembro deste ano para avaliar a possibilidade de adiantar a retirada da vacinação contra a aftosa. O Estado está no Grupo 5 do Ministério da Agricultura, cuja previsão inicial era de ter vacinação até 2021 e reconhecimento de zona livre da doença em 2023. A evolução do status sanitário para zona livre de aftosa sem vacinação abrirá portas para mercados internacionais mais exigentes e também garantirá o comércio doméstico entre estados que já conquistaram esse status, como Santa Catarina.

Pnefa
O objetivo do Pnefa é obter o reconhecimento internacional pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) de novas zonas livres de febre aftosa sem vacinação no Brasil, a partir de 2019, alcançando todo país até 2023. Além disso, o PNEFA deverá projetar a demanda de vacinas, considerando o cronograma de retirada da vacinação contra a doença e a criação de um banco de antígenos e vacinas, o Banvaco, para atender possíveis emergências.

Paralelamente, o Pnefa prevê a ampliação e aprimoramento da capacidade de diagnóstico dos laboratórios para aftosa, fortalecendo a biossegurança destes locais e mitigando os possíveis riscos de escape e difusão do vírus da aftosa, entre outros pontos.

RS: Raça bovina Ultrablack fará sua estreia na Expointer neste ano

RS: Raça bovina Ultrablack fará sua estreia na Expointer neste ano

Agronegócio Comunicação Expointer Negócios Notícias

Um projeto iniciado há dois anos pela Associação Brasileira de Angus tomará forma na Expointer deste ano. A associação levará ao Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, a primeira exposição da raça Ultrablack no Estado. Originária da Austrália, o Ultrablack já tem suas raízes gaúchas. Os 16 animais inscritos para a feira, que ocorre entre os dias 24 de agosto e 1 de setembro, pertencem a três criatórios localizados nos Rio Grande do Sul: Cia Azul (Uruguaiana), Cabanha São Xavier (Tupanciretã), e Fazenda 4 Linhas (Guaíba).

“Quem não conhece muito do setor não verá grandes diferenças físicas, mas talvez repare que é um touro um pouco maior do que o Angus convencional. As principais características que o diferenciam do Angus puro se verificam mesmo é no campo”, explica Nivaldo Dzyekanski, presidente da associação.

Leia mais no Jornal do Comércio

Sicredi União Metropolitana RS divulga contemplados pelo Fundo de Desenvolvimento Social

Sicredi União Metropolitana RS divulga contemplados pelo Fundo de Desenvolvimento Social

Agronegócio Notícias

O sábado foi de comemoração e celebração para quem busca e propõe fazer a diferença. No Teatro da PUCRS completamente lotado, 88 projetos sociais ligados a esporte, educação, cultura, meio ambiente, saúde e segurança receberam os recursos do Fundo de Desenvolvimento Social da Sicredi União Metropolitana RS. O auxílio de R$ 492 mil beneficiará mais de 67 mil pessoas nas cidades de Alvorada, Cachoeirinha, Canoas, Esteio, Glorinha, Gravataí, Porto Alegre, Sapucaia do Sul e Viamão. “É um momento importante, de reflexão. Fazer a diferença para quem precisa não tem preço. Nossa missão diz que temos de agregar renda ao associado, proporcionando qualidade de vida a ele e à comunidade. E é isso o que estamos fazendo ao olhar para todos” afirma o presidente da Sicredi União Metropolitana RS, Ronaldo Sielichow.

FundoSocial2019_172
“Nossa missão diz que temos de agregar renda ao associado, proporcionando qualidade de vida a ele e à comunidade. E é isso o que estamos fazendo ao olhar para todos” afirma o presidente da Sicredi União Metropolitana RS, Ronaldo Sielichow.

A solenidade contou com a participação de autoridades dos municípios onde a cooperativa atua, representantes das entidades e dos projetos beneficiados, diretoria e colaboradores da Sicredi União Metropolitana RS. No ambiente, o clima era de felicidade, entusiasmo e esperança em uma sociedade melhor. “É gratificante poder mostrar e agraciar vários projetos e atitudes que melhoram o dia a dia das pessoas e muitas vezes não são vistas. O resultado de boas ações aparece tanto para quem é ajudado quanto para quem ajuda“, ressalta o diretor executivo da cooperativa, Gerson Kunkel.

Na comparação com 2018, primeiro ano do Fundo de Desenvolvimento Social, os recursos e os contemplados quase dobraram. No ano anterior, R$ 255 mil foram destinados a 46 projetos. Crescimento que a cooperativa quer melhorar ainda mais em 2020. “O ano passado foi histórico para a cooperativa, por ser o primeiro do fundo. Nossos associados decidiram criá-lo acreditando que cada um de nós é um pouco responsável pela sociedade e pode contribuir com ela. Com o crescimento da cooperativa, vamos alcançar um valor maior nos próximos anos para auxiliar ainda mais no desenvolvimento das comunidades”, projeta o vice-presidente da Sicredi União Metropolitana RS, Alcides Brugnera.

Ao final da cerimônia, crianças da Pequena Casa da Criança, instituição de Porto Alegre contemplada em 2018 e 2019, realizaram quatro apresentações de dança, proporcionando ainda mais alegria ao momento.

Projetos contemplados

ALVORADA


Cresça com Segurança –  
Instituto E. de Educação Júlio César Ribeiro de Souza

Filhos da Promessa – Primeira Igreja Evangélica Assembleia de Deus de Alvorada

Inglês para o Futuro – Rotary Club de Alvorada

 

Memorial da Società – Sociedade Italiana de Alvorada

Novo Brechó Solidário – Associação de Familiares, Pais e Amigos das Pessoas com Deficiência e Altas Habilidades Aurora da Vida

Projeto Pescar – O Protagonismo que transforma – Associação Comercial e Industrial de Alvorada

 

CACHOEIRINHA

 

Cadeiras de Rodas da Esperança – Rotary Club de Cachoeirinha

Nossos Jovens  – Programa de Capacitação Para Jovens Empreendedores – Associação Comercial e Industrial de Cachoeirinha

Rotary Sport 2019 – Rotary Club Cachoeirinha Industrial em parceria com Escola Estadual Rodrigues Alves

Rotary Sport 2019 – Rotary Club Cachoeirinha Industrial em Escola Estadual Mascarenhas de Moraes

Um mundo de possibilidades – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais

 

CANOAS

 

A construção de uma escola participativa: melhorias na infraestrutura – Escola Municipal de Ensino Fundamental João Paulo I

Ajudando na educação, por um cidadão melhor! – “Caminhos Seguros e Escola Estadual de Ensino Médio Cânego José Leão Hartmann”

Ampliação da clínica de serviços de quimioterapia – Liga Feminina de Combate ao Câncer de Canoas

Brinquedoteca para Escola Comunitária São Mateus Canoas – Lions Clube Canoas Centro e Escola Luterana Comunitária São Mateus 

Instalação da praça e a revitalização da Brinquedoteca  – Escola Municipal Rui Cirne Lima em parceria com Rotary Club de Canoas Industrial

Kit de Enxovais para Recém Nascidos – Lions Clube Canoas Santa Rita

Mundo Colorido – Associação Grupo Chimarrão da Amizade 

Oficina de percussão Soares do Amanhã – Associação Recreativa e Cultural Escola de Samba dos Soares

Olhar Canoas – Lions Club Canoas Niterói 

Reforma do Telhado Ação Social Santa Barbara – Rotary Club de Canoas

ESTEIO

Aquisição  e doação de bens essenciais para o Hospital São Camilo – Rotary Club de Esteio

Bandeja Cirúrgica – Lions Clube Esteio Centro

Bombeiro Civil Mirim – Associação Comercial, Industrial e Serviços de Esteio

Pracinha Irmã Sibila Ana Burin – Centro de Formação Teresa Verzeri

GLORINHA

Brinquedoteca: ler, brincar e imaginar – Legião da Boa Vontade

Esporte e Lazer na Praça – Associação dos Trilheiros de Glorinha – Grupo Soca Trilha

Invernada Mirim – CTG Sentinela do Rio Grande

Musicalização para Todos – Rotary Club de Glorinha

Projeto Escola Segura – Escola Municipal de Ensino Fundamental Coronel Sarmento

GRAVATAÍ

Inclusão Digital, como fator de inclusão social na Tom Jobim   – Associação Grupo de Apoio a Infância e Adolescência – GAIA

Projeto SAMUEL Valorizando a Vida – Assembleia de Deus de Gravataí

Reforma na Escola – Escola Comunitária de Educação Infantil Crianaça Esperança

Sala das artes APAE Gravatai – Rotary Club Gravataí

PORTO ALEGRE

Construindo um Sonho – Associação Cantinho Vó Georgina

Garantia do Atendimento a Estudantes de Inclusão – “Escola de Ensino Fundamental Nossa Senhora do BrasilAssociação Cruzeiras de São Francisco”

Recanto mais Feliz – Creche Recanto da Criança Feliz

Reciclando roupas, multiplicando vida – Cáritas Brasileira Regional Rio Grande do Sul

Teatro é Vida: Uma arte de inclusão  – Escola Especial para Surdos Frei Pacífico – Associação Cruzeiras de São Francisco

Aquisição de material de acampamento, reforma da sede e registros – Grupo Escoteiro Laçador 358-RS

Começar de novo – Gastronomia Social – Fundação O Pão dos Pobres

 

Medidas de Segurança contra Incêndios – Lar de São José

Patins do Bem – Instituto de Assistência e Proteção da Infância – IAPI

Daltro em Dança 2019 – Escola Estadual de Ensino Fundamental General Daltro Filho

Imama POA Rural – Instituto da Mama do RS – Imama RS

Jantar Beneficente – Pequena Casa da Criança

Movimentando Vidas – Kinder Centro de Integração da Criança Especial

Anjinhos de Cristal – Escola Anjinhos de Cristal em parceria com a Associação de Moradores do Residencial Alphaville Porto Alegre

Banco de Cadeiras de Rodas – Rotary Club de Porto Alegre Lindoia

Coral Vozes do Salvador – Comunidade do Salvador

Dança e pinta, Aparecida! – Banco Comunitário de Desenvolvimento Justa Troca

Expressando alegria, através do corpo – Sempre Mulher – Instituto de Pesquisa e Intervenção sobre Relações Raciais

Projeto Acolhida – Qualidade de Vida aos Idosos em Acolhimento Institucional – Associação Servos da Caridade – Lar São Luiz Guanella

Valores fundamentais para fazer bonito no jogo da vida – Escola Estadual de Ensino Fundamental Ana Neri

A Escola no Cinema – Adriana Martello – conectando pessoas

Construção da Praça – Fundação São João de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência Social

Cozinhar e Servir – Associação Cozinhar e Servir

De Vila a Vila: Skate na Vila – Associação Cultural Vila Flores

Influência nas escolas – Eduardo Rocha Fotografia 

Português para Estrangeiros – Aproximando as Pessoas – Fundação Maçônica Educacional

4º Torneio Escolar de Atletismo Rotary Club Porto Alegre São João

Reforma e acessibilidade ao prédio da escola – Escola Estadual de Ensino Fundamental Gonçalves Dias

8ª Corrida pela Paz da Restinga – Centro Social Padre Pedro Leonardi

Abraçando com Carinho – Mitra Arquidiocese de Porto Alegre – Capela Santa Luzia

Ampliando Horizontes – Associação dos Moradores do Loteamento Cristiano Kramer

MateriaIs Esportivos  – Associação Projeto Gaditas 

Patio para as crianças brincarem  – Associação dos Moradores do Mangue Seco

Projeto Vencedor-  É preciso sonhar o alegre porto da minha infância – Associação Beneficente Projeto Vencedor

Dominando a era digital – Instituto Cultural São Francisco de Assis

Formando Músicos na Lomba do Pinheiro  – Instituto Popular de Arte-Educação

26ª Corrida Pela Vida – Instituto do Câncer Infantil

Observador Mirim – Observatório Social Porto Alegre

Programa Educacional de Resistência as Drogas – PROERD – Brigada Militar – Comando de Policiamento Metropolitano

Projeto Educacional – Observatório Social do Brasil – Gravataí e Glorinha

Segurança do paciente cirúrgico do Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre – Associação de Literatura e Beneficência – Hospital Banco de Olhos de Porto Alegre

Seminário Cidade Bem Tratada –  Vargas & Vieira Comunicação

SAPUCAIA DO SUL

 

A Literatura como agente transformador de nossa sociedade – Grupo de Tradição e Folclore Tropilha Crioula

 

Grupo de Dança – Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais de Sapucaia do Sul

 

O futuro para as crianças de Sapucaia do Sul  – Uma visão melhor- Lions Clube Sapucaia do Sul Centro

 

Quartel Trilegal na Brigada Militar de Sapucaia do Sul – Conselho Comunitário Pró Segurança Pública de Sapucaia do Sul

 

VIAMÃO

 

Música Sicredi na Escola – Escola Estadual Rui Barbosa em parceria com Cooperativa dos Produtores Orgânicos de Reforma Agrária de Viamão

 

Amigo da Escola Viamão – Rotary Club De Viamão

 

Amigo da Escola Águas Claras – Rotary Club De Viamão

 

Banda Dom Bosco Novo Lar  – Associação de Recuperação do Menor – Novo Lar 

 

Edificar  – Construindo bases familiares mais fortes – Instituto Virando o Jogo

 

Educação para o trânsito – Círculo de Pais e Mestres da Escola Apolinário Alves dos Santos em parceria com Rotary Club de Viamão

 

Escolinha de Futebol – Associação Esportiva Recreativa e Comunitária Índio Jari

 

Jovens de Futuro – Instituto VETTA

Mesmo com queda nos custos de produção, produtores rurais perderam rentabilidade

Mesmo com queda nos custos de produção, produtores rurais perderam rentabilidade

Agronegócio Comunicação Notícias

A guerra comercial entre EUA e China e a peste suína no país oriental influenciaram diretamente nos preços da soja e suínos. O resultado foi uma alta de 6,8% no Índice de Inflação dos Preços Recebidos pelos Produtores Rurais (IIPR) no mês de junho. Esta é a maior valorização do indicador nos últimos três anos. Já a queda de 3,3% na taxa de câmbio foi responsável por uma retração de 0,17% nos custos de produção no mesmo período, conforme o Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP). O resultado vem após três meses consecutivos de alta e é a primeira vez que fica abaixo do IPCA nos últimos 12 meses. Apesar do resultado do último mês, o saldo final é uma queda na rentabilidade dos produtores rurais. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (30/7) pelo Sistema Farsul.
A economista do Sistema Farsul, Danielle Guimarães, explica que o resultado é a soma de dois cenários. “Temos o custo abaixo da inflação, mas os preços também estão abaixo do que nas gôndolas dos supermercados, bem diferente do ano passado. Isso é o que gera a redução de rentabilidade”, comenta. No primeiro semestre de 2019, o IICP teve uma queda de 1,05%, enquanto o IPCA aumentou 2,23%. Já o IIPR até junho acumulou alta de 0,23% contra 2,89% do IPCA Alimentos.
No acumulado de 12 meses, o IICP registrou crescimento de 2,80% e o IPCA, 3.37%. No mesmo período, o IIPR ficou em 2,77%, abaixo do IPCA Alimentos 3,99%. Os diferentes movimentos mostram não haver uma relação direta entre os custos de produção e os preços em geral. Também há distanciamento na velocidade com que os preços são corrigidos nas prateleiras e no campo.

Confira relatório completo.

Só Centro-Oeste e Sul retomam ritmo da economia pré-crise.  ‘Lanterna’, Sudeste sofre com desempenho do Rio e com números da indústria

Só Centro-Oeste e Sul retomam ritmo da economia pré-crise. ‘Lanterna’, Sudeste sofre com desempenho do Rio e com números da indústria

Agronegócio Destaque


Enquanto o País demora para recuperar o fôlego pré-crise econômica, as regiões Centro-Oeste e Sul atingiram ou superaram os índices de março de 2014, quando começou a espiral de queda do PIB. Segundo o índice Itaú para a atividade econômica – que reúne empregos formais, comércio, indústria e agricultura –, o Centro-Oeste é a única região que supera com folga, no primeiro trimestre de 2019, os números de cinco anos atrás. O Sul fica no zero a zero (0,25 ponto porcentual abaixo dos índices de 2014).

“Lanterninha”, o Sudeste sofre com o desempenho de Minas Gerais e Rio – este último lidera o fechamento de empregos formais e está entre as economias mais frágeis do País. Com desempenho abaixo da média nacional, São Paulo sente os reflexos da crise que atingiu a indústria, indicador com a pior performance entre os pesquisados pelo Itaú. 

Clique aqui e leia a íntegra em O Estado de São Paulo.

RS: Alegrete e Santiago dão início a novo ciclo de interiorização Sistema Farsul em Campo

RS: Alegrete e Santiago dão início a novo ciclo de interiorização Sistema Farsul em Campo

Agronegócio Destaque Economia

O Sistema Farsul iniciou um novo ciclo de interiorização. Com a proposta de estreitar ainda mais a relação com os Sindicatos Rurais, o“Sistema Farsul em Campo” irá realizar reuniões em todas as regionais da Federação apresentando o trabalho da Farsul, Senar-RS e Casa Rural e ouvindo sindicatos e produtores sobre questões que envolvam a região. Nesta semana, duas reuniões já foram realizadas. Na terça-feira (23/7), o encontro aconteceu em Alegrete com integrantes da Regional 1, na quarta-feira (24/7) foi a vez de Santiago reunir a Regional 12.

O presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira, abriu os dois encontros destacando qual o objetivo do sistema sindical, “estamos aqui para servir e não para sermos servidos”, afirmou. Ele explicou que o processo de interiorização significa levar o Sistema Farsul ao seu lugar de origem “A ideia de vir ao interior é porque viemos do interior. Fui produtor a vida inteira, agora que me tiraram da fazenda”, comentou.

Uma novidade desta etapa é a participação da CNA em todo o roteiro. Nestes dois primeiros encontros, a Confederação foi representada pela superintendente Técnica Adjunta, Natália Fernandes. Ela apresentou a estrutura do Sistema CNA, áreas de atuação, a representatividade garantida ao produtor por meio da Confederação e a importância da participação dos produtores no sistema sindical. O protagonismo da CNA nas negociações de comércio exterior pela superintendência de Relações Internacionais, que tem Gedeão Pereira como diretor, também foi destacado por Natália, além da participação gaúcha nas câmaras e comissões da CNA e Ministério da Agricultura.

57282838807959
Superintendente Eduardo Condorelli e a diretora de Administração e Finanças do Senar-RS, Fabiana Flores, em Alegrete. Foto:Gerson Raugust/ Sistema Farsul

Natália vê na interiorização a demonstração do interesse da Farsul em fortalecer o sistema sindical por meio de uma aproximação com a base. “É ir até o produtor, mostrar o que está fazendo e ver o que ele acha disso, ouvir sindicato e produtor”, avalia. Ela pretende levar o formato à CNA para buscar formas de incentivar as demais federações a desenvolverem projetos semelhantes.

Nos encontros, que tiveram duração de um dia, o Senar-RS recebeu atenção especial. O superintendente Eduardo Condorelli, acompanhado dos diretores Cláudio Rocha e Fabiana Flores apresentaram a nova estrutura da entidade, atividades de cada setor e o projeto de implantação da ATeG (Assistência Técnica e Gerencial) no início de 2020, com projeção de atender dez mil propriedades no estado. “Depois dessa reorganização, já esperamos ter muito para mostrar no fim do ano. Mas, iremos mergulhar na ATeG. Temos dados que apenas 20% dos produtores tem algum tipo de assistência técnica,”, explica Condorelli.

O economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, mostrou como funciona a atual política agrícola e apresentou a proposta de um novo formato, elaborado pela Farsul, adotado e ampliado pela CNA e bem recebida pelo Governo Federal. A proposição é baseada na otimização e uso eficiente dos recursos do orçamento, concentrando no Seguro Rural. Isso garantiria, além do próprio seguro, o acesso ao crédito com juro baixo e controle ao mau endividamento. Questões tributárias, as assimetrias do Mercosul, gestão de propriedades e endividamento também foram temas tratados pelo economista.

70476990923312
Em Alegrete o Sistema Farsul em Campo reuniu sindicatos da regional 1 da Farsul. Foto:Gerson Raugust/Sistema Farsul

Ainda compõe o quadro de apresentações, o protagonismo jovem e a formação de novas lideranças sindicais, feita pelo assessor da Presidência, Luis Fernando Cavalheiro Pires. Os jovens também receberam destaque do secretário das Comissões, Rodrigo Rizzo, que, ao falar da reinstalação das comissões da Farsul, destacou a importância da participação deles nos demais grupos, não ficando restritos apenas a Comissão Jovem. O assessor Álvaro Moreira comentou sobre a gestão jurídica das propriedades. O advogado apontou os principais itens que merecem especial atenção dos produtores como questões trabalhistas, contratos de arrendamentos, entre outros.

O assessor técnico, Marcelo Camardelli, falou sobre a importância da participação dos sindicatos nos comitês de bacias hidrográficas e deu especial atenção à questão do 2,4-D e os oito itens da proposta elaborada pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (SEADPR). 2,4-D também foi tema da apresentação do coordenador de Programas Especiais do Senar-RS, Alexandre Prado, com o Deriva Zero, programa voltado para orientação e treinamento de produtores e colaboradores na aplicação de agroquímicos para evitar a deriva.

Também participaram dos eventos, o vice-presidente da Federação, Elmar Konrad, os diretores administrativo, Francisco Schardong, financeiro, José Alcindo de Souza Ávila, os diretores vice-presidentes, Carlos Simm e José Aurélio Silveira, o diretor Hermes Ribeiro de Souza Filho, o assessor da presidência, Derly Girard, e o assessor jurídico da superintendência do Senar-RS, Daniel Jung.

Martinelli Advogados inaugura sede em Passo Fundo. Escritório atende algumas das principais empresas de agronegócio da região

Martinelli Advogados inaugura sede em Passo Fundo. Escritório atende algumas das principais empresas de agronegócio da região

Agronegócio Destaque Direito Economia Negócios

Para estar ainda mais próximo dos clientes da região, o Martinelli Advogados irá inaugurar, nesta quinta-feira (11), uma sede em Passo Fundo. Com o suporte de 150 profissionais da unidade de Porto Alegre, o escritório agora terá uma base no Norte do Estado. Será na Rua Quinze de Novembro, 961, no Centro. O movimento ocorre dois meses após a inauguração de um novo endereço em Caxias do Sul. E, para 2020, o plano é instalar uma base na Metade Sul. Em Porto Alegre, o escritório ocupa dois andares na Avenida Carlos Gomes.

A abertura do espaço em Passo Fundo é uma resposta à expansão na carteira de clientes da região. Apenas nos últimos 12 meses, o crescimento foi de 35%. Ao todo, são mais de 50 companhias atendidas pelo escritório em Passo Fundo e demais cidades do entorno, com destaque para grandes players do setor do agronegócio.

“Investimos porque acreditamos no potencial das empresas e dos empreendedores da região”, afirma Ramiro Iribarrem, um dos sócios no Rio Grande do Sul. “Nosso crescimento está relacionado à proximidade com os clientes. Buscamos sempre compreender com profundidade o negócio e onde querem chegar”, complementa.

Com 22 anos de trajetória, o Martinelli é o maior escritório de advocacia empresarial do Sul do Brasil. A partir de sua expertise nas áreas tributária, cível, trabalhista e societária, assessora algumas das principais empresas do país, de diversos segmentos. Possui 15 unidades espalhadas pelo país – em seis estados e no Distrito Federal – e mais de 700 colaboradores.

A banca é apontada pela Chambers & Partners – principal publicação legal do mundo – como referência em Direito Empresarial no Brasil. Também está, pela 13ª vez, entre os escritórios mais admirados do país, segundo o Anuário Análise Advocacia 500.

Para Farsul, Plano Safra 2019/2020 não é o ideal, mas o possível

Para Farsul, Plano Safra 2019/2020 não é o ideal, mas o possível

Agronegócio Destaque Economia Negócios

O Governo Federal anunciou que o Plano Safra 2019/2020 contará com R$ 225,59 bilhões. Com o slogan “Uma só agricultura alimentando o Brasil e o mundo”, é o primeiro plano com os ministérios unificados após duas décadas, contemplando conjuntamente pequeno médio e grande produtor. A ministra Tereza Cristina destacou o papel da agricultura nacional na garantia da segurança alimentar ao Brasil e aos mais de 160 países parceiros. Para o presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira, o plano está distante do que seria o ideal, mas é o que foi possível na atual realidade. Ele participou da cerimônia realizada no Palácio do Planalto na manhã desta terça-feira (18/6).

Gedeão Pereira considera que “é o primeiro passo para uma mudança maior. Há um entendimento que essa política agrícola não satisfaz as necessidades do produtor do século XXI e a ministra tem consciência que, com os recursos que dispõe e o orçamento feito pelo governo passado, o máximo de mudança que seria possível neste ano é essa”, pondera. Um ponto positivo para o presidente do Sistema Farsul é a unificação do plano. “Reunir em uma política agrícola pequenos, médios e grandes, mas sem deixar de diferenciá-los nas suas idiossincrasias, é uma vitória da agricultura, que abandona diferenças que não são conceituais, mas ideológicas depois de 20 anos”, avalia.

Do montante disponibilizado, R$ 222,74 bilhões são para crédito rural, sendo R$ 169,33 bilhões para custeio, comercialização e industrialização. Para investimentos, são destinados outros R$ 53,41 bilhões com taxa de juros variando entre 3% e 10,5% ao ano para os programas. O economista-chefe do Sistema Farsul, Antônio da Luz, considera excelente os instrumentos de Crédito Rural apresentados, “é como abrir uma janela em uma sauna”, compara.

Ele destaca que os juros para os produtores que não se enquadram no Pronaf ou Pronamp subiram 1%, mesmo com a expectativa da redução da Taxa Selic para o final do ano para 5,75% apontada pelo Relatório Focus. “São enormes as chances de oferta de juros livres abaixo dos controlados. Isso acontecendo não haverá razão para manutenção dessa política agrícola atual. Tem coisas muito melhores para fazer com essa subvenção”, avalia o economista. O plano conta com a ampliação dos recursos LCA para o crédito rural para R$ 55 bilhões, além da permissão para que a CPR seja emitida com correção pela variação cambial. Para Luz, a CPR em dólares abre a porta para o investimento estrangeiro.

Também foi anunciado o maior valor já destinado ao Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR), atingindo R$ 1 bilhão. O objetivo do governo é de que cerca de 150,5 mil produtores rurais tenham a safra segurada em 2020. A estimativa é a contratação de cerca de 150,5 mil produtores rurais poderão ter a safra segurada. Dois pontos receberam especial destaque de Gedeão Pereira. O Fundo de Aval Fraterno, que irá facilitar a renegociação de dívidas dos produtores rurais. “É o reconhecimento do governo de que há um processo de endividamento, em especial na área orizícola e com a metade sul do estado que não vem sendo feliz com as colheitas de soja e busca uma solução”, comenta. O outro é o Patrimônio de Afetação que permite ao produtor desmembrar sua propriedade como garantia nos financiamentos agropecuários.

Para o futuro, Gedeão informa que o trabalho é de uma mudança na estrutura do crédito. “Gostaríamos de evoluir para um crédito baseado em apólice de seguro, onde o produtor antes de acessar ao sistema financeiro seguraria sua lavoura e estaria livre no mercado financeiro para buscar recursos em qualquer banco”, explica. Para o presidente do Sistema Farsul, isso acabaria gerando a redução nas taxas de juros.

Ouça entrevista com o presidente do Sistema Farsul, Gedeão Pereira